Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

14 coisas que só donos de carros velhos dizem…

Compartilhe!

Não estamos falando de carros antigos, e sim de carros velhos, paixão para uns e terríveis pesadelos para outros. São motivos de piadas, críticas e até discussões. As virtudes -e problemas, claro- dos carros antigos todos sabem, mas o que os donos pobres de carros velhos sempre dizem, muitas vezes finjimos ignorar. AUTO&TÉCNICA relembra as frases que mais ouvimos sair da boca dos proprietários de carros mais, digamos, maduros.

With an Auto Title Loan Car Repair can be easier than...doing it all yourself. Thank Phoenix Title Loans later...

Algumas destas frases você encontra nas redes sociais, outras são seus amigos que dizem e outras você mesmo tem em estoque. Umas se destinam a desculpar defeitos e avarias, ou justificar a insistência em manter um carro velho. Já outras visam mesmo garantir alguma segurança e o bem estar de todos os ocupantes de um legítimo carro de pobre.

Deixamos aqui 14 destas frases recorrentes (seriam 13 frases, mas por coincidência 13 é o número do azar, algo que sempre acompanha o motorista desse tipo de carro, por isso fechamos em 14) que estamos habituados a ouvir de donos de automóveis velhos.

1. “Para essa porta fechar tem truque”

Portas que não fecham ou não abrem como deviam são praticamente obrigatorias em qualquer carro velho, uma das razões que mais motiva momentos caricatos na hora de transportar alguém. Entra-se no carro, puxa-se a porta e nada, não fecha. A isto o dono responde “calma, tem que puxar para cima e empurrar para a frente e assim fecha, é um truque”.

Também acontece alguém estar aguardando para entrar no carro, tentar abrir a porta e precisar de instruções de como o fazer, tal e qual estivesse a desarmar uma bomba. Se no meio de tudo isto surge alguma crítica, o dono simplesmente justifica: “assim é mais difícil os ladrões levarem-me o carro”.

Uma variação desse tema é “entre pela porta do passageiro, que a do motorista não está funcionando.

2. “Não abras essa janela, depois não fecha”

Devemos admitir que, infelizmente, sempre dizemos esta frase. Com o tempo, os mecanismos dos vidros manuais ou elétricos decidem entregar a alma ao Criador, e isso obriga os donos de carros velhos a pronunciar esta frase.

Também é comum vermos motoristas fecharem u abrirem os vidros com as mãos, e mante-los no lugar com uma chave de fenda colocada entre o vidro e a pestana da porta. Só está fora quem tem no carro vidros de correr, que não existem mais…

3. “O meu carro não perde óleo, demarca território”

Muitos carros velhos são como os cães, que parecem teimar em demarcar o seu “território”, largando gotas de óleo sempre que estão estacionados.

Quando sobre este problema -em geral caro de solucionar- os proprietários destes veículos velhos por vezes respondem de forma parte humorada, parte envergonhada: “o meu carro não perde óleo, ele demarca território”, preferindo associar esta situação a algum instinto canino que o carro possa ter, ao invés de admitirem que precisa de visitar uma oficina, mas nem sempre o carro vale o conserto…

4. “É velho, mas é meu e está pago”

Esta é a reposta-padrão de qualquer dono de carro velho dá quando alguém critica o seu veículo: lembrar ao crítico que, apesar de todos os defeitos, já está pago. O que não é justificativa para nada.

5. “Vai devagar, mas chega em qualquer lugar”

Nem sempre é verdade, mas várias vezes usada, esta frase serve para tentar provar que ter carro velho , mais do que uma necessidade por conta da parca situação financeira, é uma opção racional, um estilo de vida.

Se é verdade que devagar muitos carros velhos chegam em qualquer lugar, não deixa de ser verdade de que o fazem com menor índice de conforto e a viagem prolonga-se por muito tempo, por vezes mais do que o desejável.

Ainda assim, perante esta situação, o dono pobre de um carro velho prefere apreciar a paisagem e os quilómetros que vão se acumulando ao volante do seu carro, e manter-se sempre atento ao termômetro da água, para evitar mais problemas e dores de cabeça.

6. “Nunca me deixou na mão”

Mentira Esta frase é o equivalente no mundo do automóvel àquele pai que depois do filho terminar em último lugar qualquer prova na escola, vira para ele e diz: “os últimos são os primeiros”. Não mesmo.

É uma mentira que dizemos para fazer aqueles de quem gostamos (incluindo nós mesmos) sentirem-se melhor, mas nem por isso é verdade. Seja como for, na maioria das vezes, a relação entre viagens tranquilas x quebras costuma jogar contra a veracidade desta afirmação.

