Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

DS vai se desconectar da Citroën para enfrentar a Audi

Compartilhe!

i

O novo responsável pelos Citroën DS, Yves Bonnefort, já tinha adiantado a idéia de deixar os DS como marca autônoma da Citroen já no próximo ano, e mais: quer ser concorrente da Audi em 2020, com a expansão da linha de três para seis modelos nos próximos anos.

Agora quem confirma isso é Carlos Tavares, chefão do grupo PSA. Segundo o português, “a marca DS será desconectada da Citroën a partir de 2015. Não temos que separar plataformas ou mesmo concessionárias, mas temos de separar a fabricação e níveis de engenharia e sofisticação”. Isso tudo para ser concorrente da Audi. “A DS pode ser rival da Audi em 2020! Os produtos que temos prontos para serem lançados são extremamente excitantes, mas não vamos passar a ser uma marca Premium, e vamos combater a Audi com as mesmas armas”, completou Tavares.

Para o responsável do grupo PSA, “queremos oferecer a sofisticação, a moda e a maneira de viver francesa. Os alemães não conseguem fazer isso e em curto prazo vão ver alguns conceitos que vão comprovar aquilo que estou afirmando agora”. Por outro lado, Carlos Tavares deixa claro que a DS não vai tentar fazer os mesmos números de vendas da Audi.

A DS vai revelar, no Salão de Paris o Devine (foto) um concept que dará início à criação de uma linha completa, que terá um SUV, um sedã de luxo para o mercado chinês (o DS9) e ainda um rival para o Fiat 500 no mercado europeu.

Um projeto realmente muito ambicioso, mas que Carlos Tavares defende explicando que “temos que ser pacientes em termos de vendas e não quero medir o nosso sucesso por esse caminho. O sucesso será medido pelo lucro por unidade e pelas margens de lucro. Estamos numa maratona que pode durar 20 ou 30 anos”.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español