Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Maserati que foi abandonada no deserto vendida por mais de US$ 500 mil

Compartilhe!

 A Sotheby’s ofereceu para venda o Maserati 5000 GT que ficou desaparecido por décadas, tendo sido encontrado recentemente no Oriente Médio, abandonado em pleno deserto. Com o com o número de chassis AM103 018, o Maserati 5000 GT Coupe foi arrematado por US$ 533 mil.

O Maserati 5000 GT Coupe foi construído por encomenda para o Xá da Pérsia, Mohammad Reza Pahlavi, pois este queria um Maserati 3500 GT equipado com o motor 5.0V8, com cerca de 325 cv, herdado do Maserati 450S de competição. O motor construído em alumínio estava equipado com dois comandos de válvulas em cada cabeçote, quatro carburadores Weber 45 DCOE, ignição mecânica Magneti Marelli, duas velas por cilindro e lubrificação por cárter seco.

Pahlavi contratou o próprio Giulio Alfieri, o engenheiro-chefe da Maserati, para desenvolver um motor mais utilizável no dia-a-dia com base no do 450S, com diâmetro menor e maior curso. O motor estava acoplado a uma caixa de câmbio de quatro velocidades da ZF.

Somente 34 automóveis foram construídos com estas especificações, em diversas carrocerias por diferentes empresas italianas, conhecidos também por Maserati 5000 GT “Shah of Persia”. Todos os exemplares eram únicos, já que eram construídos sob encomenda e ao gosto de cada proprietário. A lista de personalidades que adquiriram um exemplar inclui o presidente do México, Adolfo López Mateos; o ator Stewart Granger; o acionista principal da Fiat, Gianni Agnelli; o produtor de automóveis esportivos Briggs Cunningham e o criador da Lambretta, Ferdinando Innocenti, entre outros.

Este foi o único 5000 GT produzido pela Ghia, sendo construído para Ferdinando Innocenti e foi exibido no stand da Ghia no Salão Automóvel de Turim em 1961. O paradeiro deste exemplar era desconhecido há décadas. Foi comprado do xá pelo colecionador árabe Rubayan Alrubayan nos anos 1970, sendo depois abandonado no deserto, ao ar livre, durante décadas. Após a morte de Alrubayan, os seus herdeiros localizaram o carro e o guardaram, para não se estragar mais e, decidiram colocá-lo à venda.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *