Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

A CHERY E SEUS CARROS PERIGOSOS

Compartilhe!

Os chineses continuam aprontando, como se estivessem acima de tudo e de todos. Agora é a vez da Chery, que admitiu ter exportado carros com asbesto, material cancerígeno, utilizado em vedações do motor e escapamento de seus carros. A empresa reconheceu o uso desse composto –popularmente conhecido como amianto- assim que o governo da Austrália detectou sua presença em 23 mil veículos da Chery e da Great Wall, outra marca chinesa, vendidos naquele mercado.

A comercialização de produtos com amianto está proibida em diversos países, incluindo a Argentina, enquanto no Brasil –maior produtor mundial- o assunto ainda está em debates. Ao que parece, mesmo perigoso, seu uso está liberado na China.

A presença de amianto foi detectada pelas autoridades aduaneiras da Austrália. Por isso, o governo daquele país ordenou o recall dos modelos Great Wall SA 220, V240, X240, V200 e X200, e Chery J11 (vendido no Brasil como Tiggo)  e J3 (comercializado como Cielo por aqui).

 Huang Huaqiong, porta-voz da Chery, admitiu o uso de asbesto nos carros: “Os operários utilizaram por erro um lote de peças que não devia fazer parte das exportações para a Austrália”. Ou seja, acredita quem quiser. A marca não cogita a possibilidade de fazer o recall nos veículos com peças similares de amianto comercializadas fora da Austrália, pois a Chery só promove recall nos locais onde as autoridades exigem.

Além de obrigar o recall, as autoridades da Austrália desaconselham os proprietários a fazerem reparos nesses carros por conta própria, para evitar exposição à contaminação.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español