Slide

Impressionante: lucro da BYD aumentou 205% no primeiro semestre

Compartilhe!

Os chineses não estão apenas ensinado a indústria automotiva a fazer carros, mas também está mostrando como se faz a gestão de negócios. A fabricante de veículos elétricos chinesa BYD -que está operando com enorme sucesso no Brasil- obteve lucros líquidos de US$ 1,5 bilhões no primeiro semestre do ano, aumento de 205% em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo resultados que acabaram de ser divulgados.

por Marcos Cesar Silva

Na demonstração dos resultados, enviada à Bolsa de Valores de Hong Kong –onde está cotada-, a empresa informou que o volume de negócios aumentou 72,7%, para US$ 28,2 milhões “O grupo alcançou desenvolvimento substancial dos seus negócios, apesar da concorrência cada vez mais acirrada”, afirmou a BYD ao analisar o desempenho nos setores automóvel e produção de baterias. A empresa destacou ainda que a sua quota no mercado dos veículos elétricos aumentou 6,5%, passando para 33,5%, mantendo a posição de liderança em nível global.

A subsidiária de fabricação de componentes e montagem de celulares e outros dispositivos do Grupo, a BYD Electronics, anunciou também um acordo para comprar, por cerca de US$ 2 bilhões, duas fábricas na China da empresa norte-americana Jabil, do segmento da indústria transformadora.

As instalações incluídas no acordo são as fábricas de peças para celulares da Jabil nas cidades de Chengdu e Wuxi, que vão servir para fortalecer a presença da BYD Electronics naquele setor e melhorar a sua estrutura de clientes e produtos, segundo a empresa. A Jabil é a quarta maior fornecedora de serviços para fabricação de produtos eletrônicos no mundo, enquanto a BYD Electronics ocupa o sexto lugar, sendo a única empresa chinesa nesse “Top 10” tecnológico.

No ano passado, foram vendidos na China quase seis milhões de carros elétricos, mais do que em todos os outros países do planeta juntos. A dimensão do mercado chinês permitiu a ascensão das marcas locais, que ameaçam agora o status de uma indústria automotiva acomodada há décadas e dominada pelas fabricantes alemãs, japonesas e norte-americanas.

No primeiro semestre de 2023, a exportação de automóveis da China para o resto do mundo aumentou 75,7%, segundo dados da Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis.

Desse número, cerca de 534 mil unidades eram carros elétricos, cujas vendas para o exterior aumentaram 160%, em relação ao mesmo período de 2022.


Compartilhe!
1716502147