Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Ford Falcon XY GT, o muscle car australiano. E por que não?

Compartilhe!

O Ford Falcon foi um dos modelos mais importantes para a história do automóvel na Austrália, e ficou em produção por mais de 50 anos, de 1960 até 2016. A segunda geração do Falcon foi lançada na terra dos cangurus em 1966, com desenho claramente inspirado no Falcon americano.

por Ricardo Caruso

Jornal dos Clássicos - Ford XY Falcon GT, o muscle car australiano

O carro evoluiu ao longo de quatro séries distintas até 1972: XR, XT, XW e XY. A última série dessa segunda geração do Falcon, a XY, foi lançada em outubro de 1970, com nova grade e lanternas traseiras redesenhadas, além de várias melhorias no conforto, segurança e nível de qualidade.

ford falcon xy gt front 3



Como não poderia deixar de ser, o Falcon também teve a sua versão “musculosa”, o Falcon GT, lançado em 1967. No final de 1970 foi apresentado o Falcon GT que tinha por base a série XY, com um “ram air” (tomada de ar) no capô, a mesma usada no Mustang Mach 1 de 1969. Até dezembro de 1971, foram produzidos 1.557 unidades do Falcon GT da série XY.

ford falcon xy gt rear 2



Este modelo está equipado com o motor Ford 351V8 Cleveland, de 5,7 litros de cilindrada, válvulas no cabeçote e 11:1 de taxa de compressão, com 300 cv de potência máxima a 5.400 rpm e 51 mkgf de torque máximo a 3.400 rpm.

ford falcon xy gt front 2

Poderia ser também equipado com o motor Ford 6.0V8 Windsor. A alimentação de combustível era feita por meio de um carburador quadrijet Autolite de 600 cfm. Acoplado ao motor estava uma caixa de câmbio manual de quatro velocidades. Como opcional era possível ter uma caixa com relações mais curtas ou uma automática de três velocidades.

ford falcon xy gt 351 gt

O diferencial era autoblocante da Detroit Locker, com relação de 3,25:1, tendo como opções relações de 3,5:1 ou 3,91:1, quando acoplado à caixa manual, ou então tem somente a relação de 3,25:1 quando equipado com a caixa automática.

Ford -falcon -xy -gt -engine -bay

Existiu ainda a versão Falcon GT-HO (HO significa Handling Option), destinada à homologação para a competição. O top de linha desta versão chegou em maio 1971, na série XY, quando foi lançado o Falcon GT-HO Phase III, tornando-se apenas o sedã mais rápido do mundo naqueles tempos, até a chegada do Opel Omega Lotus, 19 anos mais tarde. Somente 300 exemplares desse Phase III foram construídos, até novembro de 1971.

Ford -falcon -xy -gt -interior -front

O Falcon GT-HO Phase III por fora é idêntico ao GT tradicional, mas tem motor melhorado, assim como os freios e suspensões, além de tanque de combustível de 164 litros. Apesar da potência do motor ser anunciada como 300 cv, igual ao GT tradicional, acredita-se que tenha na verdade algo entre 350 e 380 cv.

ford falcon xy gt badge

O carburador Autolite foi substituído por um Holley 780 CFM. Os primeiros exemplares produzidos vinham equipados com um corte elétrico, que limitava as rotações às 6.150 rpm. É capaz de atingir os 229 km/h, passando das 7.500 rpm em quarta velocidade -se for retirado o limitador- e acelera de zero a 100 km/h em 6,8 segundos.

ford falcon xy gt boot

Allan Moffat venceu a “Bathurst 500” de 1971 e o “ATCC” de 1973, ao volante de um Falcon GT-HO. Estes Falcon GT-HO Phase III de competição, preparados pela Ford Special Vehicles, têm a potência elevada para 450 cv e é alimentado por um sedendo carburador Holley de 1150 cfm.

Hoje acredita-se que existam menos de 100 exemplares do XY Falcon GT-HO Phase III sobreviventes, e estes carros chegam a valores bastante altos quando se encontram à venda, rondando os US$ 700 mil.


Saturday Sleuthing: Moffat's Ultimate GT-HO Falcon - Supercars


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español