Passaralho chinês: Faraday demite 70% de seus funcionários

A chinesa LeEco, controladora da Faraday Future (empresa que vinha desenvolvendo carros elétricos e autônomos), demitiu 70% de seus funcionários nos Estados Unidos. A explicação: é preciso economizar.

lwoyuodpqsbo6devkfpf

De acordo com a imprensa norte-americana, dos 500 funcionários que a empresa empregava nos Estados Unidos, 325 receberam esta semana a notícia da sua demissão, depois de várias reuniões com sindicatos e representantes dos tralhadores.

O processo faz parte de uma nova política de contenção de gastos e cortes generalizados nas despesas, que a empresa adotou depois de sérios problemas financeiros, um dos quais provocados pela Faraday Future, responsável pelo gasto de cerca de US$ 1,5 bilhões de desde que iniciou suas atividades.

A nova estratégia da LeEco nos Estados Unidos passará por apostar na Leshi (conhecida como a “Netflix chinesa” e responsável pelo sucesso da empresa na China), para atender os lares de língua chinesa nos Estados Unidos, e aproveitar esse possível sucesso para alavancar as outras empresas sob o seu controle.

Sobre a sua divisão automóvel -a LeSee, que conta com a marca Faraday Future- a LeEco não revelou se continuará desenvolvendo seu veículo elétrico autônomo, nem se continuará a participar no desenvolvimento do Aston Martin RapidE, projeto que foi iniciado este ano.

Tags:

 

Sobre o Autor

Mais posts por | Visite o site de RICARDO CARUSO