Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Kobe Steel: o maior escândalo da história do automóvel

Compartilhe!

Os últimos anos não têm sido fáceis para a indústria automotiva. Emissões de poluentes trambicadas, airbags defeituosos e agora o metal de milhões de carros pode estar comprometido. A japonesa Kobe Steel fraudou o aço e alumínio que vendeu à indústria automotiva, o que coloca em risco o produto e a segurança.

A Kobe Steel, uma gigante japonesa com mais de 100 anos de existência, admitiu ter falsificado os dados relativos às especificações do aço e do alumínio fornecidos à indústria automotiva, aeronáutica e até aos famosos trens-bala usados no Japão.

Na prática, a Kobe Steel garantia aos seus clientes que os metais correspondiam às especificações pedidas, mas os relatórios que atestavam isso eram falsificados. Em risco está a durabilidade e resistência dos materiais, fornecidos a mais de 500 empresas espalhadas pelo mundo nos últimos 10 anos.

Estas falsificações aconteciam essencialmente nos controles de qualidade e nos certificados de conformidade emitidos. Uma conduta que foi admitida pela própria empresa, num pedido de desculpas público, que pode ser lido aqui.

Ainda não se sabe o exato alcance deste escândalo. Até que ponto o aço e o alumínio fornecidos pela Kobe Steel divergem das especificações exigidas pelos clientes? Já houve alguma fatalidade decorrente de problemas com algum elemento metálico fraudulento? Ainda não se sabe.

Como explicamos antes, este escândalo não afetou apenas a indústria automotiva. A indústria aeronáutica também foi envolvida, pois empresas como a Airbus e Boeing constam da lista de clientes da Kobe Steel.

Na área de automóveis, aparecem nomes importantes como a Toyota e a General Motors. O envolvimento da Honda, da Daimler e da Mazda ainda está sendo apurados, mas poderão surgir outros nomes. De acordo com a Automotive News, os metais da Kobe Steel podem ter sido usados numa infinidade de componentes, incluindo blocos de motor e componentes de suspensão.

A preocupação das marcas envolvidas é, no mínimo, razoável. Mas por enquanto, não foram divulgados dados sobre se os metais com especificações e qualidade inferior estão comprometendo ou não a segurança de algum modelo. A Airbus já afirmou que, até agora, não encontrou nenhum indício que as suas aeronaves tenham algum elemento que coloque em risco a sua integridade.

Uma coisa é certa: as indenizações poderão causar a falência da Kobe Steel.
A ações da Kobe Steel desabaram, como primeira reação do mercado. Alguns analistas avançam com a possibilidade desta empresa -com mais de 100 anos e um dos gigantes da metalurgia no Japão- não resistir.

Os pedidos de indenização dos clientes que certamente ocorrerão colocarão em risco causa toda a operação da Kobe Steel. Pelo número potencial de veículos afetados, este escândalo irá se tornar o maior de todos os tempos na indústria automotiva.


Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español