LANÇAMENTO: Peugeot 3008 agora é SUV

Se alguma marca não tiver ao menos um SUV em seu portfólio, estará fora do jogo. E isso no mundo todo. A Peugeot, no mercado brasileiro, estava limitada à minivan 3008, que era quase um SUV, mas longe do ideal. Com a chegada do 3008 de segunda geração, ingressa com força no segmento e promete não dar sossego aos concorrentes.

Texto e fotos: Marcos Cesar Silva – viagem a convite da Peugeot

c5aaf16a-a46b-4217-a05a-6e503b72bc77

Importado da França, o SUV 3008 terá versão única com preço de R$ 136 mil. Usa o mesmo excelente motor THP do anterior, turbo a gasolina, 1.6 com injeção direta, potência máxima de 165 cv e torque máximo de 24,5 mkgf. A tração é dianteira e o 3008 usa transmissão automática de seis marchas. A lista de equipamentos de série é longa.

lado

E com R$ 136 mil dá para incomodar os concorrentes? Com certeza sim. Seu principal rival no segmento é o Jeep Compass (R$ 125 mil o Limited 2.0 flex de 159/166 cv e R$ 133 mil o Longitude 4×4 2.0 turbodiesel de 170 cv). Mas também mira no Hyundai Tucson ( de R$ 138.900 a R$ 147.900) e Kia Sportage (R$ 140 mil). No mesmo segmento estão Honda CR-V, Hyundai iX35, Mitsubishi Outlander, VW Tiguan, Subaru Forester, Audi Q3 e Mercedes GLA.

O novo 3008 baseia-se na plataforma EMP2 (de Efficient Modular Plattform 2), já conhecida dos carros da PSA na Europa; aqui chegou com o Citroën C4 Picasso. É cerca de 100 kg mais leve que a anterior PF2, e pra essa dieta colaboraram os para-lamas dianteiros, braços de suspensão e estrutura do banco traseiro feitas de alumínio, mais a tampa traseira de material pástico.

O motor THP continua o mesmo, ainda muito atual e de bom rendimento, perfeitamente adequado aos 1.567 kg de peso do carro. É a opção de motor a gasolina mais potente disponível no mercado europeu. A marca não divulgou o desempenho no Brasil. Os números europeus indicam velocidade máxima de 205 km/h e aceleração de zero a 100 km/h em 9 segundos. Esses números devem cair um pouco aqui, por causa da qualidade da nossa gasolina.

O novo 3008 é um SUV é alto, largo e espaçoso. Em comparação com o anterior, é 8 centímetros mais longo e 6,2 cm maior no entre-eixos, mantendo basicamente a mesma altura e largura. Tudo isso transmite a sensação de robustez, necessária nesse segmento de mercado. As rodas são aro 19 calçadas com pneus 235/50, e os faróis -inclusive os de neblina e lanternas traseiras- são com leds.

O futurista seletor de marchas.

O futurista seletor de marchas.

No interior, o mesmo conceito já usado nos 208 e 2008, onde o grupo de instrumentos fica posicionado mais elevado e é visualizado por cima do volante. A diferença é que no lugar dos mostradores analógicos, é usada uma tela digital de 12,3 polegadas, que permite configurar as informações. Há até um conta-giros digital (mas que simula ponteiro) bem esportivo: o movimento é contrário, com o ponteiro subindo para a esquerda. Outra tela, de 8 polegadas, está no centro do painel e serve ao sistema multimídia, controlando áudio e conexão com smartphone (Android Auto, Apple Car Play e Mirror Link); não há GPS.

O volante é belíssimo, com seu formato e diêmetro pequeno. O acabamento agrada, com aplicação de materiais que simulam couro e alum”inio no painel. O console -também de desenho muito interessante- acomoda o botão da partida e a alavanca de transmissão bastante futurista.

Outros mimos são o freio de estacionamento com comando elétrico, todos os vidros com acionamento elétrico e one-touch, refrigeração no porta-luvas, espelhos retrovisores com rebatimento automático e retrovisor interno fotocrômico.

O espaço interno é muito bom, e os passageiros do banco traseiro contam com cinto de segurança três pontos e encosto de cabeça nas três posições. O porta-malas é grande, de 520 litros, que pode ser aumentado com o rebatimento do banco traseiro.

Resumindo, o novo Peugeot 3008 é mais do que apenas um corpinho bonito. Ele é muito competitivo na categoria, tem bom desempenho e é sofisticado e luxuoso, como exige esse tipo de consumidor. A Peugeot no Brasil sempre trabalhou e divulgou mal a imagem. O 3008 por isso significa para a marca mais uma tentativa de reconstruir a imagem da Peugeot no Brasil, desgastada por produtos com deficiências e erros no pós-venda, o que o consumidor não tolera.

A Peugeot sabe que não vai recuperar o terreno perdido nos últimos anos, a não ser que ofereça carros de qualidade com preços muito competitivos. O 3008 deixa claro que os franceses são capazes de entregar os melhores veículos de cada segmento sem que custem mais que seus concorrentes.

Para tentar reverter isso, está sendo usado um programa de maior atenção ao cliente na área de serviços (o Total Care), e pelo Renova Peugeot, que permite a recompra do carro no caso de troca a cada três anos.

E para animar ainda mais, os primeiros compradores do 3008 ganham de presente um patinete dobrável elétrico, o Micro E-Kick.

Tags:

 

Sobre o Autor

Mais posts por | Visite o site de RICARDO CARUSO