Esta é a Ferrari 296 GTS, V6 híbrida de 830 cv

Compartilhe!

A Ferrari apresentou a 296 GTS, evolução mais recente do conceito de berlinetta de dois lugares com motor médio traseiro. O esportivo usa o novo motor V6 turbo (cilindros a 120°) de 663 cv acoplado a um motor elétrico, capaz de entregar um adicional de 167 cv. 

Da Redação

Oficial!: Este é o Ferrari 296 GTS, um V6 híbrido plug-in a céu aberto

Este é o primeiro motor de seis cilindros em um spider da marca. Seus 830 cv garantem um desempenho incomparável, mostrando um som inovador, sempre emocionante e diferenciado, ainda mais aprimorado pela possibilidade de apreciá-lo também a céu aberto.

Ferrari 296 GTS

A escolha do nome do carro -que surge dos dois primeiros dígitos de seu deslocamento total (2.992 cm3) mais seu número de cilindros, e seguida pela sigla GTS (Gran Turismo Spider- honra a melhor tradição esportiva da Ferrari”.

A primeira Ferrari equipada com um V6 (na época em configuração de 65° e com cilindrada total de 1.500 cm3) data de 1957 e é a Dino 156 F2 de pista. No ano seguinte, mais dois V6 com motor dianteiro, as 196 S e 296 S, foram montados em alguns protótipos esportivos com motor dianteiro, bem como o carro de Fórmula 1 “246 F1”, que em 1958 levou Mike Hawthorn à vitória no Mundial de Pilotos.

O sistema elétrico híbrido plug-in (PHEV) da 296 GTS garante excelente desempenho, respostas imediatas e 25 km de autonomia totalmente elétrica.

O teto retrátil rígido (RHT) garante grande conforto a bordo. Com o teto, recolhido ele garante ao carro linhas ainda mais esportivas, enquanto com o teto fechado o visual permanece muito fiel ao da 296 GTB. A operação leva apenas 14 segundos para abrir ou fechar, e pode operar em movimento até 45 km/h.

A 296 GTS também está disponível na versão Assetto Fiorano, para quem deseja aumentar ainda mais seu desempenho, especialmente na pista, graças à redução de peso e modificações aerodinâmicas.

O powertrain é composto por um motor de combustão interna V6 turbo, que fornece torque e potência para as rodas traseiras, graças ao câmbio DCT de 8 marchas, juntamente com a unidade elétrica MGU-K colocada entre o motor e a caixa de câmbio, alinhada com o motor térmico. A embreagem, localizada entre o motor térmico e o motor elétrico, gerencia a dissociação de ambos os elementos em condições de operação elétrica. A bateria de alta tensão e o inversor que alimenta os motores elétricos completam o powertrain do carro.

Esta Ferrari 296 GTS entra no segmento de berlinetta esportiva com opções aerodinâmicas radicais e inovadoras. O turbocompressor permite que componentes críticos de geração de calor se concentrem na parte superior e central do capô, para melhor gerenciamento térmico do compartimento e componentes elétricos.

Na 296 GTS, o uso de um dispositivo aerodinâmico ativo não se destina a gerenciar a resistência, mas gerar carga adicional. A asa traseira ativa da 296 GTS, inspirada na da LaFerrari, gera grande carga traseira quando necessário, equivalente a um máximo de 360 kg a 250 km/h na configuração High Downforce e na versão Assetto Fiorano.

Um seletor para o gerenciamento de fluxos de energia chamado “eManettino” também foi instalado na 296 GTS, juntamente com o controle giratório tradicional para controles de dinâmica do veículo. O eManettino inclui quatro modos de operação, que podem ser selecionados por meio dos controles do volante:

  • eDrive: o motor térmico é desligado e a tração é confiada ao eixo traseiro; com a bateria carregada, permite que você rode no máximo 25 km a uma velocidade não superior a 135 km/h
  • Híbrido (modo padrão): os fluxos de energia otimizam a eficiência do sistema e a lógica de controle decide independentemente se liga ou desliga o motor térmico. Se ligado, este último pode oferecer potência máxima e desempenho
  • Desempenho: o motor de combustão interna está sempre ligado e favorece a manutenção da carga em eficiência, para garantir a plena disponibilidade de energia. Este é o modo preferido quando você quer priorizar emoções ao volante
  • Qualificar: Prioriza o máximo desempenho para manter a carga da bateria

Ferrari 296 GTS – FICHA TÉCNICA

MOTOR

Tipo: V6 – 120° – turbo

Deslocamento total: 2992 cm3

Diâmetro e curso: 88 mm x 82 mm

Motor térmico: potência máxima de 663 cv a 8000 rpm.

Motor híbrido: potência máxima de 167 cv, totalizando 830 cv a 8000 rpm.

Torque máximo: 74 mkgf a 6250 rpm

RPM máxima: 8500

Taxa de compressão: 9.4:1

Capacidade da bateria de alta tensão:

: 7,45 kWh

DIMENSÕES E PESO

Comprimento: 4565 mm

Largura: 1958 mm

Altura: 1191 mm

Distância entre-eixos: 2600 mm

Bitola dianteira: 1665 mm

Bitola traseira: 1632 mm

Peso:1540 kg

Relação peso/potência: 1,86 kg/cv

Distribuição de pesos: 40,5% d/59,5 % t

Capacidade do banco traseiro: 49 litros

Tanque de combustível: 65 litros

PNEUS E RODAS

Frente: 245/35 ZR 20, rodas 9×20

Traseira: 305/35 ZR 20, rosas11x20

FREIOS

Frente: 398 x 223 x 38 mm

Traseira: 360 x 233 x 32 mm

TRANSMISSÃO E CÂMBIO

Transmissão de dupla embreagem, câmbio de 8 velocidades

CONTROLES ELETRÔNICOS

eSSC: eTC, eDiff, SCM, FDE2.0, EPS, ABS Evo, sensores 6w-CDS; ABS/EBD com recuperação de energia

DESEMPENHO

Velocidade máxima: 330 km/h

0-100 km/h: 2.9 s

0-200 km/h: 7.6 s

Frenagem 200-0 km/h: 107 m

Volta mais rápida em Fiorano: 1m 21. 80s


Compartilhe!
简体中文 简体中文 English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano 日本語 日本語 Português Português Español Español