Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Heigo-Porsche e o quarteto fantástico

Compartilhe!

O Heigo-Porsche 911 SC 1979 é um modelo que ficou na história do automóvel. Foi construído para competir em provas de rali e foi pilotado por Walter Röhrl em 1980. Infelizmente, devido a dificuldades financeiras, o seu construtor, Dieter Röscheisen, precisou vende-lo em 1981. Dieter não era um mero curioso, pois foi técnico da equipe Sauber de Fórmula 1, e por isso o seu Porsche 911 era um carro temido.
 

O Heigo-Porsche 911 SC foi encontrado tempos depois por Stephen Davies abandonado e descaracterizado num estacionamento público na Inglaterra. Sem saber o que tinha nas mãos, restaurou e pintou o carro com as cores da Rothmans. Levou-o assim a vários eventos de carros clássicos, até que alguém perguntou qual seria a decoração original que estava debaixo das cores da Rothmans.

Foi então que começou a pesquisar e descobriu as cores azul Petrol e o branco Grand Prix, iguais às utilizadas no Heigo-Porsche que Walter Röhrl utilizou em 1980. Davis entrou em contato com Röhrl, para tentar checar a veracidade dos fatos, e o piloto alemão passou o contato de Dieter, o criador do modelo.


 
Dieter na verdade achava que já tinha perdido o carro, pois poderia ter sido desmontado ou se envolvido em um acidente, mas não. Foi então, que Dieter recebeu o telefonema tão esperado, em novembro de 2009. Um dos detalhes é que o Heigo-Porsche tinha vários componentes únicos, e o “santoantonio” tinha os pontos de solda que não eram iguais a mais nenhum Porsche 911 e, comparando com as fotos da época, com o automóvel que Stephen encontrou, eram exatamente iguais, não restando dúvidas sobre o fato de que, enfim, o original Heigo-Porsche foi encontrado.

Mas como este carro exclusivo foi parar na Inglaterra? Dieter era mecânico da Porsche desde 1976 e desenvolveu este carro para ralis, competindo com o seu amigo Klaus Hesse, em provas na Alemanha e outras internacionais. O problema é que gastaram muito dinheiro e então decidiram vender, para parar a aventura por ali. Foi o próprio Walter que conseguiu um comprador, um senhor britânico. Depois disso não se sabe da história do carro e nem do motivo que levou alguém a abandonar um carro de rali num estacionamento.



Por se tratar de um exemplar único, Stephen decidiu devolver o automóvel à condição original, tal como Dieter o construiu, incluindo a pintura. Depois disso, Stephen fez uma viagem de 1800 km e 30 horas até a Baviera, para se juntar a outros três Heigo-Porsche, construídos anos mais tarde, sendo por isso considerados réplicas.

A primeira réplica foi construída por Rafael Díez, batizando-o de Heigo-Porsche II. Os outros dois foram construídos por encomenda pela mesma pessoa, em 2013, para Klaus-Jürgen Orth e Udo Müller. Estes últimos dois estão equipados com o motor 3.400 cm3, entregando 340 cv, e são chamados por Heigo-Porsche 911 SC RS Evo III. O modelo original tinha 278 cv, com a injeção Bosch K-Jetronic que foi substituída por uma mecânica.

Röhrl esteve presente no primeiro encontro dos quatro Heigo-Porsche, para recordar aquele distante ano de 1980.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *