5 SUVs top de linha que abalaram o mercado em 2016

Por um tempo o mercado dos SUVs parecia definhar. Eram veículos grandes, beberrões, poluidores e ocupavam muito espaço nas ruas, representando ainda grande ameaça em colisões com carros menores. De uns tempos para cá tudo mudou. O mercado dos SUVs e Crossovers (outro nome que se dá para as SUVs) segue firme rumo a recordes de vendas, esmagando segmentos outrora dominantes, como o das minivans e wagons. Hoje despojados dos pesados sistemas de tração integral que permitam escalar paredes, os atuais SUV servem para uso no dia a dia, passeios e viagens. Alguns modelos surgiram em 2016 no mercado mundial, e agora figuram entre os melhores carros top de linha do planeta. Confira:

Alfa Romeo Stelvio

O nome deste SUV diz tudo. Stelvio é o nome de uma estrada italiana, a “Passo di Stelvio”, que fica nas montanhas Dolomite, e deixa claro que a marca quer atacar sem piedade modelos como o BMW X3, Audi Q5, Mercedes GLC e Porsche Macan. Feito com base no Giulia (a plataforma, mecânica e motores são os mesmos), o Stelvio tem interior ao da Giulia, mas com alterações nos bancos, instrumentos e altura em que ficamos acomodados. Não espanta que o comportamento seja de elevado nível e que o Stelvio possa, mesmo, incomodar os lideres do segmento. A versão Quadrifoglio com o motor 3.9V6 de 510 cv será o diferencial, embora as versões com os motores diesel, particularmente o de 180 cv, estejam frente para garantir o volume de vendas. Com estilo sedutor típico dos Alfa Romeo, o Stelvio é mais uma das ofensivas da casa italiana que promete muito na busca do ressurgimento da marca.

Audi SQ7

Não será um campeão de desempenho e nem será um “case” de vendas. Porém, o SQ7 é um verdadeiro compêndio tecnológico, que traz várias tecnologias que serão comuns nos próximos anos. Encerradas numa carroceria agradável, que disfarça suas dimensões muito generosas, o SQ7 está equipado com motor 4.0V8 TDI cujos turbocompressores (isso mesmo, são dois) recebem a ajuda de um outro compressor alimentado por sistema elétrico de 48 volts. Graças a isso, tem barras estabilizadoras ativas que melhoram, muito, o comportamento do SUV. No interior, estamos onde a Audi melhor trabalha, com conforto, qualidade, ergonomia irretocável e enorme sensação de bem-estar. Os 435 cv do 4.0V8 TDI garantem aceleração de zero a 100 km/h em 4,9 segundos, com um consumo médio de 13 km/litro.

Bentley Bentayga

Com preço de US$ 330 mil, o Bentayga está longe de ser um SUV acessível aos mortais, e o motor W12 é um acinte no consumo (5 km/litro). Mas quem paga esse preço se preocupa em último lugar com o consumo. Este modelo de 2,5 toneladas significa a rendição da tradição britânica (com toque alemão) e à primeira utilização do símbolo da Bentley num SUV. Impossível para a maioria dos bolsos de todo o planeta, o Bentayga impressiona porque é capaz de acelera de zero a 100 km/h em apenas quatro segundos, além de ter reais capacidades para enfrentar o fora de estrada. Se bem que levar quase US$ 330 mil para passear na lama, sujar, riscar e bater em pedras e galhos é um profundo disparate. Mas fica a certeza de que, se preciso, o Bentayga consegue.

Lexus RX

Rival do BMW X5 Hybrid, por exemplo, o mais recente SUV da Lexus mostra estilo arrojado e diferente dos rivais, além de contar com motorização híbrida composta por um 3.5V6 a gasolina e dois motores elétricos, um para cada eixo. A potência combinada vai além dos 300 cv, mas não sendo um “Plug-In” as baterias se recarregam por meio da energia cinética produzida pelo próprio veículo, significando com isso que é mais econômico na cidade do que em estrada, onde o V6 se mostra um tanto beberrão. Confortável, atraente, bem equipado e com capacidade para andar bem no fora de estrada, o Lexus RX acaba sendo prejudicado apenas pelo sistema híbrido não ser “Plug-In”.

maserati-levante-2017-1600-05Maserati Levante

Parece uma heresia, mas é sinal dos tempos e das exigências do mercado. Levou algum tempo para este SUV chegar, desde a apresentação do conceito Kubang em 2003, época em que uma marca esportiva apresentar um SUV era apenas ousadia e qualquer coisa debaixo do capô que não fosse um V8 era desgraça pura. Hoje qualquer marca tem que ter um SUV em seu portfólio para sobreviver, e os motores, mesmo nos modelos top de linha, não são obrigatoriamente, grandes ou esbanjadores de potencia. O tempo que passou desde o Kubang foi usado pela marcade forma inteligente e o Levante é um Maserati como se deve, com muito know how e componentes da Jeep, agora parte da mesma casa, a Fiat Chrysler Automobiles. Rápido, confortável, com bom aspecto e o tridente brilhan do e intimidando na grade dianteira, o Levante é rival do Porsche Cayenne, BMW X5, e do Mercedes GLE Coupe. A base é a mesma do Ghibli, as suspensões foram modificadas de acordo com as novas especificações do modelo e debaixo do capô ronrona o V6 biturbo Ferrari de 450 cv, embora esteja disponível também um V6 diesel de 280 cv.

Tags:

 

Sobre o Autor

Mais posts por | Visite o site de RICARDO CARUSO