Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

VENDERAM O BATMÓVEL…

Compartilhe!

O Batmóvel original, o primeiro dos seis produzidos para a série de TV de 1966, foi leiloado por US$ 4,62 milhões nos Estados Unidos. O evento aconteceu no Arizona e reuniu centenas de fãs do super-herói, que comemoravam cada lance dado no preço do carro. Para aumentar o clima, a trilha sonora era a música-tema do seriado.

Além do desenho único, o Batmóvel continuava equipado com os dispositivos usados pelo super-herói, como o Bat-fone. O vencedor do leilão foi o empresário Rick Champagne, colecionador de carros. Fã da série de TV, Champagne compareceu ao leilão disposto a sair de lá com o carro. Perguntado sobre onde guardaria o batmóvel, respondeu: “Na sala de estar. Vou derrubar uma parede e colocar lá”.

O carro foi projetado por George Barris, famoso customizador de Hollywood. Barris construiu o Batmóvel em 1966, em poucos dias, a partir de um Lincoln Futura dream car feito pela Ford (leia a seguir). O protótipo foi vendido pela Ford por US$ 1, e desde que foi desativado, fazia parte da coleção pessoal do customizador, junto com outros carros famosos, como o usado na sérioe “Os Monstros”, “Monkees”e outros.

Com o preço atingido, o Batmóvel bateu o recorde de preço em leilões de carros usados em filmes e séries de TV, destronando o Aston Martin DB5 usado  em “007 contra Goldfinger”, de 1964, que foi leiloado em 2010 e atingiu o valor de US 4,6 milhões.

O BATMÓVEL

É quase tão famoso como o Batman -o Homem-Morcego. Tal como o antológico personagem, também foi evoluindo com o passar dos anos. Estamos falando, claro, do Batmobile, o carro do super-herói, que fica guardado na Batcaverna. Com a estréia de “The Dark Knight Rises”, relembramos a história do carro mais famoso do cinema.

O primeiro Batmóvel, das histórias em quadrinhos.

Os primeiros relatos de um carro usado pelo Batman remontam a 1939, na 27ª edição da história em quadrinhos do nosso herói. Porém, naquela época, o carro ainda não tinha nome. Era sempre mostrado como “o carro do Batman”. Era vermelho e sem qualquer alteração. Só em 1941 nasceu o nome Batmobile, ainda na história em quadrinhos.

Nada supera o Batmóvel de 1966.

O carro foi sofrendo alterações de história para história, ganhando mecanismos próprios e caraterísticas que o separavam de qualquer outro carro comum. Com isso, o mistério em torno dele cresceu, mas o melhor de tudo aconteceu com a passagem para um modelo real.

As histórias do Batman fizeram muito sucesso e deixaram os quadradinhos, invadindo o cinema e a televisão. E o Batmobile surgiu. O mais celebrado de todos veio em 1966, quando foi lançada a série para televisão “Batman”, e para ser o Batmobile foi escolhido um Lincoln Futura, de 1955, modificado e repleto de recursos que até hoje são lembrados pelos fãs do herói.

Batman e Robin, na série para TV: inesquecíveis.

Anos depois, o modelo construído para o primeiro filme da saga, de Tim Burton, em 1989, também fez muito sucesso, numa mistura improvável de componentes de vários carros. Usava o motor de um Chevrolet Impala, capô de um ônibus de Londres, faróis de Honda Civic ao contrário e lanternas de Ferrari. O resultado surpreendeu os fãs e encantou o mundo. Para muitos, é mesmo o melhor Batmobile de todos. Depois do de 1966, claro.

O primeiro Batmóvel da era moderna.

Quando Joel Schumacher assumiu a direção de “Batman Forever”, substituindo Tim Burton, o Batmobile também foi remodelado. O resultado não agradou. O carro era estranho, com visual que lembrava feições humanas, tentando deixá-lo com um “sorriso” enigmático na dianteira, que o tornou muito infantil para os fãs. Apesar disso, tinha motor V8, que o deixava com boa potência. Mas não alcançou grande popularidade.

Modelo foi feito a partir de um concept car da Ford.

Em 1997, para o filme “Batman e Robin”, mais uma tentativa. Com um chassis de Nascar e vários equipamentos visíveis, o carro ficou mais agradável que o anterior, mas longe de encantar como o primeiro.

Mais adiante, foi a vez de Christopher Nolan assumir a realização de mais um filme, e o cineasta inovou de imediato. Em 2005, para “Batman Begins”, surgiu o Tumbler, totalmente diferente do que se tinha visto até então. Tinha como base um protótipo militar, mas foi todo modificado para se adaptar ao universo do herói. Na prática existiram seis Tumblers, o número necessário para a produção do filme.

Em “The Dark Knight” aparece a Batmod, a moto que se forma a partir das rodas traseiras e dianteiras do Batmobile, quando o herói precisa encontrar uma solução de emergência. Foi a grande inovação do filme e motivo de comentários entre os fãs.

Para o novo filme, não vamos falar muito. O melhor é ir ao cinema e se deixar surpreender. E para você, qual o Batmobile que mais o marcou?


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español