Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Fraudes: chegou a vez da Suzuki…

Compartilhe!

A Suzuki reconheceue ter usado métodos “diferentes” dos regulamentares para obter os resultados de consumos de 16 dos seus modelos comercializados no mercado japonês. Mesmo assim, a marca afirma que testes feitos com a metodologia correta revelam que não é necessário -segundo ela- alterar os dados aferidos inicialmente.

Suzuki_Logo

O quarto maior fabricante de automóveis do Japão revelou também que o método fraudulento remonta a 2010 e que cerca de 2,1 milhões de veículos foram afetados -Alto, Wagon R, Hustler, Spacia, Every, Carry, Jimny, Solio, Ignis, Baleno, SX4, Swift e Escudo- mas destaca que nenhum destes foi comercializado fora do território japonês.

“A empresa pede desculpas pelo fato de não termos seguido os regulamentos locais”, afirmou aos jornalistas Osamu Suzuki, chefão da empresa, que assegurou também que os  funcionários da empresa não usaram intencionalmente os dados manipulados.

A Suzuki, que detém cerca de um terço do mercado dos carros urbanos do Japão (atrás da Daihatsu) e se especializou em modelos com motores até 660 cm3 para assim se beneficiar de tratamento fiscal especial, afirmou que não espera grandes impactos negativos nas vendas.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español