Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

1953: QUANDO A FERRARI FEZ UM BARCO

Compartilhe!

Quem acredita que a Ferrari nunca esteve envolvida com outros projetos que não fossem carros esportivos, Fórmula 1 ou provas de endurance, está enganado. A busca por cada vez mais velocidade nos anos 1950 era uma realidade, fosse na terra, no ar ou mesmo no mar. Naturalmente que a Itália, estando abraçada por uma extensa massa de água, não foi exceção à regra , e por isso era natural que os pequenos e grandes construtores motorizados trabalhassem também no universo náutico, já que naquela época havia muita afinidade entre as provas de velocidade em água e o automobilismo.
 

Surgiu desta forma o Arno XI, aquele que é possivelmente o mais conhecido barco de competição de todos os tempos. Desenvolvido por Achille Castoldi, este verdadeiro monstro marinho foi logo apadrinhado e desenvolvido por Alberto Ascari e Luigi Villoresi, que entre os anos de 1952 e 1953 convenceram Enzo Ferrari a ceder-lhes um motor da Ferrari 375 para equipar a embarcação. Claro que o “velho” estava com vontade de bater a Maserati, liderada pela família Guidotti não só nas pistas, mas que estava se dando bem também nas águas, e foi por isso que deu seu aval a este projeto.

Com mais de 600 cv, o Arno XI com motor V12 da 375 recebeu a designação de G.P. 52/1 “Nautico”, e em 15 de outubro de 1953 bateu o recorde mundial de velocidade, ao chegar aos 241.708 km/h. Ainda hoje este recorde se mantém na sua classe.

Curiosamente, esta embarcação foi depois vendida ao engenheiro Nando dell’Orto, que continuou a competir com este exemplar, alterando-lhe a sua forma, em especial na frente e traseira. Ou melhor, na proa e na popa. O Arno XI foi vendido em leilão no início deste ano.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español