Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Fórmula 1: pai de Jules Bianchi perdeu a esperança

Compartilhe!

(FILES) A file picture taken on March 2, 2013 at Catalunya's racetrack in Montmelo, near Barcelona, shows Marussia's F1 French driver Jules Bianchi during the Formula One test days.   AFP PHOTO/ JOSEP LAGO

Philippe Bianchi, pai do ex-piloto francês Jules Bianchi, admitiu perda de esperança e pessimismo diante da incerteza de recuperação do filho, por conta do grave acidente no GP do Japão do ano passado. Bianchi, de 25 anos, está em coma profundo há nove meses, num hospital, em Nice, sul da França. A família tem acompanhado a situação de perto, mas o pai não esconde que a situação “é uma tortura diária”.

“É muito pior do que se Jules já tivesse falecido”, admitiu a jornalistas franceses. “Nos primeiros três meses, depois do acidente, ainda tivemos esperança de que a situação melhorasse, mas agora sentimos que não podemos fazer mais nada”, lamentou.

Philippe Bianchi entende que, caso Jules acordasse, essa situação traria bastantes complicações, pois “ele ia sentir grandes dificuldades e limitações”. “Não poderia voltar a competir, seria muito difícil para o Jules aceitar essa realidade, as corridas foram sempre a sua vida”, lamentou.

Bianchi, cujo carro se chocou contra uma grua que removia o Sauber de Adrian Sutil, sofreu a mais grave lesão na Fórmula 1 desde a morte de Ayrton Senna em Imola, em 1994. O promissor piloto sofreu uma “lesão axional difusa”, uma das formas mais graves de traumatismo cerebral, e permanece em coma, respirando sem assistência.

Como no caso de Michael Schumacher, há menos de 1% de possibilidade de que ele se restabeleça.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español