Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Clássicos ganham sobrevida com motores elétricos

Compartilhe!

Restaurar carros antigos ou velhos é uma atividade que consome tempo e dinheiro, e apresenta desafios muitas vezes difíceis de contornar quando se trata de encontrar peças originais. Mas a chegada da eletrificação dos veículos facilita o processo. Isso no Primeiro Mundo, mas um dia pode chegar por aqui.

A Lunaz é uma empresa britânica que está desenvolvendo kits de conversão para udo de motores elétricos, de modo que vários automóveis clássicos renasçam prontos para encarar o futuro da mobilidade elétrica. O sistema de motorização completo é desenvolvido e concebido nas instalações da empresa em Silverstone, no Reino Unido, sob a supervisão técnica do antigo diretor técnico da Renault F1, Jon Hilton.

Já em preparação pela Lunaz neste exato momento estão um Rolls-Royce Phantom V 1961, um Jaguar XK120 1953 e um Rolls-Royce Cloud 1956, dispondo os modelos de potências diferentes: o Jaguar contará com uma bateria de 80 kWh – e dois motores para a potência combinada de 380 cv e 70 mkgf de torque-, enquanto os Rolls-Royce terão motor de 120 kWh.

A Lunaz –que é composta por experientes técnicos e engenheiros de diversas marcas, como Aston Martin, Ferrari, Ford, Jaguar, Volkswagen, McLaren e Rolls-Royce, além de outros com passagem pela Fórmula 1– garante que os clássicos não recebem meramente uma motorização elétrica em substituição do motor térmico, sofrendo antes uma completa ação de restauro, mantendo as “características do veículo em termos de condução e de personalidade”.

Tecnicamente, a empresa garante também carregamento rápido das baterias, sistema de frenagem regenerativa e integração de tecnologias como o controle de tração ou cruise control. Os detalhes específicos do sistema elétrico “são guardados em segredo, sendo desenvolvidos, concebidos e testados internamente pela companhia”.

No interior, adaptações subtis atualizam os clássicos restaurados, com comodidades como comunicações por satélite, Wi-Fi e sistemas de multimídia de última geração. O mesmo acontece com os sistemas de ar condicionado e parte elétrica.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *