Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

DeLorean DMC-12 reencarna e voltará a ser produzido

Compartilhe!

O DeLorean DMC-12, eternizado pela triologia “De Volta para o Futuro”, irá voltar à produção, após a fabricação do modelo original ter sido encerrada em 1983.

DeLorean DMC-12

O DeLorean DMC-12 começou a ser produzido na Irlanda do Norte em 1980, mas desapareceu poucos anos depois, em 1983, após a falência da fabricante devido às acusações de tráfico de droga (cocaína) que recaíram sobre o seu fundador, John DeLorean; mais tarde ele foi absolvido, mas o mal já estava feito.

Foram produzidas aproximadamente 9000 unidades, pondo um ponto final à curta e conturbada vida do DeLorean DMC-12, o esprtivo de dois lugares com portas “asa-de-gaivota” e carroceria em aço inoxidável, da autoria de Giorgetto Giugiaro, fundador da Italdesign. O ajuste das suspensões foi feito por Colin Chapman.

Alguém falou “ponto final”? Nada disso. A partir do momento em que, em 1985, “num cinema perto de você”, vemos o DeLorean atingir 88 mph (141,6 km/h) ativando o capacitador de fluxo que requer 1.21 GigaWatts (o equivalente a mais de 1,645 milhões de cv) para poder viajar no tempo, catapultou-o para a fama jamais imaginada por John DeLorean.

John DeLorean e o DMC-12
John DeLorean e sua antológica criação.

A fama conquistada no cinema foi o que justificou a criação de uma nova DeLorean Motor Company, empresa texana que adquiriu todo o espólio da empresa original, incluindo peças, projetos e unidades não produzidas, e reiniciou a produção em pequena escala em 2008, usando os componentes originais, até mesmo o modesto motor V6 PRV de 130 cv.

A produção foi interrompida, entrando em compasso de espera até que a “Low Volume Manufacturers Act” (Lei para Construtores de Baixo Volume) fosse implementada. Esta lei permite que se possam fabricar até 325 automóveis por ano, ao abrigo de um conjunto de regulamentos mais flexíveis do que os fabricantes de alto volume têm de obedecer.

DeLorean DMC-12
O DeLorean mais celebrado de todos.

Apesar de a lei ter sido aprovada em 2015, só em 2019 é que a NHTSA (National Highway Traffic and Safety Administration) criou os regulamentos necessários para implementar a norma, não sem antes ter havido um processo judicial imposto pelo SEMA (Specialty Equipment Market Association, a associação que organiza anualmente o SEMA Show) para obrigar a NHTSA a implementar a lei.

Burocracias à parte, agora sim o DeLorean DMC-12 pode voltar a ser produzido, mas não será exatamente idêntico em especificações ao modelo original. Afinal, o tempo passou. Estrutura e carroçaria em aço inoxidável serão mantidos, mas a suspensão, freios e interior serão atualizados, assim como o sistema de iluminação exterior do modelo.

De fora fica também o motor V6 PRV (Peugeot-Renault-Volvo) que sempre foi criticado por não fazer justiça às futuristas linhas do DMC-12, sem permitir o desempenho desejado. Os 130 cv, mesmo naquela época, simplesmente eram insuficientes para as suas pretensões como esportivo.

DeLorean DMC-12

E que motor terá? A legislação obriga a instalação de uma unidade que cumpra as normas de emissões atuais. A DeLorean está ainda hoje no processo de selecionar um fornecedor. O que é garantido é que a potência será mais do que o dobro dos 130 cv do original, com o construtor explicando que a faixa de potência de potência desejada ficará entre 270 cv e 350 cv.

O arsenal tecnológico do novo DeLorean também será reforçado com a adoção de tecnologias de conectividade e segurança ativa, como controle de tração e de estabilidade, itens inexistentes nos tempos da sua criação.

Considerando as previsões de construir apenas duas unidades por semana, e com todas as atualizações que serão implementadas, o preço referência é de US$ 100 mil, o que não é elevado para o tipo de carro que será, um “restomod” de baixa produção.

A promessa é de que a produção do DeLorean DMC-12 seja reiniciada ainda este ano.

DeLorean Back to the Future

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *