Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Elvis Presley: Rei do Rock, Rei dos Cadillac

Compartilhe!

Além de ser conhecido como “The King” por toda a sua história com a música, Elvis Presley -sem exagero algum- poderia também ser chamado de “Rei dos Cadillac”.

A marca era a sua preferida e é difícil precisar quantos carros ou quantos Cadillac ele teve em sua curta vida. Os carros passam longe de 1000, e os Cadillac podem chegar a 400 ou mais.

Foi o maior comprador particular da marca em todos os tempos. Num Natal, por exemplo, ele comprou um carro para ele e mais 31 Cadillac para presentear os amigos. “Ele simplesmente é apaixonado pelos Cadillac”, explicou certa vez sua mãe. E era mesmo. Em outra ocasião ela perguntou: “Por que você tem quatro Cadillac na garagem se só pode guiar um por vez”?

     Um de seus prazeres era justamente presentear amigos, fãs ou instituições de caridade com coisas caras, entre elas carros. Provavelmente um dos primeiros Cadillac que deu de presente foi um conversível de 1954. Quem ganhou foi Sam Phillips, no começo de 1955. Sam era o dono da Sun Records, de Memphis,  justamente quem descobriu o cantor.

     A lista é grande e, até hoje, os pesquisadores estão empenhados em descobrir quem ganhou de Elvis carros luxuosos e em que circunstâncias. Alguns modelos se perderam pela vida, outros são preservados como jóias por seus proprietários, e alguns descansam em museus. Muitos desses carros aparecem vez por outra em leilões, onde atingem preços astronômicos. AUTO&TÉCNICA fez um levantamento desses milionários mimos oferecidos pelo Rei do Rock. Confira algumas histórias interessantes.

– Durante seu namoro com Priscilla, ainda nos anos 1950, Elvis a presenteou com vários carros, entre eles um Eldorado preto;

– Ed Parker, instrutor particular de karate de Elvis, recebeu um Cadillac de presente em 1970;

– Em 1965 Elvis deu a seu amigo e segurança Sonny West um Cadillac 1963, que depois ganhou um Eldorado 1966 e mais uma infinidade de outros carros;

– No Natal de 1965, Elvis deu para sua amiga Marty Lacker o seu próprio Cadillac 1960 branco;

– Em 1966, em Los Angeles, Elvis comprou de uma só vez e distribuiu muitos Cadillac: um conversível para o segurança Sonny West, um preto conversível para ele mesmo, outro Eldorado conversível para o segurança Red West (irmão de Sonny), e conversíveis brancos para seus amigos Alan Fortas, Jerry Schilling e Richard Davis. O cabeleireiro Larry Geller ganhou um conversível preto, Marty Lacker um sedã e seu amigo e braço-direito Joe Esposito levou para casa um conversível marrom;

– Durante a filmagem de “Easy Come Easy Go” em 1967, Elvis presenteou o ator Pat Harrington com um Cadillac marrom;

– No Natal de 1967, Elvis deu para sua mulher Priscilla um Fleetwood limusine (já modelo 1968). O amigo e disc-joquei George Klein ganhou um modelo 1968 nesse mesmo Natal;

  • em julho de 1973 Elvis gastou US$ 200 mil comprando 29 carros em uma semana, metade deles Cadillac;
  • Seu professor de karate, Kang Rhee, ganhou em 1973 um Eldorado branco, que no painel trazia uma plaqueta “To Master Kang Rhee from Elvis Presley” (“Ao mestre Kang Rhee, de Elvis Presley”). A mulher de Kang Rhee recebeu um igualzinho, da mesma forma que seu amigo Jackie Owens, disc-jóquei;

– Em 23 de setembro de 1974 Elvis comprou cinco Cadillac na Madison Cadillac, em Memphis, sendo um para ele mesmo, um para seu tio Vester Presley, outro para Marvin “Gee Gee” Gamble (seu primo), um para Barbara Klein (mulher  de George) e um Eldorado para Sonny West;

  • Em 17 de janeiro de 1975, adquiriu mais 11 carros na Madison Cadillac;
  • Em 27 de julho de 1975 Elvis voltou à Madison Cadillac e gastou US$ 140.000 na compra de 14 Cadillac para amigos, familiares e uma fã negra que estava observando a movimentação na porta da concessionária, Mennie L. Person. Elvis a chamou para dentro da loja e mandou que escolhesse um carro. Mennie se encantou com um Eldorado 1975 branco e dourado, que custou na época US$ 11,5 mil;
  • O dono da Madison Cadillac, Bob Brown, entregou a Elvis uma placa de “World’s Best Car Buyer” (“Melhor Comprador de Carros do Mundo”), gravada com os nomes de 31 pessoas que ganharam carros do cantor;

– Elvis deu um Fleetwood Brougham 1975 para o Dr. George Nichoupoulos, o médico que lhe prescrevia remédios e que para muitos foi o responsável por sua morte. Esse carro foi visto anos depois em exposição pela Europa. No mesmo ano Elvis comprou um Seville azul 1975 para seu empresário, Tom Parker, na Jack Kent Cadillac, de Denver;

  • em agosto de 1975 Elvis presenteou Marty Lacker com um Cadillac 1976 laranja. Nesse mesmo ano, a segunda mulher de seu pai ganhou um Eldorado conversível azul claro de interior branco;
  • em janeiro de 1976, quando esquiava em Vail, Colorado, Elvis foi às duas da manhã na Jack Kent Cadillac e comprou carros para os policiais de Denver Ronald Pietrafeso e Jerry Kennedy (que cuidaram de sua segurança), para Bob Cantwell, Linda Thompson (sua namorada), para a mulher de Sonny West (Seville 1976 branco com interior azul claro), para Shirley Dieu, namorada de Joe Esposito. No dia seguinte mandou entregar um Seville de presente para o âncora local da NBC, Don Kinney, que brincara com a generosidade de Elvis no dia anterior (“Hei Elvis, se estiver assistindo, não esqueça do meu carro”) , numa matéria sobre a compra dos Cadillac. Este veículo, placa SN 3726, foi pouco usado e acabou doado para o Forney Museum of Transportation, em Denver, onde está exposto;
  • Em dezembro de 1976 Elvis comprou para sua nova namorada, Ginger Alden, um Seville. Seu joalheiro, Lowell Hays, ganhou um Seville 1977;
  • Durante os 14 anos em que trabalhou para Elvis, a cozinheira Mary Jenkins ganhou seis carros, sendo três Cadillac. Jerry Schilling, amigo e assistente do cantor, recebeu três Cadillac de Elvis. A vocalista Myrna Smith (do “Sweet Inspirations”, grupo vocal que acompanhava o cantor) ganhou um Eldorado 1975 branco com a placa LDY BLU (“Lady Blue”).

O PINK CADILLAC

     O mais famoso de todos os Cadillac comprados por Elvis é o famoso Pink Cadillac, que ele presenteou sua mãe e se transformou num ícone da cultura popular norte-americana. Em geral é feita a associação entre o Cadillac 1959 e o cantor. Mas naquele ano ele estava no exército, longe de casa na Alemanha, e o único ano em que ele não comprou o luxuoso modelo foi justamente 1959. Por mais que se procure, não há registro algum de que ele tenha comprado um modelo de 1959.

     O cantor adquiriu seu primeiro Cadillac em 1955, modelo do ano anterior, que foi pintado de cor de rosa e serviu de transporte para ele e seu grupo, o “Blue Moon Boys”, nas primeiras apresentações pelo sul dos Estados Unidos. Em 5 de junho os freios do carro falharam numa viagem entre Hope e Texarcana (Arkansas). O acidente foi inevitável e o carro pegou fogo.

     Exatamente um mês depois, em 5 de julho, Elvis comprou um Fleetwood Serie 60 azul com teto preto. Por coincidência, na música “Baby Let’s Play House” há uma referência sobre seu Pink Cadillac, e esta foi a sua primeira canção a figurar na lista das mais vendidas da Billboard Country Singles. O novo Cadillac foi levado à oficina Art, em Memphis, e recebu pintura pink, cor customizada e batizada de “Elvis Rose”; o teto continuou preto. Depois que ficou pronto, Elvis presenteou sua mãe Gladys, que jamais teve carta de motorista e nunca dirigiu.

     Elvis dirigiu o carro com sua banda em turnês entre 1955 e 1956. Em 2 de setembro de 1955, perto de Texarkana (Texas), estava sendo dirigido pelo guitarrista Scotty Moore que bateu numa pickup, causando cerca de US$ 1 mil de estragos (uma fortuna na época). Elvis estava rico, havia assinado com a RCA, e, em março de 1956  mandou trocar a tapeçaria, retocar a pintura e pintar teto de branco.

No início dos anos 1960, o Cadillac parado na garagem de Graceland.

 

     Quando voltou do exército em 1960, sua mãe havia morrido há dois anos e Elvis matou a saudade do Cadillac em longos passeios por Memphis. O carro sempre foi cuidado pessoalmente pelo cantor, que jamais cogitou se desfazer dele. Está exposto hoje em Graceland, em estado de zero quilômetro, como Elvis o deixou.

     Em junho de 2006, foi tirado do museu e levado à frente da mansão, pois o primeiro ministro de Japão Junichiro Koizumi (fã de Elvis) estava visitando os Estados Unidos e quis conhecer Graceland e o famoso carro de seu ídolo. O visita foi acompanhada pelo presidente George Bush.

Koizumi e Bush em Graceland; ao fundo, o Cadillac rosa.

      Em 2006, a empresa que cuida dos negócios que envolve a marca Elvis Presley junto com o empresário Stewart Krentzman, encomendou uma cópia exata desse Cadillac, que hoje é usada em atividades beneficentes de combate ao câncer. O documentário “Elvis 200 Cadillacs” mostra muito destas histórias sobre a generosidade de Elvis Presley, o verdadeiro mão-aberta do rock.

 

Elvis Cadillac

(Rickie Lee Jones)

Wrote a letter to my father
I thought I’d tell him where I am
I knew that he was hoping
I’d come home again

I’m standing in the doorway
But I’m happy living here
Everybody always tries so hard
To sing a song no one can hear
And yes, my heart was broken
Yeah but I made it through the night
Little Janis Joplin she’s got a job on the corner bar
So I guess where doing alright

I got used to all that swimming
I said come on in the water’s fine
And I know you don’t remember me
But I’ve seen you, seen you many times

Yes my heart was opened
No, no I don’t look back
Because I’m riding around heaven
In Elvis Cadillac
Riding around in heaven
In Elvis Cadillac

Yes my heart was opened
And no, I never look back
Hey, I’m riding around heaven
In my Elvis cadillac
Riding around in heaven
In Elvis Cadillac
In Elvis Cadillac
In Elvis Cadillac

 


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español