A verdade é que carro velho sempre te deixa na mão: o pneu, além de careca, insiste em esvaziar; a bateria sempre está no osso; a parte elétrica não funcioma; o tanque de combustível furou; o radiador e mangueiras estão vazando; a bomba de combustível foi dessa para melhor…

7. “Já não se fazem carros como esse”

Claro que não. Fazem carros muito melhres. Por isso, esta expressão é talvez a mais verdadeira alguma vez proferida pelo dono de um carro velho. Utilizada como forma de elogiar um carro velho, esta frase encontra suporte no fato de que, devido à grande e constante evolução da indústria automotiva, os carros melhoram a cada dia.

8. “Quero ver se os carros de hoje em dia vão durar tanto como este”

Esta frase traz em si mesma um desafio, não a quem a ouve, mas a todos os carros novos.

Será que vão durar 30 ou mais anos na estrada? Ninguém sabe. No entanto, a verdade é que daqui 30 anos, o dono de carro velho que proferiu esta frase dificilmente também estará em péssimas condições para circular.

Seja como for, a resposta a esta frase só pode ser dada pelo tempo ou por uma previsão de qualquer oráculo, já que a Mãe Dinah não está mais entre nós.

9. “Não se preocupe com o ponteiro da temperatura”

Muito dita e ouvida nas ruas e estradas brasileiras sempre que chegamos ao verão, esta frase destina-se a acalmar os passageiros mais observadores que, ao verem o ponteiro da temperatura galgar marcas como se não houvesse amanhã, temem terminar a viagem rebocados por um guincho.

É que além de ser muitas vezes proferida por proprietários excessivamente confiantes nas capacidades de arrefecimento do seu automóvel, também costuma originar chamadas desagradáveis para a assistência das estradas.

10. “Não se preocupe com esse barulho, é normal”

Rangidos, gemidos, estalos e chiadeiras são, na maioria das vezes, a trilha sonora que acompanha as viagens em carros velhos, já que invariavelmente o rádio (ou toca-fitas) não funciona.

Esta frase é muitas vezes usada pelos proprietários deste tipo de carros para acalmar os passageiros mais temerosos, que ainda não têm um ouvido tão apurado quanto o do motorista e que não conseguem distinguir o som de uma correia precisando ser trocada do som emitido por um rolamento traseiro nas últimas.

Esta frase tem alguma relação com as luzes de aviso do motor, mas o resultado final costuma ser, quase sempre, o mesmo.

11. “É só colocar combustível e andar”

Algumas vezes pode ser verdadeira, mas esta frase é normalmente, proferida por proprietários de carros velhos que, curiosamente, têm tanta ou mais idade que os próprios carros.

Porquê? Simples. Normalmente pouco atentos e pouco zelosos com a manutenção dos seus veículos, sabem que podem se dar ao luxo desta afirmação porque acreditam ser as únicas pessoas com carros velhos que estão como novos. Só que não. Todos os outros que digam a frase mas não se recordam da última vez que levaram o carro para uma cuidadosa revisão, lamentamos informar que estão mentindo.

12. “Eu conheço o meu carro”

Esta frase em geral é dita antes de começar uma ultrapassagem impossível, de decidir transportar meio mundo dentro do carro com 30 anos ou simplesmente antes de enfrentar uma longa viagem, esta frase serve mais para iludir o proprietário do carro do que os passageiros.

É uma forma dele se acalmar evocando um suposto elo de ligação intima com o carro, pedindo para que termine a viagem sem problemas ou que, se for quebrar, que o faça de dia, num local seguro, de preferência perto de um restaurante e onde o guincho chegue com facilidade.

É no mesmo nível de otimismo dos torcedores do Palmeiras que acreditam piamente que um dia seu time será campeão mundial.

13. “Ele tem um truque para pegar”

Uns têm imobilizador, outros travas de volante, alguns alarmes que até funcionam (em geral na hora errada) e há quem recorra à nem sempre eficaz chave geral. Mas o dono do carro velho tem o melhor elemento para dissuadir os ladrões: o truque para pegar.

Proferida na hora de passar o carro para as mãos de outro motorista (seja numa eventual venda, emprestimo a um amigo ou, inevitavelmente, deixá-lo na oficina), esta frase relembra a nós que o dono de um carro velho não é só um motorista. É também um pajé que invoca os “deuses da direção” para colocar o carro em funcionamento todas as manhãs.

Seja alguns toques na ignição, um movmento diferente na chave, u,m botão qualquer que deve ser apertado ou algumas aceleradelas enquanto vira a chave, este truque parece funcionar sempre que o dono do carro está ao volante, mas quando chega a nossa hora de aplicar, acaba nos deixando na mão, com cara de pobre fracassado.

14. “Esse ninguém rouba”

Ninguém rouba pelas 13 razões anteriores. Não porque ladrão não roube coisas baratas, é porque ele não vai conseguir dirigir o carro velho. Cada carro velho tem suas nuances, suas vontades. Por isso, o dono de carro velho se ilude com a baixa liquidez de seu carro caso seja furtado ou roubado. A verdade é cruel: nem o ladrão quer.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *