Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Fábrica da Alfa Romeo em Arese está abandonada

Compartilhe!

Abandonada há 14 anos pela Fiat, a fábrica da Alfa Romeo de Arese, na Itália, está no estado lamentável que as fotos de Andrea Tampinaro mostram. Uma pena!

a5

 Nascida “Anónima Lombarda Fabbrica Automobili”, A.L.F.A., em 24 de junho de 1910, em Milão, a marca cabou nas mãos do Estado italiano entre 1932 e 1986, tendo sido adquirida pelo grupo Fiat em 1986. Em 2007 foi transformada em Alfa Romeo Automobiles S.p.A., subsidiária do Fiat Group. Mas antes, a Alfa conheceu a adição do nome Romeo, quando em agosto de 1915, Nicola Romeo assumiu a direção da empresa, mudando o nome para Alfa Romeo em 1920. O resto é história…
A Alfa Romeo é conhecida de várias formas. Uma delas é como a “marca do Biscione”, pois o símbolo da Alfa Romeo é composto pelo Biscione, emblema da casa de Visconti e que figura ao lado da cruz vermelha em fundo branco, símbolo da cidade de Milão. O logo da Alfa Romeo conheceu muitas versões, uma delas com os nós da dinastia de Savoy, homenageando o rei de Itália, e uma coroa de louros para lembrar as vitórias nas pistas. Esses emblemas desapareceram com o fim da monarquia e, nos últimos tempos, a bandeira de Milão e o Biscione –que, curiosamente, está engolindo um mouro, está desenhado num circulo azul com as palavras Alfa Romeo.

A outra forma como a Alfa Romeo é lembrada é por Arese. Depois da fundação em Milão, o local mais importante para a empresa foi Arese, onde foi erguida a unidade de produção em 1963, substituindo a fábrica de Portello. A marca foi sobrevivendo a todos os problemas e em Arese, em 1974, existiam 22 400 pessoas trabalhando na produção das Alfa Romeo. Foi na década de 1970 que começou o declínio da montadora de Arese, que depois de estar sob comando do governo italiano por meio do “Instituto per la Riconstruzione Industriale”, passou para as mãos da Fiat em 1986. A reestruturação da marca provocou milhares de desempregos e, um ano, restavam 16 mil pessoas na fábrica. Em 1997 esse número caiu para quatro mil…

A produção foi diminuindo e, diante desse cenário, a Fiat decidiu voltar a reestruturar a Alfa Romeo, e em 2000 veio a decisão: 37 anos depois de ter sido construída, a fábrica de Arese e o seu terreno de 2.000.000 m2 foi desativada e abandonada, tendo o GTV sido o último modelo ali produzido. 

Os proprietários do terreno, a Finiper –mega grupo italiano de distribuição e com interesses no ramo imobiliário, além de dono dos hipermercados Iper– já anunciaram muitos projetos, como a recuperação da pista de testes, de todos os edifícios e a construção de um centro tecnológico, e ainda uma resestruturação mais profunda para abrir durante a Expo 2015.  Depois esteve previsto o nascimento de um centro comercial com 77 mil m2, conhecido como “Arese Shopping Center”, com projeto do arquiteto Michele de Lucchi, projeto apresentado em 2012. Mas até agora, nada. 

As fotos de Andrea Timpanaro documentam o estado a que chegaram as instalações da Alfa Romeo em Arese que, nos últimos tempos, ao invés de máquinas para dar um novo impulso à região, tem assistido apenas a presença de trabalhadores que têm retirado entulho e trocado vidraças para que o terreno sirva de estacionamento para a Expo 2015, com capacidade para 10 mil carros.

As imagens impressionam e são o retrato do que é hoje a Alfa Romeo, uma marca toda descaracterizada, esquecida e quase abandonada. Tal como a sua emblemática fábrica de Arese, não pára de ter projetos de revitalização que ficam apenas na conversa, um amontoado de promessas não cumpridas. Uma pena…


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español