Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

BRASIL: O MINGUANTE MERCADO DE IMPORTADOS

Compartilhe!

Segundo Flávio Padovan, presidente da Abeiva (Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores), “a viabilidade dos negócios em nosso setor chegou a um ponto insustentável”. Isso retrata a atual situação dos carros importados no Brasil. Os números mostram isso com clareza. Em julho, as 29 marcas filiadas à Abeiva venderam miseráveis 10.739 unidades.

Só para comparar a dimensão desse dado, o VW Gol –carro nacional mais vendido- teve 29.412 emplacamentos no mesmo período. Esse resultado é 4,1% menor que o de junho, quando 11.202 importados foram vendidos. No mesmo mês de 2011, a queda é  41,5%, pois foram 18.346 emplacamentos naquele período.

JAC J3: puxando a fila dos importados. Mas com o freio de mão puxado...

No acumulado do ano, a retração é de 24,9%. A Abeiva projeta fechar 2012 com queda de 40% nas vendas de importados; o setor já demitiu 5.000 pessoas. Por isso o presidente da Abeiva afirma que o setor está se tornando inviável e até o fim do ano a queda no desempenho irá provocar a perda de 10 mil postos de trabalho. As importadoras esperam que o governo anuncie no final do mês um plano de cotas de importação sem o impacto do aumento de 30% do IPI.

O carro impportado mais vendido em  2012 é o JAC J3, com 5.720 unidades emplacadas, mas em julho somou apenas 654 carros vendidos; em março, melhor mês do modelinho chinês, foram 1.058 vendas. Depois vem o Chery QQ (5.574 unidades) e Kia Sportage.

Apesar da queda de 45,3% nas suas vendas, a Kia ainda é a importadora que mais vendeu no Brasil este ano, com 25.758 unidades (3.696 em julho). No outro extremo, as que mais padecem em 2012 são Effa, Maserati, Jaguar e Aston Martin. Todas tiveram queda de mais de 55% nos seus emplacamentos. Já a Jeep, Jibei e Dodge cresceram mais dea 60%.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español