Como era o mundo na última vez que Massa venceu…

Compartilhe!

Existiu um tempo em que o Brasil, acredite, ganhava corridas de Fórmula 1 e vencia campeonatos mundiais. Mas isso faz tempo. Hoje são exatos 3159 dias sem Felipe Massa ganhar uma só corrida de Fórmula 1. A última vez que isso aconteceu foi no já distante dia 2 de novembro de 2008, quase 10 anos atrás, quando Massa venceu em Interlagos. De lá para cá colecionou 161 GPs sem subir no lugar mais alto do pódio, um indigesto recorde na categoria.

felipe-massa-getty-74342067

E como era o mundo na última vez que Massa ganhou um GP? O Campeonato Mundial da Fórmula 1 de 2008 foi um dos mais disputados da história da categoria, mas também marcado por momentos lamentáveis e pelo menos um emocionante.

Entre os fatos deploráveis, o primeiro –que só foi só revelado quase um ano depois- foi a trapaça criada pelos dirigentes da equipe Renault, que propiciou a vitória de Fernando Alonso no GP de Cingapura e arruinou a carreira de Nelsinho Piquet na categoria. Outro babados foram o escândalo sexual envolvendo o então presidente da FIA (Max Mosley), fotografado numa orgia com vestes nazistas, e os excessos de punições a pilotos e equipes.

O momento emocionante foi o final do GP do Brasil, em Interlagos, quando o título se definiu a 500 metros e/ou 38 segundos da linha de chegada, com a consagração do inglês Lewis Hamilton como o novo mais jovem campeão da Fórmula 1. A corrida foi vencida por Felipe Massa, que sentiu o gostinho de ser campeão do mundo por alguns segundos. E nunca mais…

O campeonato de 2008 também revelou um jovem talento alemão, Sebastian Vettel; assistiu a primeira vitória do polonês Robert Kubica, novos triunfos do espanhol Fernando Alonso e improváveis pódios de Rubens Barrichello e Nelsinho Piquet.

Os pilotos naqueles tempos eram Kimi Raikkonen, Felipe Massa, Nick Heidfeld, Robert Kubica, Fernando Alonso, Nelson Ângelo Piquet, Nico Rosberg, Kazuki Nakajima, David Coulthard, Mark Webber, Jarno Trulli, Timo Glock, Sebastien Bourdais, Sebastian Vettel, Jenson Button, Rubens Barrichello, Takuma Sato, Anthony Davidson, Adrian Sutil, Giancarlo Fisichella, Lewis Hamilton e Heikki Kovalainen.

Fora da Fórmula 1, o mundo vivia momentos complicados. Passou a ser proibido fumar em todos os locais públicos (incluindo bares e restaurantes), em Portugal, França e no estado de Illinois nos Estados Unidos. O Bolívar Venezuelano foi reavaliado na proporção de 1 para 1000 e rebatizado o Bolívar Fuerte. O preço do petróleo chegou aos US$ 100 por barril pela primeira vez na história. O 30.º Rali Dakar foi cancelado devido à tensão política internacional e do assassinato de quatro turistas franceses pouco antes. A Petrobras anunciou o desaparecimento de arquivos secretos sobre a descoberta da Bacia Tupi e Fidel Castro renunciou à presidência e o comando das forças armadas em Cuba.

Raul Castro foi empossado como o novo presidente de Cuba, e o Vaticano disponibilizou ao público arquivos referentes à Inquisição no século XVI. Teve início uma crise diplomática-militar entre Equador e Venezuela contra a Colômbia, em consequência da morte do dia anterior do segundo dirigente da FARC, Raúl Reyes; os governos da Venezuela, Equador e Nicarágua romperam os laços diplomáticos com a Colômbia, normalizando logo depois. Teve início manifestações violentas no Tibete contra a repressão chinesa e foi comemorado o centenário do Clube Atlético Mineiro.

 Aconteceu o assassinato da menina Isabella Nardoni em São Paulo, que chocou o Brasil. O papa Bento XVI visitou os Estados Unidos, foi à sede da ONU e prestou homenagem às vítimas dos atentados de 11 de Setembro de 2001. O Manchester United foi campeão da UEFA Champions League 2007-2008. Bill Gates se retirou da Microsoft para se dedicar à filantropia. O papa Bento XVI inaugurou, na Basílica de São Paulo Extramuros, em Roma, o Ano Paulino, e a venezuelana Dayana Mendoza venceu a 57ª edição do concurso Miss Universo.

No dia 8 de agosto foi iniciada a 29ª. edição dos Jogos Olímpicos, em Pequim. Fernando Lugo assumiu a presidência do Paraguai e, no dia 20 de agosto, um avião da Spanair com 172 pessoas saiu da pista e se incendiou no aeroporto de Madrid (Barajas) na Espanha, onde 153 pessoas morreram. A Google lançou o navegador Google Chrome, e teve início a crise financeira mundial.

Em setembro a Google lançou o sistema operacional Android e a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos rejeitou o “pacote” de ajuda de US$ 700 bilhões, agravando a maior crise mundial do setor desde a Grande Depressão; seis meses depois a General Motors faliu. O assassinato da menina Eloá, em Santo André, SP, chocou o Brasil. Brasília registrou a maior temperatura da sua história: 35,8 °C. E no dia 30 de outubro foi aberto São Paulo a 25ª edição do Salão Internacional do Automóvel.

Os bancos Itaú e Unibanco anunciaram fusão. Dez atentados terroristas simultâneos mataram 195 pessoas, feriram cerca de 400, incendiaram hotéis de luxo e mantiveram dezenas de estrangeiros como reféns em Bombaim, na Índia. Santa Catarina registrou a pior tragédia natural de sua história, com cidades do Vale do Itajaí, Grande Florianópolis e Norte Catarinense duramente afetadas por enxurradas e deslizamentos. Mais de 100 pessoas morreram.

O São Paulo Futebol Clube sagrou-se campeão brasileiro pela sexta vez e última vez em sua história. A Tim começou a vender o iPhone 3G e a russa Ksenia Sukhinova foi eleita Miss Mundo. Naquele ano de 2008 faleceram, entre outros, Bobby Fischer, enxadrista norte-americano; Luís Carlos Tourinho, ator, que ficou famoso no “Sai de baixo”; João Batista Sérgio Murad (Beto Carrero), empresário, e Dercy Gonçalves, atriz e comediante. Os prêmios Nobel foram para Yoichiro Nambu, Makoto Kobayashi e Toshihide Maskawa (Física); Martin Chalfie, Roger Tsien e Osamu Shimomura (Química); Harald zur Hausen, Françoise Barré-Sinoussi, Luc Montagnier e Jean-Marie Gustave Le Clézio (Medicina); Martti Ahtisaari (Paz) e Paul Krugman (Economia).

Segundo a revista Rolling Stone, as 10 músicas nacionais mais marcantes foram: Janta – Marcelo Camelo e Mallu Magalhães; Samba e Leveza – Lenine; J1 – Mallu Magalhães; Rat is Dead – Cansei de Ser Sexy; Desabafo – Marcelo D2; Amendoim – Macaco Bong; Quinta-Feira – Forgotten Boys; Dê – Cérebro Eletrônico; Compacto – Curumin e Vermelho – Guizado. Já as 10 internacionais foram: Paper Planes – M.I.A; Viva La Vida – Coldplay;. Human – The Killers; Machine Guns – Portishead; Never Miss a Beat – Kaiser Chiefs;  Mercy – Duffy; Pork & Beans – Weezer; I Kissed a Girl – Katy Perry; Time do Pretend – MGMT e The Schock of Lightning – Oasis

De lá para cá, são quase 10 anos, e muita coisa mudou. Só não mudaram dois fatos: Felipe Massa nunca mais venceu na Fórmula 1 e o Palmeiras continua sem Mundial…


Compartilhe!

2 comentários em “Como era o mundo na última vez que Massa venceu…

  • 4 de outubro de 2017 em 19:59
    Permalink

    Wow… retrospectiva completa… é uma pena mas acho que os anos dourados do Brasil no automobilismo mundial se acabaram sem esperanças de voltarem.

    Existe alguma promessa por aí?

    Resposta
    • 5 de outubro de 2017 em 10:15
      Permalink

      O Sergio Sette Camara começou a aparecer, mas ainda é cedo para qualquer prognóstico.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *