Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

DELTAWING AGORA QUER SER CARRO DE RUA

Compartilhe!

a

Nasceu como uma ideia estranha, que se concretizou com a Nissan participando com uma cópia da “24 Horas de Le Mans”. Os parceiros da DeltaWing não apoiaram, e a marca japonesa foi sozinha para Le Mans com o seu ZEOD, xerox do DeltaWing, que fez apenas uma prova antes de dar lugar ao GT-R LM Nismo.

Já o DeltaWIng continuou a sua vida nas competições de endurance norte-americanas, agora numa versão fechada, ainda mais infeliz em termos estéticos e com igual ineficiência competitiva. Este ano está na segunda temporada de utilização, mas a DeltaWing Tecnhnologies não quer ficar por aqui. Se a batalha legal com a Nissan continua –por causa do ZEOD que a marca afirma não ter nada a ver com o DeltaWing, mesmo idênticos– o foco da empresa norte-americana é agora a possibilidade de fazer um DeltaWing de rua.

O desenho é semelhante ao carro de corrida, ou seja, frente estreita e longa, carroceria alargada e capacidade para levar quatro pessoas. Isso, naturalmente, exige que a zona do habitáculo seja muito maior. No desenho liberado pela empresa, faltam ainda muitos detalhes, mas a ideia geral dos responsáveis da marca é esta.

Porém, dificilmente a DeltaWing vai conseguir colocar o carro em produção, pois sem dinheiro, é preciso encontrar uma marca que pague o desenvolvimento e a industrialização do modelo.

Segundo Gary Fong, diretor de comunicação da DeltaWing, “não temos porte para uma produção suficiente para criar impacto”. Tudo porque os responsáveis da empresa entendem que só com a fabricação em massa do carro o conceito poderá dar certo. Daí a necessidade de parceira com um grande construtor. A DeltaWing afirma que pode trabalhar em parceria com quem comprar a licença, acreditando que podem ter um protótipo do modelo final para produção em quatro anos.

No lado técnico, a DeltaWing acredita que um pequeno motor de quatro cilindros com potência entre os 85 e os 110 cv seja capaz de oferecer desempenhos esportivos, com aceleração de zero a 100 km/h em seis segundos e velocidade máxima superior aos 200 km/h, com consumo médio de 25 km/litro. Tudo isso porque o DeltaWing é mais leve e mais eficiente aerodinamicamente que os veículos tradicionais. Curioso é que o Nissan Glider, que usa motorização elétrica, faz exatamente as mesmas promessas…


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español