Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

LANÇAMENTO: todas as novidades do Chevrolet Camaro SS para 2019

Compartilhe!

Atualizar um modelo marcante como o Chevrolet Camaro é sempre algo complicado. Ou se fixa definitivamento no estilo retrô ou aos poucos o carro vai se desvinculando de sua imagem do passado. Nessa linha, o Dodge Challenger é o mais fiel no visual dos anos 1970, enquanto Mustang e Camaro fazem vaga referência aos “pony cars” dos anos 1960 de onde se originaram. Mas isso não é problema, e os três são fantásticos. A GM carrega um pecado: deixou de produzir o Camaro entre 2003 e 2009, sete longos anos para os fãs do esportivo.

Fotos: Fabio Gonzales

É difícil alterar as linhas de um esportivo que tem a imagem tão gravada no inconsciente de quem gosta de carros americanos, mas por outro lado não é possível deitar em berço esplêndido e esperar o tempo passar; os carros de origem em modelos retrô disputam um nicho de mercado e a concorrência é violenta. Não tanto no Brasil, onde as vendas são baixas, mas sim no mercado norte-americano, que reúne a grande maioria de admiradores e consumidores dos três esportivos.

A Chevrolet reinava tranquila por aqui, sem concorrentes até a chegada do Mustang, na metade deste ano. Estranhamente, a Chrysler não se movimenta no sentido de trazer o Dodge Challenger, desprezando o grande número de fãs da marca no Brasil. Pensando na nova geração do Ford Mustang, a General Motors resolveu atualizar o visual do Camaro, que chega na linha 2019 ainda mais esportivo e ainda mais distante do modelo de 1967. Na parte mecânica, o motor 6.2V8 LT1 de 461 cv foi mantido (nos EUA ele é anunciado com 455 cv), mas agora trabalha em conjunto com o câmbio automático de 10 marchas, igual ao Mustang.

Aliás, não só é o mesmo câmbio, como essa transmissão é fabricada por meio de uma joint venture entre as duas marcas. Nos Ford ela é chamada de 10R80, e é feita na unidade de produção de transmissões da marca em Livonia, Michigan. Na GM ela se chama Hydra-Matic 10L80, fabricada na unidade de transmissões de Romulus, também em Michigan. O diferencial é com relação de 2,77:1.

O modelo traz ainda controle de arrancada e sistema para “burnout” (“queimar” pneus no asfalto, que no caso do Camaro pode chegar a mais de R$ 10 mil o jogo…). O Camaro chegará ao mercado brasileiro no início de 2019 e seu preço não foi divulgado.

O Chevrolet Camaro só chegou por meio de importação oficial ao Brasil em 2010, em sua quinta geração. Agora, na linha 2019, ganhou nova reestilização nas carrocerias cupê e conversível. As linhas são quase as mesmas do 2018, mas recebeu retoques que ressaltaram ainda mais sua esportividade. Na dianteira perdeu os detalhes cromados e ganhou nova grade e para-choque com a cor preta dando mais agressividade ao modelo. A “gravatinha” da Chevrolet ganhou acabamento mais refinado e fundo vazado, auxiliando no arrefecimento do motor. Os faróis ganharam nova assinatura de LEDs.

 

O capô, que antes contava com duas saídas de ar, passou a ter apenas uma central. As lanternas traseiras são em dois elementos e com LEDs. As rodas são um capítulo a arte: de alumínio, com 20 polegadas, ganharam desenho mais esportivo, com pintura em prata fosco no cupê e preto brilhante no conversível. São 20 x 8,5 e 20 x 9,5, calçadas com pneus 245/40 ZR (dianteiros) e 275/35 ZR (traseiros). São run flat, que podem rodar emergencialmente mesmo furados, projetados especialmente para o Camaro. Vão custar muito caro no mercado de reposição, por isso o caso do burnout que citamos antes deve ser evitado…

A capota do conversível pode ser acionada por meio da chave e abertura leva 25 segundos - Chevrolet/Divulgação
                   A capota do conversível abre ou fecha em 25 segundos.

No conversível, a abertura ou fechamento do teto pode ser comandada pela chave, trabalho que consome apenas 25 segundos. Essa capota também pode ser aberta com o carro em movimento em velocidade de até 50 km/h. O novo Camaro tem luz interna em LED com 24 cores, algumas em degradê. As cores podem ser mudadas conforme o gosto do motorista ou em de acordo com o desempenho do carro. Outra novidade é o espelho retrovisor interno. Como o carro tem linha de cintura alta e vidro traseiro pequeno, a visibilidade para trás fica comprometida. Por isso agora conta com tela digital incorporada ao retrovisor, para exibir a imagem vinda da câmera instalada na traseira. 

O Camaro tem bancos esportivos revestidos de couro, com ventilação, aquecimento e ajustes elétricos; painel todo personalizável; Head-up Display; sistema de áudio Bose; terceira geração do multimídia MyLink; ar-condicionado de duas zonas e partida remota da ignição. Na parte de segurança, conta com oito airbags.

Novo câmbio automático de 10 marchas é um dos destaques da linha 2019 do Camaro - Chevrolet/Divulgação

A marca não precisou mexer no motor, que é mais do que suficiente. Continua o mesmo 6.2V8 de 461 cv e 62,9 mkgf de torque máximos. Como dissemos antes, o novo câmbio automático é de 10 marchas, que substitui o anterior de oito velocidades. E anda bem? Com esse powertrain, o Camaro acelera de zero a 100 km/h em excelentes 4,2 segundos, com velocidade máxima limitada eletronicamente em 290 km/h no cupê.

Conta ainda com quatro modos de condução: passeio, que privilegia o conforto; sport, para desempenho esportivo; pista, para uso em circuitos fechados, e neve, para pisos de baixa aderência. Tudo que anda muito também precisa parar muito, e para isso os freios são Brembo, com discos nas quatro rodas (de 345 mm na frente e 339 mm atrás) e pinças de quatro pistões. A direção é ZF, elétrica e variável, com pinhão e cremalheira.

O Camaro ganhou para 2019 a função de controle de largada, o “launch control”, desenvolvida especificamente para autódromos ou faróis… Permite aceleração com total eficiência nas arrancadas, com o mínimo de perda de tração nas rodas traseiras. Basta pisar firme no pedal do freio para segurar o carro, enquanto o pé direito afunda no acelerador, subindo o giro do motor. Um gráfico no quadro de instrumentos indica o momento certo para soltar o freio. Excelente recurso para matar seu cunhado de inveja… 

Outro recurso interessante no novo Camaro já citamos antes: é o sistema burnout, que permite “queimar” os pneus no asfalto, sem que o veículo saia do lugar. Serve para aquecer os pneus para uma arrancada, mas se for usado apenas para gerar fumaça, vai custar caro na hora da troca prematura dos pneus. Tem  o Torque Vectoring,  sistema de otimização do torque disponível, que usa recursos do controle eletrônico de estabilidade para o máximo desempenho do carro em curvas, possibilitando que as rodas recebam quantidade correta de força vinda do motor, para a melhor tração possível. O Camaro tem ainda sistema de ressonância, que aumenta a intensidade do som do motor dentro do habitáculo em rotações mais elevadas.

Aceleramos o novo Camaro -cupê e conversível- em  algumas voltas no circuito da Fazenda Capuava, na região de Campinas (SP). Pouco tempo para se encontrar o limites do carro, mas suficiente para identificar um excelente conjunto, com potência de sobra. Cada erro é compensado pela eletrônica e a potência e torque são mais do que suficientes. Por outro lado, serve também para uso mais tranquilo. Ou seja, pode ser um monstro na pista e depois ir tranquilamente ao supermercado…

 

O motor é o mesmo V8 de 6.2 litros, que desenvolve 461cv e 62,9kgfm - Chevrolet/Divulgação                                   O motor é o excelente 6.2V8 de 461 cv e 62,9 mkgf.

O Camaro 2019 começará a ser vendido no Brasil a partir de fevereiro do próximo ano, disponível nas cores azul Egípcio, laranja Imperial, amarelo Persa, branco Summit, preto Ouro Negro e vermelho Tinto. Ficamos com o laranja Imperial… Produzido nos Estados Unidos, a sexta geração do Camaro não teve seus preços divulgados para o Brasil, mas deve ficar acima dos R$ 300 mil, para ficar na mesma faixa do rival Ford Mustang.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *