Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

A espantosa coleção Glickenhaus

Compartilhe!

James Glickenhaus nasceu em Nova Iorque, em 24 de julho de 1950, e é conhecido, em especial, por ser ator, produtor, financiador e diretor de filmes de Hollywood. James escreveu e produziu diversos filmes famosos, como o “O Exterminador” e “The Protector” (“A Furia do Protetor”), onde o personagem principal é protagonizada por Jackie Chan.


 
Mas tal como vários famosos endinheirados e de bom gosto, Glickenhaus tem um viés “petrolhead”, tendo inclusive fundado a sua própria marca de automóveis, a Scuderia Cameron Glickenhaus. Além dos automóveis produzidos pela SCG, James Glickenhaus é detentor de uma enorme coleção de automóveis, a maioria Ferrari, incluindo protótipos e modelos de competição.
 
Da coleção, o automóvel que mais impressiona é a Ferrari P4/5 by Pininfarina, modelo único, construído pela Pininfarina com base numa Enzo, para o próprio James Glickenhaus. O desenho foi buscar inspiração nos automóveis de competição da marca italiana dos anos 1960, como a Ferrari 330 P4.

Este automóvel custou cerca de US$ 4 milhões e foi apresentado no Concurso de Elegância de Pebble Beach, em 2006. O próprio Luca di Montezemolo, chefão da marca italiana na época, achou que este automóvel deveria ostentar o emblema da Ferrari, dando a ele o nome oficial de “Ferrari P 4/5 by Pininfarina”.



Em 2009, Glickenhaus surgiu com a ideia de competir com o P4/5, na “24h de Nurburgring” de 2010, não transformando o automóvel original, mas sim construindo um novo exemplar, que se passou a chamar SCG P4/5 Competizione, tendo sido utilizado uma Ferrari 430 Scuderia para a sua base. Este foi o primeiro carro construído pela Scuderia Cameron Glickenhaus, já que a Ferrari não quis o seu nome envolvido no projeto e assim, nasceu uma nova marca de automóveis.

Mas estes não são os únicos modelos exclusivos de James, já que recentemente adquiriu o único exemplar do Ferrari 512S Modulo by Pininfarina, um automóvel construído pela carozzeria italiana, com base num chassi de Ferrari 512S #27, originalmente apresentado no Salão de Genebra de 1970.

Em 2012, James adquiriu o carro da Pininfarina, efetuando uma restauração profunda e tornando-o num automóvel completamente funcional; apesar de ter o motor V12 montado, ele não tinha direção, algo que foi aplicado.

Além destes, Glickenhaus tem mais carros Ferrari. Um dos mais raros é o 159S Spyder Corsa, com o chassi nº2, de somente dois exemplares construídos em 1947, sendo atualmente a Ferrari mais antiga existente.

Na coleção de Glickenhaus também é possível encontrar um Ferrari 412P, versão construída para as equipes particulares do 330 P4. Somente dois 412P foram originalmente construídos pela Ferrari, mas vários exemplares foram transformados a partir do 330 P4, pela própria marca. Outro modelo único é a Ferrari Dino Competizione Pininfarina, que tal como o 512S Modulo, foi todo reconstruído, sendo totalmente funcional.

Tem ainda uma Ferrari 208 GTB Turbo 1988, que pertenceu ao piloto Nino Vaccarella, tendo sido dada a este pelo próprio Enzo Ferrari; uma Ferrari Dino 2400 Spider de 1972 e uma Ferrari F430 GT2 de competição. Não sendo uma Ferrari original, tem também um Piper P4 Replica DP003, réplica de uma Ferrari 330 P4.

Além dos modelos da marca italiana, Glickenhaus tem também modelos de outras marcas, a maioria americanas. Como o Ford GT40 MK4 J6 1967, o mesmo exemplar que ficou em quarto lugar da geral na “24 Horas de Le Mans”, pelas mãos de Bruce McLaren e Mark Donohue. Este modelo está registrado para circular nas ruas, e James já fez 80.000 km com ele desde 1999.

O modelo que começou a colecção foi a Lola T-70 1966, que ganhou várias provas de Can-Am com a dupla Donohue/Penske. Este automóvel foi adquirido para um filme, mas James nunca mais o vendeu, tendo sido também adaptado para poder circular nas ruas.
p
Glickenhaus tem também uma coleção diversificada de modelos clássicos, como Duesenberg J446 1932, Stutz DV-32 1932 com motor de oito cilindros e dupla comando de válvuas no cabeçote e, mais recente, uma Alfa Romeo 8C Competizione 2008, que é quase um Ferrari com outras “roupas”.

Além destes, tem o Baja Boot 1967 (abaixo), que pertenceu a Steve McQueen e que servirá de inspiração a um modelo da SCG, com o mesmo nome.

Glickenhaus Boot Makes Every Day the Baja 1000

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *