Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Covid-19: em atitude criminosa, Musk reabre fábrica da Tesla

Compartilhe!

O chefão da Tesla, marca norte-americana de carros elétricos, Elon Musk, retomou a produção da sua fábrica de Califórnia, nos Estados Unidos, desafiando as autoridades locais. A notícia da irresponsabilidade foi dada pelo próprio Musk nas redes sociais, onde anunciou que deu entrada com um processo judicial contra o condado de Alameda, na Califórnia, por este alegadamente não permitir que a fábrica da Tesla retome as atividades, devido à pandemia de Covid-19. Elon Musk ameaçou ainda mudar a sede da Tesla da Califórnia para o Texas.

“A Tesla está reiniciando a produção contra as regras do condado de Alameda”, escreveu Elon Musk no Twitter. O chefão da Tesla fez ainda questão de anunciar que estará “na linha com todo o pessoal. Se alguém for preso, que seja apenas eu”, frisou.

Minutos depois, o empresário explicou que as autoridades estaduais tinham dado luz-verde para a reabertura, mas que a ação havia sido bloqueada pelas autoridades locais: “A Califórnia aprovou, mas um funcionário do condado, não eleito, anulou ilegalmente. Todas as outras linhas de montagem americanas foram liberadas para retomar atividade. Só a Tesla foi escolhida. Isto é super estranho!”, completou.

A direção de serviços de emergência do condado de Alameda, por sua vez, disse que a Tesla tinha permissão apenas para manter “operações básicas mínimas” até que as autoridades aprovassem um plano. “Estamos lidando com a mesma abordagem usada para outras empresas que violaram a ordem de suspensão de atividades no passado, e esperamos que a Tesla também cumpra, sem outras medidas de extremas”.

Entretanto, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, manifestou apoio à Tesla. “Concordo com Elon Musk”, disse, em declarações aos jornalistas, destacando que a Tesla “é um dos maiores empregadores e fabricantes do Estado. A Califórnia deve fazer o que for necessário para resolver o problema, para que a fábrica possa abrir de forma rápida e segura”.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte associada à Covid-19 no início de fevereiro, já superaram 80.684 mortes e mais de 1.400.000 casos de infecção por Covid-19.

Em nível global, até o dia 11 de maio a pandemia do novo coronavírus já matou 286.122 pessoas e infectou mais de 4,1 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo dados oficiais.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español