Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Dodge “Born To Be Wild” Challenger, em 10 versões muito especiais

Compartilhe!

Acredite, ele agora é um conquentão. Isso mesmo, o Challenger chegou aos 50 anos. O Dodge Challenger sempre foi um dos modelos preferidos entre os fanáticos pelos “muscle cars”, em especial nas primeira e terceira (e atual) geração, relançada em 2008. Apesar da primeira geração ter ficado apenas cinco anos em produção, de 1970 a 1974, foi o suficiente para criar um culto à sua volta. E também para serem criadas versões raras…

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é aszGStc-1024x768.jpg

O Dodge Challenger sempre foi um dos modelos preferidos por entre os amantes dos muscle cars, principalmente na primeira e na última geração, relançada em 2008. Apesar de a primeira geração ter durado apenas cinco anos em produção, de 1970 a 1974, foi o suficiente para criar um culto à sua volta e também para serem criadas versões raras.

Os dez Dodge Challenger favoritos dos entusiastas
A terceira e atual geração.

A sua produção, como vimos, iniciou-se em 1970. Compartilhando a sua plataforma (E-Body) com o Plymouth Barracuda, o Dodge Challenger impressionava pela sua vasta lista de motores disponíveis. 

1959 Dodge Silver Challenger a "Barn Find".jpg
Uma curiosidade: a primeira vez que o nome Challenger foi usado foi em 1959, nesta versão especial do Coronet batizada de Silver Challenger.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1226px-1981_Dodge_Challenger_X_front_left-1024x601.jpg

Pelo caminho ainda houve uma segunda geração, mas este era um automóvel abaixo da crítica, com base no Mitsubishi Galant (acima), e sequer é considerada. Agora, 50 anos após o lançamento da primeira geração do Challenger, AUTO&TÉCNICA fez uma lista das 10 versões que povam os sonhos dos entusiastas do modelo. 



Challenger T/A 1970

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Dodge-Challenger-TA.jpeg

O Challenger T/A foi lançado para homologar o automóvel para as provas da Trans Am. Como a SCCA suavizou as exigências de homologação, o motor desta versão não é o 5.0V8 utilizado na competição, mas sim o 340 Six Pack (5.6V8). A alimentação de combustível era feita por três carburadores bijet, desenvolvendo 290 cv. Exatos 2.539 exemplares foram construídos desta versão.

O Challenger T/A foi lançado para homologar o automóvel no Trans Am. Como a SCCA suavizou as medidas de homologação, o motor desta versão não é o 5,0l utilizado na competição, mas sim o 340 Six Pack de 5,6L de cilindrada. A alimentação de combustível era feita por três carburadores duplos desenvolvendo 290cv. Cerca de 2.539 exemplares foram construídos desta versão.

Challenger R/T 440 1970


O Challenger T/A não foi o único a receber motor com três carburadores, já que, essa solução, também foi aplicada no Challenger R/T 440 Six Pack, com três carburadores Holley 2300 montados no motor de 7.2V8; a potência passava assim para os 390 cv.

Challenger 426 Hemi 1970


O Challenger equipado com o motor 426 Hemi é um dos mais desejados. Afinal, tem o desejado motor Hemi. Este motor de 7.0V8 com dois carburadores quadrijet. Tem 425 cv.

Challenger Demon 2018


Esta é a versão mais extrema de todos os tempos do Challenger, um automóvel de arrancada homologado para andar nas ruas. Por esse motivo, foi o primeiro automóvel de produção a sair de fábrica com pneus de dragster montados, além de duas rodas extras mais finas, para a dianteira. O motor Hemi 6.2V8 pode chegar aos 852 cv alimentado com gasolina de 100 octanas. Somente 3.300 unidades foram produzidas.

Challenger SRT Hellcat e Hellcat Redeye 2015/2019

Dodge Challenger Hellcat Redeye: 808 cv e sem pneus… – AUTO&TÉCNICA


O Challenger Hellcat era a versão de alto desempenho do Challenger, lançada em 2015, com o motor Hemi 6.2V8 e 707cv. Para 2019, a potência aumentou em 10 cv, saltando para os 717 cv. Também em 2019, foi lançado o Challenger SRT Hellcat Redeye, com o objetivo de compensar o desaparecimento do Demon, com o mesmo motor, mas de 808 cv.

Challenger SRT 392 Core 2013


O Challenger SRT 392 Core era uma versão mais despojada do SRT, equipado com o motor Hemi 6.4V8 de 470 cv. Estava também equipado com freios Brembo, e perdeu alguns equipamento de luxo, como os bancos de couro pele, os faróis HID e a suspensão adaptativa.

Challenger Scat Pack 1320 2019


Com o final de produção do Challenger Demon, a Dodge passou a oferecer o Scat Pack 1320 para aqueles que queria um Challenger para arrancadas. É equipado com o motor Hemi 6.4V8 de 485 cv. É o único, junto com o Demon, que vem de série com o chamado “transbrake”, um sistema próprio para a provas de “dragster”. Além disso, tem ainda muitos equipamentos específicos, como suspensão calibrada para arrancadas e eixo cardã reforçado, entre outros.

Challenger SRT Super Stock 2020


O Challenger Super Stock fica junto das versões de alto desempenho da linha. Utiliza a mesma mecânica do Challenger Hellcat Redeye, mas com mais potência, 818 cv. O seu eixo cardã foi também reforçado, para aguentar o torque.

Challenger R/T Scat Pack Widebody 2019


A partir de 2019, o Challenger pode ser equipado com o Widebody, ou seja, uma carroceria mais larga, para acomodar pneus maiores. Esta especificação pode ser pedida no Scat Pack, no Hellcat e no Hellcat Redeye. No entanto, é no Scat Pack que a experiência se torna melhor, com o motor 392V8 aspirado, de 485 cv.

Challenger Drag Pack 2021

.


Os três “pony cars” americanos -Dodge Challenger, Chevrolet Camaro e Ford Mustang- estão equipados com versões de fábrica destinadas às provas de arrancada, como é o caso do Challenger Drag Pack, desenvolvido pela Mopar, limitado a 50 unidades.  


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *