Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

LANÇAMENTO: Ford Ecosport Storm 2.0

Compartilhe!

Para enfrentar concorrentes de peso como o Jeep Renegade, o Ford Ecosport voltou a disponibilizar a opção de tração integral no Brasil. As honras ficam para a nova versão Storm (que significa tempestade, em inglês). Esta versão relembra o mesmo nome de um conceito apresentado no Salão de São Paulo de 2014, e usa transmissão automática de seis marchas, ao invés da manual também de seis velocidades.

por Marcos Cesar Silva

A  ideia da Ford é clara: colocar o Storm na briga com dois SUVs 4×4: Renault Duster 4WD (R$ 89.290), que é um projeto romeno e com câmbio apenas manual, e o moderno Jeep Renegade 4×4 (R$ 110.290 o Custom), com câmbio automático e motor diesel, mas sem o volume de equipamentos do Ford. Assim, o Storm terá o apelo de ter, no segmento, tração 4×4, câmbio automático e motor flex.

O Storm é agora o top de linha do Ecosport no Brasil. Custa R$ 100 mil, mais que o Titanium (R$ 96.850). Da mesma forma que o ex-top de linha Titanium, o motor é o 2.0 com injeção direta.

Com o uso do motor de injeção direta, o Storm ficou exatamente 28 cv mais potente que o antigo 4WD e ganhou 15% em torque, o que não é pouco. Foi de 141/147 cv e 19/19,7 mkgf para 170/176 cv e 20,6/22,5 mkgf (gasolina/etanol).

A transmissão automática usa a caixa 6F35, que permite mudanças de marcha também pelas “borboletas” junto ao volante. Com a caixa automática e aumento de peso de 65 kg, o carro mesmo com o motor 2.0 novo ficou só um pouquinho mais rápido que o antigo 4×4: acelera de zero a 100 km/h em 10,7 segundos, e antes fazia o mesmo em 10,9 segundos.

A suspensão traseira é independente multilink, no lugar do eixo de torção do Ecosport 4×2. As molas passam a ser progressivas e a dianteira ganhou 17 mm em curso. Ela foi recalibrada para melhorar o conforto e filtrar mais os impactos e asperezas do piso. Segundo a Ford, houve redução de vibrações de alta e baixa frequência no volante, e também 18% no assento (grandes amplitudes) em relação ao 4×4 anterior. O vão livre do solo, de 200 mm), é praticamente o mesmo do Titanium (191 mm).

Resumindo, o Storm vai agradar o consumidor de Ecosport que, por alguma razão, necessite da tração integral. A estratégia de criar uma versão diferenciada em visual dos demais carros da linha é bem acertada. A caixa de câmbio automática e o conjunto de equipamentos distanciam ainda mais o Storm do 4×4 antigo e focaliza outro tipo de comprador. Para quem quer economizar em relação ao Renegade a diesel ou não se interessa pelo já veterano Duster, o Storm passa a ser a única e muito interessante opção.

 

 

Equipamentos e preço

Ecosport Storm – Alarme volumétrico, ar-condicionado automático, assistente de partida em rampa, bancos revestidos de couro, airbags frontais/laterais dianteiros/de cortina/de joelhos do motorista; câmera traseira de ré, chave presencial para acesso e partida, cintos de três pontos para cinco ocupantes, computador de bordo,  controlador  e  limitador de velocidade, controle elétrico de vidros com função one touch e abertura/fechamento a distância, controle eletrônico de estabilidade e tração, faróis de neblina, faróis de xenônio com luz diurna por leds, faróis e limpador de para-brisa automáticos, fixação Isofix para cadeirinha infantil, monitoramento de pressão dos pneus, GPS, porta-luvas refrigerado, retrovisor interno fotocrômico, rodas de alumínio aro 17, sensor de estacionamento traseiro, sistema de multimídia Sync 3 com interface para celular e tela de 8 polegadas, teto solar com controle elétrico e volante com regulagem de altura e distância.

Preço – R$ 100 mil

 

 


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *