Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Em breve, pneus feitos de madeira; soja já é realidade

Compartilhe!

Os pneus têm grande impacto no meio ambiente, da construção ao descarte, e o futuro deste componente, que é essencial nos automóveis, pode passar pela madeira. Como? A receita passa pela substituição de elastômeros à base de óleo por ingredientes vindos da madeira. No futuro, poderemos circular com “pneus de madeira”. A soja, por exemplo, já é usada.

A Michelin procura encontrar uma solução para pneus sustentáveis para o meio ambiente, investigando a aplicação de madeira para a produção deste componente. Segundo explica o site australiano Motoring, a empresa francesa pretende substituir os elastômeros à base de óleo -polímero que apresenta propriedades elásticas– por ingredientes da madeira. Atualmente, cerca de 80% dos materiais dos pneus provém do óleo. A Michelin espera mostrar os primeiros “pneus de madeira” por volta de 2020.

“Temos um projeto que trabalha com lascas de madeira. Vamos utilizar os desperdícios da indústria da madeira para criar elastômeros para serem usados nos pneus”,  explicou Cyrille Roget, Diretor Internacional de Comunicação Científica e de Inovação da Michelin. “Acreditamos que esta é uma boa solução para o futuro” , acrescentou.

A Michelin tem pesquisas acontecendo aqui no Brasil, com a empresa estudando um modelo de plantação que permite o crescimento de bananas e de cacau em paralelo à borracha. A empresa coloca também em hipótese a ideia de impressão de pneus em 3D, uma realidade ainda remota.

“Estamos trabalhando para desenvolver a impressão de borracha ou a impressão de polímeros”, explicou Roget, ressalvando que esta tecnologia ainda se encontra numa fase inicial. “Precisa ser industrializada e pronta para o futuro”, sublinhou. A ideia é simples: garantir desempenho equivalente ao dos pneus constituídos por este novo material em relação aos materiais utilizados tradicionalmente. Desta forma, também os pneus se tornam sustentáveis para o ambiente.

SOJA

Permitindo ganhos em termos ambientais e também em nível da segurança, os pneus Goodyear com soja são mais um exemplo da procura contínua por materiais mais ecológicos na indústria automotiva.

A Goodyear anunciou ter dado início à fabricação de pneus com óleo de soja, explicando tratar-se da primeira utilização comercial neste campo de um composto à base desta matéria-prima. Além de significar a introdução de um material mais sustentável, esta inovação representa também benefícios em nível da segurança, pois a soja consegue maior amplitude de utilização ao revelar-se eficaz nas mais distintas condições atmosféricas.

A introdução dos pneus Goodyear com soja demonstra também como o mundo do automóvel continua à procura de reduzir os danos ambientais que causa, com a utilização de materiais mais sustentáveis, como demonstram também outros projetos, como a utilização do bambu e agave por parte da Ford.

A Goodyear explicou que as vantagens ambientais são oferecidas pelo fato deste material ser natural, rentável, neutro em termos de carbono e renovável. O óleo de soja oferece vantagens em nível da produção, pois mistura-se mais facilmente com os compostos de sílica utilizados na fabricação de pneumáticos.

Mas a soja é também mais eficaz na principal tarefa deste componente, pois os pneus Goodyear com soja também significam maior aderência com o piso. Segundo a marca, este óleo vegetal ajuda a manter a borracha sempre flexível quando ocorrem mudanças de temperatura, algo decisivo para garantir a máxima aderência nas diversas condições de piso, em asfalto seco ou molhado e mesmo nas mais complicadas condições de inverno.

A Goodyear afirma que estes pneus com soja são mais um passo na pesquisa de novos materiais para os seus produtos. Além deste óleo, anteriormente foram alcançados benefícios com as cinzas de casca de arroz, a fibra de carbono, a areia vulcânica e até o kevlar, utilizado em blindagens e coletes à prova de bala, por exemplo.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *