Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Chevrolet: o que se sabe da nova Montana

Compartilhe!

A Montana saiu de linha em maio, mas vai reencarnar ainda este ano mesmo, na forma de uma nova picape, a terceira geração do utilitário da Chevrolet. A primeira geração data de 2003 e a segunda de 2011, e o nome é tão bom que seguirá no portfólio da GM. Será cabine dupla -basicamente uma picape do Onix- e vai brigar, em especial, com a Fiat Toro, o inimigo a ser derrotado por todas as marcas.

Teaser da nova Chevrolet Montana

A confirmação do nome “Montana” foi feita por Carlos Zarlenga, presidente da GM para a América do Sul, por meio de um vídeo distribuído para os jornalistas. O anúncio foi bem recebido pelos concessionários da marca, que estavam reclamando da falta de um produto para esse segmento.

O desenvolvimento da nova picape e a instalação de novos ferramentais e robôs com conceitos atuais de manufatura estão embutidos no plano de investimento de R$ 10 bilhões da montadora aqui no Brasil, anunciado há algum tempo.

A Montana de terceira geração vai ser feita na plataforma GEM, a mesma usada pelo Onix, Onix Plus e Tracker. Significa que, como as anteriores e como a Toro, será estrutura monobloco; as picapes maiores, como S10 e Ford Ranger, são montadas sobre chassis de longarinas. Continua assim enquadrada na categoria das picapes mais voltadas para uso no dia a dia, quase como um carro de passeio, e menos para o trabalho pesado do transporte de volumes, apesar de ser apta ao uso comercial.

Maiores dados não foram adiantados pela GM, mas é quase certo que ela também irá usar o mesmo motor 1.2 turbo do Tracker, com até 133 cv de potência máxima e 21,4 mkgf de torque máximo, quando alimentado com etanol; o 1.0 turbo (116 cv e 16,8 mkgf máximos, com etanol) deve ser deixado de lado inicialmente, por causa do maior peso que a nova Montana terá de capacidade, mas pode aparecer no futuro em uma versão mais barata.

A Montana será produzida na fábrica de São Caetano do Sul, SP. A General Motors está aproveitando a paralisação na linha de montagem por falta de componentes (em especial chips) para adaptar a fábrica para a produção da sua nova picape.

A nova Montana vai subir de segmento e se posicionar entre a Fiat Strada e VW Saveiro, e abaixo das S10, Ranger, Hilux e Frontier. Ficará na fatia de mercado dominado hoje pela Toro e frequentado de vez em quando pela Renault Oroch.


Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español