Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Judo: a picape esportiva da Nissan que nunca chegou a ser produzida

Compartilhe!

 
 
A Nissan apresentou seis conceitos no Salão do Automóvel de Tóqio de 1987, mas um dos que mais chamou atenção foi o Judo, misto de automóvel alto de dois lugares e picape, com desenho que parecia uma carroceria de esportivo montada num chassi de Jeep Wrangler.
 

O Judo tinha 3990 mm de comprimento, 1600 mm de largura e 1580 mm de altura, que fazia com que fosse tão comprido e largo como um VW Golf MKII, mas mais alto. Tinha aspecto agressivo na dianteira, com enormes faróis de longo alcance nos lados da diminuta grade, um guincho escondido no para-choques traseiro e o estepe integrado na traseira. O teto foi desenhado para se mover para trás, dando aspecto futurista e estilo hatch targa ao carrinho. Os pneus eram de grandes dimensões, da Bridgestone, com rodas brancas de seis parafusos.

O interior tinha desenho simples, tendo todos os botões e alavancas na console, deixando o painel limpo, com duas saídas de ar retangulares. Tinha volante de três raios e painel de instrumentos analógico. Podia levar duas pessoas, sendo que o espaço atrás dos bancos poderia ser usado para levar mais duas pessoas, em viagens pequenas e desde que não fossem grandes.

O motor era 2.0 turbo de quatro cilindros, que entregava 210 cv a 6800 rpm e 26 mkgf a 3600 rpm, números que impressionam muito mais por ser um carro pequeno e do final dos anos 1980. A potência era transmitida às quatro rodas por meio de uma caixa de câmbio de cinco velocidades manual e incluía o sistema “Advanced Total Traction Engineering System for All-Terrain” da Nissan, o famoso ATTESA, conhecido no Nissan Skyline GT-R.

O Judo não recebeu o OK para entrar em produção, como era de esperar, mas serviu de inspiração para o Suzuki X-90 lançado em 1995.

O Suzuki X-90.

Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español