Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Holanda também vai proibir motores a gasolina e diesel

Compartilhe!

Alemanha, França (em especial Paris), Reino Unido e Estados Unidos (em especial a Califórnia). Um ponto que une estes países, no que diz respeito à indústria automotiva, é o anúncio da intenção de proibir a venda de motores a combustão, a gasolina e a diesel, estabelecendo uns datas limite mais próximas do que outros. A Holanda é o mais recente integrante desse grupo, ao divulgar que, em 2030, não serão mais vendidos carros com motores a combustão naquele país.

A Holanda já tinha manifestado o projeto de reduzir os níveis de C02 em cerca de 49% até 2030. Para cumprir a meta, o governo holandês confirmou os planos de proibir a venda de carros novos com motores de combustão interna, a gasolina e diesel. O prazo de proibição é, desta forma, mais reduzido do que a previsão de 2040 dada pela França e pelo Reino Unido e igual a uma suposta data prevista pela Califórnia, ainda que careça de confirmação. Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel não definiu uma data, apesar de estar de acordo com a ideia.

 

Estabelecendo datas mais precisas, os governos de vários países vão aceitando e revelando intenções cada vez mais seguras de diminuir os danos ecológicos do seu parque automotivo. No caso da Holanda, para preparar a transição para o uso de energias mais limpas, o governo prepara um investimento de US$ 110 milhões em infraestruturas para bicicletas, além dos já existentes subsídios para aquisição a veículos elétricos, automóveis com que a China também conta para reduzir emissões.

Outra das medidas previstas pelo governo holandês é o encerramento de todas as usinas de energia movidas a carvão que operam no país, para diminuir emissões poluentes.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español