Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Desde 1958: carro mais antigo em produção sai de cena

Compartilhe!

i

O carro mais antigo do mundo ainda em produção, saiu de linha. O Morris Oxford de 1958, transformado na Índia em Hindustan Ambassador, acaba de ser descontinuado.

A indústria automobilística é dinâmica e se move com velocidade alucinante, com os modelos mais antigos sendo substituídos por veículos cada vez mais evoluídos. Isso acontece particularmente nos Estados Unidos, Europa e a Ásia. Porém, nem sempre é assim, e existem automóveis que duram gerações.

No Brasil, a Kombi foi produzida durante 56 anos, apenas com ligeiras modificações em relação ao projeto original. Encerrou sua vida recentemente, deixando o Hindustan Ambassador como o automóvel mais antigo ainda em produção. Os indianos idolatravam o pequeno carro que na prática era o Morris Oxford inglês de 1948, produzido ininterruptamente na Índia desde 1958.

O Ambassador era produzido na fábrica da Hindustan Motors segundo os mesmos processos e desenvolvimento técnico da época em que foi lançado, no final dos anos 1940. O nome deixa claro que o modelo focalizava em políticos e diplomatas, sendo que a maior aplicação acabou mesmo sendo como táxi nas congestionadas e poluídas cidades indianas. Tudo isto fez do Hindustan Ambassador um ícone da indústria indiana e daquele próprio país.

Porém, chegou a hora de terminar seu longo ciclo, já que estava agonizante e não atraía mais compradores. Se no anos 1980 a marca indiana vendia mais de 24 mil unidades/ano, em 2013 foram comercializados apenas 2.214 unidades do carrinho. A chegada de outros construtores, com propostas muito mais atuais, confortáveis e eficientes depois do governo indiano ter abertos as portas a “joint ventures” entre construtores indianos e estrangeiros, aniquilou o Ambassador.

Além disso, a Hindustan enfrenta graves problemas sociais nas suas fábricas e viu a sua divida crescer assustadoramente nos últimos anos, sendo por isso fácil perceber porque foi decidido encerrar a produção de um modelo que já não dava mais lucros, apenas prejuízos.

Para o construtor indiano, fica agora a esperança que alguma marca européia ou americana queria fazer uma parceria paara salvar o veterano modelo. Seus responsáveis permanecem acreditando que podem diminuir os prejuízos e voltar à produção do modelo. Porém, com o ritmo de modernização e da crescente mobilidade pública, o Ambassador dificilmente regressará ao mercado agora que saiu de produção.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español