Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

As oito melhores maneiras clássicas de transportar carros de competição

Compartilhe!

  • Os veículos de transporte de automóveis de competição sempre ficaram um pouco esquecidos, até que chegou o momento de perguntarmos: qual será sido a melhor combinação, entre o carro de competição clássico e o seu transportador? É aí que entram estes caminhões e veículos transformados segundo as necessidades das suas equipes. Seguem-se oito exemplos de veículos de transporte clássicos de automóveis de competição.

Mercedes-Benz Blue Wonder (1955)

Este é talvez o mais clássico exemplo de todos, o mais impressionante e o que é mais facilmente reconhecível, sem contar que, na época em que foi construído, era o caminhão mais rápido do mundo. Foi construído só com um propósito, levar as “Flechas de Prata” para as suas provas. Mas, o que mais impressiona é o seu perfil esguio e o desenho “cab-forward”(cabine avançada) extremo, queo encontra-se totalmente à frente do eixo dianteiro. O motor era o mesmo do 300 SL, 3.0 de seis cilindros em linha e 220 cv de potência.

Fiat Bartoletti (1956)

Este Fiat Bartoletti foi encomendado pela Maserati, para transportar os seus carros de Fórmula 1. Foi adquirido pela equipa Scarab e, posteriormente, comprada pelo lendário Carrol Shelby, em 1962, utilizado para transportar os Cobra Daytona até Le Mans. Foi ainda adicionado um terceiro eixo, para aumentar o poder de carga. Após o fim como veículo de transporte, passou para a carreira no cinema, sendo utilizado no filme de Steve McQueen, “Le Mans”, levando os carros de várias equipes, sendo pintado na cor de cada uma delas.

Commer TS3 Ecurie Ecosse (1960)

A equipa escocesa Ecurie Ecosse teve bastante sucesso, sendo conhecida pelos seus Jaguar D-Type. Utiliza um chassi de ônibus Commer, do Grupo Roots, equipado com um compacto motor de três cilindros diesel, com 3.200 cm3. É capaz de transportar três automóveis e, sem dúvida, que fica bem em qualquer paddock de carros clássicos.

Volkswagen Kombi Porsche (1964)

A Fórmula V (ou Vê) foi uma categoria do automobilismo de grande sucesso, com carros que utilizavam mecânica Volkswagen, de 1.200 cm3 e 40 cv. Era uma categoria destinada a jovens pilotos (entre eles Emerson e Wilsinho Fittipaldi, José Caros Pace e outros no Brasil) e, como não poderia deixar de ser, a Porsche decidiu entrar na brincadeira. Para efetuar o transporte dos carros, a Porsche adquiriu seis Volkswagen Kombi Pickup, procedendo a algumas modificações para que os Fórmula V pudessem entrar e sair com facilidade.

Hino KM BRE (1965)

A equipe de Peter Brock é uma das mais famosas que utilizou modelos japoneses nas provas do SCCA nos Estados Unidos, com as suas cores vermelha, branca e azul. E qual a melhor combinação de competir com modelos nipônicos e ter um veículo de transporte do mesmo país? Antes de competir com os modelos da Datsun, a BRE utilizou automóveis Hino, que depois foi absorvida pela Toyota e passou a produzir unicamente veículos pesados. Para o transporte dos seus carros, a BRE utilizou um Hino KM… equipado com motor Cadillac V8.

Dodge D700 Snake & Mongoose (1967)

Os Dodge D700 Snake e Mongoose são facilmente reconhecíveis, já que foram transformados em miniaturas da Hot Wheels. Estes caminhões transportaram os Plymouth Barracuda e Duster dragsters de Don Prudhomme e Tom McEwen. Está é a combinação perfeita entre o caminhão Dodge e os automóveis Mopar.

Ford Transit MK1 Joe Dunlop e Rea Racing (1976)

Esta Ford Transit transportou diversas vezes a lenda do motociclismo, Joe Dunlop, e as suas motos, para as provas do “Isle of Man TT”, pintada na característica cor branca e vermelha, com o seu primeiro patrocinador, a Rea Racing. Esta Transit foi também utilizada no documentário “The Road Racers”, sobre o motociclismo. Dunlop também utilizou esta van para distribuir brinquedos pela Romênia, Albânia e Bósnia-Herzegovina.

Bonneville Boss (1976)

Por último, o mais radical de todos, o Bonneville Boss. Este caminhão foi criado para transportar o “Proud American”, veículo desenvolvido para romper a barreira do som para as comemorações do bicentenário dos Estados Unidos, em 1976, mas isso não aconteceu. O Bonneville Boss foi criado por Dean Moon, da Mooneyes. Com mecânica do Oldsmobile Toronado, a potência é enviada para as quatro rodas frontais, que também são direcionais. Tem ainda seis rodas na traseira.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *