Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Bancos xadrezes e a bola de golf do Golf GTI. Quem criou?

Compartilhe!

O Golf de primeira geração (1974-1984) é pouco conhecido no Brasil, pois nos anos 1970 a Volkswagen do Brasil ainda insistia com o Fusca, Brasilia e Passat, campeões de venda. Mas em boa parte do mundo ele acabou sendo visto como um moderno sucessor do Fusca. Em sua versão GTI, trazia bancos com revestimento em tecido xadrez, e a manopla do câmbio era a reprodução de uma bolinha de golfe. Destalhes que marcaram o Volkswagen Golf GTI desde o seu início. Mas, quem teve essas idéias tão simples quanto geniais ? No Brasil, esta bola de câmbio foi usada, por exemplo, no Gol GT.

Por trás dos clássicos detalhes que até hoje fazem parte da história do Golf GTI —bancos de padrão xadrez e a bola de golfe da caixa de câmbio manual—  está uma das primeiras mulheres desenhistas contratada pela Volkswagen, Gunhild Liljequist. A pintora de porcelana e designer de embalagens para doces começou a trabalhar no Departamento de Tecidos e Cores da Volkswagen em 1964, com 28 anos, e por lá ficou até 1991.

Foi ela a responsável por desenhar vários elementos do interior do primeiro Golf GTI (1976), tendo em conta as pretensões esportivas do modelo. E o que justifica o padrão xadrez, hoje batizado de “Clark Plaid”: “O preto era considerado esportivo na época, mas eu também queria cor e qualidade. Tirei muita inspiração das minhas viagens à Grã-Bretanha e deixei-me sempre levar pelos tecidos de alta qualidade com padrões xadrez que encontrava por lá… pode-se dizer que há um elemento de esportividade britânica no GTI.”
 

E a bola de golfe? “Isso foi uma ideia puramente espontânea! Apenas expressei alto as minhas associações entre a esportividade, o golfe e o próprio nome do carro: ‘“e se a manopla do câmbio fosse uma bola de golfe?”’


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *