Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Chevrolet Cobalt e Spin 2017 agora são ECO: até 30% mais econômicos

Compartilhe!

Os Chevrolet Cobalt e a minivan Spin para 2017 chegaram  com novidades e muitas melhorias. O Cobalt incorpora o sistema ECO de eficiência energética, já presente do Onix, e adota transmissão de seis marchas, direção elétrica progressiva, suspensão recalibrada e OnStar de série, além de navegação por setas e função diagnóstico para verificar, por exemplo, a pressão dos pneus.

C_901

São três versões, todas com motor 1.8 de 106 cv com gasolina a 111 cv com etanol (antes era 106 /108 cv): LTZ manual, LTZ automático e Elite automático. A minivan Spin também recebe basicamente as mesmas inovações do Cobalt, incuindo sistema ECO, que consiste numa série de evoluções mecânicas e tecnológicas para melhorar os índices de eficiência energética, conforto e emissões. Destaque na minivan para a grade ativa do radiador (com aletas que se movimentam para otimizar a aerodinâmica e arrefecimento), bem como versões LS (de entrada) e Advantage agora com transmissão automática.

C_909

COBALT 

Uma das novidades do Cobalt é o motor 1.8 de nova geração, com mais potência e força em rotação pouco mais baixa. Isto significa que acelerações e retomadas estão mais rápidas. A nova transmissão manual de seis marchas também traz benefícios, como a redução do nível de ruído em altas velocidades. Para quem busca mais conforto, há ainda opção de transmissão automática, que ganhou funcionamento mais suave e linear nas trocas de marcha.

O Cobalt perdeu peso e ainda recebeu melhorias para ficar até 21% mais econômico. Com isso, passa a ser o modelo 1.8 Flex mais eficiente do mercado nacional, de acordo com dados do Inmetro. O Chevrolet supera inclusive rivais equipados com motores de menor capacidade volumétrica e torque.

Outro salto dado pelo Cobalt está na dirigibilidade. Mudanças na suspensão e a adoção da direção com assistência elétrica progressiva o tornam ainda mais agradável de guiar. O motorista sente que as respostas ao volante estão mais diretas e mais leves em manobras de estacionamento, enquanto o novo conjunto de molas e amortecedores mostra bom equilíbrio entre conforto e estabilidade.

Para quem aprecia conectividade, há inovações interessantes. O Cobalt passa a incorporar novas funções para o sistema OnStar, como navegação por setas projetada na tela do multimídia MyLink, e aplicativo para smartphone com dispositivo de diagnóstico, que informa por exemplo a pressão de cada um dos pneus e a quilometragem total percorrida pelo automóvel. A partir da linha 2017, o Cobalt oferece como item de série o OnStar também nas configurações equipadas com transmissão manual.

O modelo mantém seu principal atributo, que é o amplo espaço interno e o porta-malas de 563 litros, o maior entre os sedãs nacionais, e se destaca ainda pela grande oferta de equipamentos e pelo acabamento “premium” dos bancos e volante nas versões de luxo LTZ e Elite.

O grupo de instrumentos, com contagiros analógico e velocímetro digital, incorpora bússola e alerta de baixa pressão dos pneus, enquanto o multimídia MyLink conta com Android Auto e Apple CarPlay para integração com smartphones.

Câmera de ré com guias auxiliares, sensor de estacionamento com gráficos, sensor de chuva, sistema de acendimento automático dos faróis, volante com controle das funções do rádio e telefone e acionamento das travas e vidros por controle remoto são alguns dos itens disponíveis para o carro.

O sedã da Chevrolet ganha ainda duas novas opções de cores: o Azul Blue Eyes e o Preto Ouro Negro, ambas metálicas. Elas se juntam ao Cinza Grafite, ao Bege Peper Dust, ao Branco Summit, ao Prata Switchblade e ao Marrom Mogno Brown.

MOTOR 

Sonhava com o Cobalt 1.4? Esqueça, não está mais disponível. Agora só 1.8. O Cobalt sempre teve bom desempenho, graças ao motor 1.8 de torque elevado, característica relevante para quem busca um sedã médio-compacto que mantenha a disposição mesmo carregado com mulher, filhos e/ou sogra e bagagem. Isso está ainda mais evidente na linha 2017 com a adoção do motor da geração SPE/4 ECO em substituição ao EconoFlex. O novo desenvolve até 111 cv de potência e 17,7 mkgf de torque máximos com etanol. O pico de torque agora é atingido a apenas 2.600 rpm, contra 3.200 rpm do modelo anterior.

Além de mais ágil, o Cobalt está até 21% mais econômico nesta configuração. Chega aos 15,1 km/litro de gasolina na estrada e 12,1 km/litro na cidade, conforme padrão do Inmetro. Com etanol, são 10,4 e 8,3 km/litro, respectivamente.

A transmissão também é de nova geração. A manual passa a ser de seis velocidades. A sexta marcha ajuda a poupar combustível e aumenta o silêncio a bordo em velocidade de cruzeiro. A 120 km/h, por exemplo, a rotação caiu de 3.300 rpm para 2.650 rpm. Para auxiliar o motorista a dirigir de forma mais econômica, o carro incorpora um alerta de mudança de marcha no quadro de instrumento: um ícone indica o momento ideal para trocas.

A transmissão automática continua sendo de seis marchas, porém ganhou calibragem mais mais suave e “inteligente” em diversas situações de tráfego, isso mesmo no modo Active Select, que permite fazer as trocas manualmente.

Assim como a família Onix, Prisma e Spin, o Cobalt também adota na linha 2017 o sistema ECO, que consiste em um conjunto de tecnologias com foco na otimização do conforto, desempenho, emissões e eficiência energética. Além de motor e transmissão, há evoluções nos sistemas de suspensão e freio, na aerodinâmica e no uso de materiais mais nobres para redução de peso.

O conjunto de pistões, bielas e anéis, por exemplo, foi redesenhado e ficou mais leve, enquanto os anéis de pistão e o tipo de óleo lubrificante (0W20) também sofreram alterações. A taxa de compressão foi reajustada para melhor desempenho.

O módulo eletrônico, responsável por gerenciar as diversas funções do motor, está 40% mais rápido e potente. Novos sistemas de arrefecimento e de gerenciamento de cargas elétricas completam o “pacote”. O novo sistema de gerenciamento de energia elétrica do veículo conta com monitoramento continuo da bateria e utilização otimizada do alternador de alto rendimento.

Já o módulo de arrefecimento também é novo, e traz central de controle multivelocidades, ventilador sem escovas -com menor atrito-, trocadores de calor mais modernos e menor quantidade de líquido refrigerante. Tudo isso faz dele um sistema mais silencioso, leve e eficaz.

Os engenheiros da GM se dedicaram a reduzir o peso e elevar a rigidez estrutural do Cobalt. Mais de 100 componentes foram aperfeiçoados, aumentando a aplicação de aço de alta resistência em painéis e reforços. O carro ficou até 36 kg mais leve, ganho significativo para um modelo que adicionou tantos conteúdos.

Freios mais eficientes energeticamente, novos rolamentos e pneus “verdes” também contribuíram para a boa redução do consumo de combustível e melhora do desempenho. O modelo chega aos 170 km/h de máxima e é capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 10.5s (10.8s no Spin) -com etanol- números interessantes para o porte e categoria do veículo.

Outras evoluções mecânicas também trouxeram melhorias na dirigibilidade do Cobalt, como a direção com assistência elétrica progressiva. De respostas mais precisas e diretas, o sistema elétrico é mais eficiente por não “roubar” potência do motor e por filtrar melhor as vibrações em pisos irregulares. Transmite ainda maior sensação de controle do motorista sobre o veículo. Mais uma vantagem trazida por este sistema de direção é que o volante do sedã fica extremamente leve em manobras de estacionamento, mesmo quando carregado.

 Outra novidade está na nova calibragem das molas, amortecedores e batente da suspensão. O conjunto recebeu novos cubo de roda e barra estabilizadora e ficou 10 mm mais baixo. Com esse ajuste, o motorista irá sentir uma expressiva melhora no comportamento dinâmico em altas velocidades.

Bem equipado

O sistema OnStar do Cobalt ganhou novas funcionalidades e passou a estar presente também nas configurações equipadas com câmbio manual; antes era exclusividade dos modelos com transmissão automática. Um novo serviço OnStar é o de diagnóstico. Por meio de um aplicativo para smartphone, o usuário pode conferir parâmetros do veículo, como a quilometragem total percorrida e a pressão dos pneus.

O OnStar permite a partir de então que o usuário do Cobalt também receba orientações de navegação por setas e/ou instruções de voz pelo sistema multimídia original do veículo, como em versões do Novo Cruze. Sistema de telemática avançado, o OnStar oferece ao motorista mais de 20 serviços de emergência, segurança, navegação, concierge e conectividade em um patamar jamais visto no mercado automotivo nacional.

Para o sedã, a Chevrolet oferece o OnStar em cortesia por um ano no “pacote” Exclusive, o mais completo.

O Cobalt 2017 está mais recheado. Vem de série com os itens de conforto e segurança mais valorizados pelo consumidor da categoria, como ar-condicionado, direção elétrica, conjunto elétrico das travas/portas/vidros, chave tipo “canivete” com controle remoto de abertura inclusive da tampa do porta-malas, bancos e volante com regulagem de altura, mais freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem) e airbag duplo, estes dois últimos obrigatórios por lei.

 O sedã médio-compacto da Chevrolet é oferecido com motor 1.8 ECO em duas versões de acabamento: LTZ e Elite, ambas de luxo.

Em comum, oferecem painel com velocímetro digital, faróis de neblina com moldura cromada, sensor de estacionamento, computador de bordo, volante multifuncional, bancos com revestimento premium, encosto de braço em material “soft touch”, cruise control, multimídia MyLink com Android Auto e Apple CarPlay, sistema OnStar e rodas de alumínio aro 16. Bússola, navegação, indicador de mudança de marchas e sistema de monitoramento da pressão dos pneus são novidades.

Quanto ao acabamento, a versão LTZ combina internamente tons de preto com variadas nuances de marrom que, somados aos detalhes de acabamento cromado e preto brilhante, dão boa impressão de requinte. Já a versão top de linha Elite foi pensada para o consumidor que busca um carro espaçoso para a família, mas com a mesma sofisticação encontrada em modelos de categorias superiores.

A lista ainda inclui bancos com revestimento premium exclusivo, volante e encosto de braços com costura pespontada, frisos cromados nas saias laterais, sensores de chuva e crepuscular, além de rodas de alumínio especialmente desenvolvidas para o modelo.

 SPIN

A minivan Spin está praticamente sozinha no mercado dos monovolumes. Líder absoluto de vendas em sua categoria, o Spin chega à linha 2017 com todas as novidades mecânicas e tecnológicas do Cobalt, que o deixaram mais econômico e ágil.

A principal inovação fica por conta da grade ativa do radiador (Active Grille Shutters). O sistema abre e fecha automaticamente a grade frontal de acordo com as condições de velocidade do veículo e necessidade de refrigeração do motor. Quando fechada, há redução do arrasto do ar e melhor aerodinâmica.

Outra novidade do modelo é a adoção do mesmo motor 1.8 ECO e transmissões de seis marchas do Cobalt. O Spin 2017 incorpora as evoluções trazidas pelo sistema ECO da Chevrolet. Com isso, se tornou o automóvel de passeio de sete lugares mais econômico do mercado brasileiro, segundo dados do Inmetro.

 Além das versões LT, LTZ e Activ, o Spin traz para a linha 2017 as configurações LS, de entrada, e a intermediária Advantage, desenvolvida para consumidores que buscam um monovolume com transmissão automática e bom nível de itens de série, mas com acabamento exclusivo com preço mais acessível.

O modelo da Chevrolet ganha ainda duas novas opções de cores para a carroceria: o Azul Blue Eyes e o Preto Ouro Negro, ambas metálicas. Elas se juntam ao Cinza Grafite, Bege Peper Dust, ao Branco Summit, ao Branco Vintage e ao Prata Switchblade.

A GRADE

Inédito entre os carros de produção nacional -já usada no importado Ford Fusion, por exemplo- a grade ativa do radiador do Spin faz parte do sistema ECO da Chevrolet e tem como principal objetivo reduzir o arrasto aerodinâmico por meio do controle de abertura e fechamento das aletas, restringindo assim a entrada de ar para o compartimento do motor quando não demandado pelo sistema de arrefecimento ou pelo ar condicionado do veículo.

Grade Ativa

O sistema é composto por uma estrutura externa que abriga palhetas transversais, enquanto a abertura e o fechamento do sistema é feito de forma automática por meio do gerenciamento da central eletrônica do veículo. Os principais benefícios são: redução no arrasto aerodinâmico, redução das emissões de CO2 e consumo de combustível, retenção de calor no compartimento do motor em ocasiões de partida fria, melhor desempenho do veículo no que diz respeito à velocidade máxima e aceleração, redução de ruído devido a isolamento acústico no compartimento do motor e direcionamento do fluxo de ar.

“A grade ativa do radiador é uma tecnologia comum apenas em carros importados mais sofisticados e ajuda a reduzir o consumo do Spin em cerca de 30%. Na prática, é como se o consumidor ganhasse quase quatro meses de combustível no ano”, calcula Fabiola Rogano, vice-presidente de Engenharia da General Motors.

ADVANTAGE

Além da nova versão LS, de entrada, a linha 2017 do Spin reedita a versão Advantage, com boa relação custo/benefício e que agora traz a comodidade da transmissão automática. O carro se destaca pelo bom conteúdo, acabamentos exclusivos e preço mais acessível.

O Spin vem completo de série desde a nova configuração LS, reunindo itens valorizados pelo consumidor, como como ar-condicionado, quadro de instrumentos com velocímetro digital, painel em dois tons, freios ABS com EBD (distribuição da força de frenagem), airbag duplo, alarme e conjunto elétrico de vidros e travas com acionamento por controle remoto, além de faróis com moldura escurecedora e adesivo preto na coluna.

No LS, há OnStar com o “pacote Safe” , que inclui serviço de recuperação veicular e aplicativo para smartphone com a função diagnóstico, por exemplo. Quadro de instrumentos com bússola, indicador de mudança de marchas, sistema de monitoramento da pressão dos pneus, além de sistema ECO com direção elétrica, câmbio manual de seis marchas e grade ativa do radiador completam a lista de novidades.

A versão LT soma rodas de liga aro 15, volante multifuncional com revestimento premium, sistema multimídia MyLink, rack de teto e retrovisor com botões OnStar. O dispositivo permite contato com os serviços de emergência do “pacote”  Protect, entre eles o de notificação automática em caso de acidente e a transferência de ligação para o Chevrolet Road Service em caso de pane elétrica ou mecânica.

A Advantage traz ainda espelhos retrovisores externos com ajuste elétrico, acabamento de peças da carroceria em preto brilhante, rodas de liga escurecidas, lanternas fumê, faróis de neblina, computador de bordo, luzes individuais de leitura, cobertura do porta-malas, sensor de estacionamento traseiro, transmissão automática e controlador de velocidade de cruzeiro.

A configuração LTZ acrescenta terceira fileira de bancos, capa dos retrovisores externos na cor do veículo, faróis com superfície interna escurecida “Dark Chrome”, maçanetas internas cromadas e rodas com desenho exclusivo. Nesta configuração, o OnStar vem com o “pacote” completo (Exclusive), com serviços também de concierge e o de navegação. O LTZ tem opção de transmissão manual ou automática.

Completa a linha o Spin Activ, que traz visual aventureiro. O modelo se diferencia pelos para-choques preto com apliques prateados na parte inferior, molduras nos para-lamas, saias laterais, adesivos na soleira das portas, estepe na tampa traseira, porta-objetos no assoalho do porta-malas, lanternas escurecidas, rodas de alumínio aro 16, bancos com revestimentos em tecido especial e painel com acabamento exclusivo. Só há opção de transmissão automática para o Activ.

CONCLUSÃO

Tanto Cobalt com Spin são hoje os dois modelos mais criticados da GM em termos de desenho, mas por outro lado tem como vantagem o excelente espaço interno, boa capacidade de carga, economia de combustível, bom desempenho e cada vez mais tecnologia a bordo. Os dois carros vendem bem, atendendo públicos distintos, e são bastante agradáveis de dirigir.

Sem dúvida, opções que devem ser consideradas, em especial para quem se enquadra no perfil mais familiar, que busca espaço interno como prioridade.

C_906

Confira os preços iniciais de cada versão:

++ Cobalt 1.8 LTZ — R$ 62.190
++ Cobalt 1.8 LTZ T/A — R$ 66.690
++ Cobalt 1.8 Elite T/A — R$ 68.990

++ Spin 1.8 LS — R$ 57.990
++ Spin 1.8 LT — R$ 61.490
++ Spin 1.8 Advantage T/A — R$ 66.690
++ Spin 1.8 Activ T/A — R$ 69.990
++ Spin 1.8 LTZ — R$ 67.990
++ Spin 1.8 LTZ T/A — R$ 71.990


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español