Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

COBALT 1.8 AUTOMÁTICO: NA DOSE CERTA

Compartilhe!

     Nem a própria GM esperava que o Cobalt fizesse tanto sucesso. A previsão inicial era de que o sedã vendesse no máximo 3.500 carros/mês. Já está em 6.500 unidades mensais. Desde seu lançamento, em novembro de 2011, já foram comercializadas mais de 40.000 unidades do modelo, e  motivos para isso não faltam. A boa relação custo/benefício, espaço interno generoso, acabamento bem cuidado, porta-malas espaçoso, boa dirigibilidade e desenho elegante e clássico, que parece ter caído no gosto dos brasileiros.

     Por meio de pesquisas,  a Chevrolet detectou que o consumidor desse carro queria algo a mais, e assim melhorou a oferta de equipamentos e o desempenho do Cobalt. Agora, além do motor 1.4 Econo.Flex, a Chevrolet passa a oferecer também o 1.8 Econo.Flex, com opção de câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis.

     O 1.8 Econo.Flex utiliza diversas tecnologias. Tem coletor de admissão de plástico, com novo ressonador, que garante menor ruído de aspiração e melhor distribuição do torque, além de oferecer melhor dirigibilidade, aceleração mais uniforme e menor consumo de combustível, que combinado com o tanque de combustível de 54 litros, se traduz em boa autonomia. 

NOVIDADES

     O motor Econo.Flex apresenta uma evolução do sistema drive-by-wire, de última geração, que possibilita respostas mais rápidas ao acelerador e que trabalha integrado ao System Zero, tecnologia 100% desenvolvida pela GM, que gerencia o motor baseado em parâmetros de torque. Para completar, o motor 1.8 conta com coletor de escapamento estampado em aço inox, para atender as novas leis de emissões.

     Com essas tecnologias, o 1.8 Econo.Flex desenvolve 108 cv de potência máxima com etanol e 106 cv com gasolina a 5.600 rpm. O torque máximo é de 17,1 mkgf com etanol e 16,4 mkgf com gasolina, sempre nas 3.200 rpm. Cerca de 90% do torque está disponível entre 2.500 e 4.700 rpm, garantindo boa dirigibilidade.

     Além da conhecida transmissão manual de cinco velocidades (F17 Geração 1.5) o novo Chevrolet Cobalt 1.8 utilizará a caixa GF6, de seis marchas, que já o Cruze, o Sonic e o Spin.

SEIS MARCHAS

     A transmissão manual recebeu melhorias para equipar o Cobalt.  A primeira delas são os novos seletores de engate, para menor esforço e maior precisão nas trocas de marcha. Ela conta também com anéis sincronizadores triplos, que permitem trocas mais rápidas sem “arranhar” as marchas.

     Já a transmissão GF6 –automática de seis marchas e que permite ainda trocas no modo sequencial- conta com o sistema adaptativo de trocas de marcha; módulo de controle integrado, que elimina cabos entre o módulo e a transmissão, e também o freio-motor, que mesmo quando o motorista alivia o pé do acelerador, mantém a marcha, dando a sensação de maior controle do veículo. Esta transmissão foi desenvolvida pela própria GM, bem como seu software.

     A caixa automática ainda usa conversor de torque com tecnologia EC3, que permite menor consumo de combustível e trocas de marchas mais suaves, graças a uma embreagem hidráulica interna ao conversor que se acopla à cobertura frontal, evitando o escorregamento do conjunto e aumentando a eficiência da transmissão.

VERSÕES

     O novo Chevrolet Cobalt 1.8 será comercializado em duas versões, LT e LTZ, ambas com boa lista de itens de série e detalhes exclusivos no desenho e acabamento interno. A proposta do Chevrolet Cobalt é clara: um sedã de três volumes, desenhado no Brasil, com estilo moderno.

     Com largura de 1.735 mm e comprimento de 4.479 mm, a impressão é de um sedã maior. Só para comparar, o espaço interno é melhorr do que o oferecido antes no Vectra. O porta-malas é o de maior capacidade do segmento, com 563 litros e bom acesso. A engenharia da GM conseguiu coeficiente de penetração aerodinâmica baixo, de 0,32, bom num carro curto, o que siginifica maior velocidade final e melhor consumo.

     A versão 1.8 do Cobalt tem alguns detalhes que a diferenciam do 1.4. Na LT o modelo 1.8 tem calotas plásticas de desenho exclusivo, e na tampa traseira tem um spoiler. Já a versão LTZ tem rodas de liga leve com desenho específico e diamantadas, o mesmo spoiler traseiro e também faróis dianteiros com molduras de acabamento levemente escurecidas. As lanternas traseiras também são diferenciadas, com as lentes transparentes, expondo mais os refletores cromados.

ACABAMENTO

     Por dentro, o espaço e acabamento encontrados no Cobalt 1.4. Com a maior distância entre-eixos da categoria, o modelo tem espaço para quatro adultos com conforto (o quinto sempre é sacrificado), com bom espaço para os ombros, pernas e joelhos. Os materiais utilizados no interior do veículo criam clara percepção de qualidade.

     O painel em dois tons, a iluminação dos instrumentos Ice Blue com leds e mostradores digitais e analógicos indicam a modernidade e tecnologia. Também o aplique no volante, combinado com detalhes cromados no painel de instrumentos e nos painéis de porta, contribuem para um visual ainda mais luxuoso.

     Em termos de conveniência, o Cobalt tem entrada USB e tomadas de 12V no console, que garantem a conectividade e não são muito comuns na categoria. Além disso, são 18 porta-objetos. O Cobalt tem console com dois porta-copos e local para levar uma garrafa de até 1,5 litro. Os porta-mapas nos forros das portas são amplos e há também nas portas dianteiras espaço para garrafas.

TOP DE LINHA

     A versão 1.8 do Cobalt tem itens exclusivos também no interior. O volante é revestido de couro na versão LT automática e em todas a LTZ. E todas as versões equipadas com a transmissão automática contam com “piloto automático” com botões de acionamento no volante. Além do novo console –desenhado para receber a alavanca de câmbio automático- o Cobalt 1.8 tem luz interna individual no teto e acabamentos cromados nos instrumentos.

     A versão LT vem bem equipada de fábrica. Tem ar-condicionado, direção hidráulica, desembaçador traseiro e travas elétricas. Conta ainda com airbag duplo frontal, grade dianteira cromada, volante com regulagem de altura, freios ABS com EBD, vidros elétricos nas portas dianteiras, alarme anti-furto, computador de bordo e luz de leitura para os passageiros do banco de trás.

     A LTZ, top de linha, acrescenta ao LT rodas de liga leve; farol de neblina; maçanetas internas e comandos do ar-condicionado cromados; volante com revestimento de couro e controles de rádio e celular; barra cromada na traseira; rádio AM/FM com leitor para CD/MP3, Bluetooth e entrada USB; espelhos retrovisores com regulagem elétrica, acionamento elétrico para todos os vidros e sensor de estacionamento.

CONCLUSÃO

     O Cobalt chegou há menos de um ano e se estabeleceu bem no mercado brasileiro. Agora oferece duas opções de acabamento, dois motores, duas opções de câmbio e é maior e mais espaçoso que todos os seus concorrentes. A capacidade do porta-malas é boa, de 563 litros de porta-malas e o acabamento é correto.

    Com preço de R$ 43.690 para o LT e R$ 49.900 para o LTZ automáticos, a GM espera acrescentar pelo menos 1500 unidades/mês às suas vendas. Vai conseguir fácil.

– Leia mais em SUPER CHEVY.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español