Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Mazda: motor Wankel retorna no ano que vem, mas…

Compartilhe!

A Mazda anunciou de maneira oficial que o motor Wankel vai estar em um de seus carros no ano que vem,  mas não da forma que os fãs dessa tecnologia desejavam.

A confirmação dessa notícia veio do vice-presidente de vendas da Mazda Europe, Martijn ten Brink, em entrevista a jornalistas holandeses. O motor Wankel vai mesmo regressar à Mazda, mas não será em um novo esportivo RX ou na versão esportiva de um dos seus modelos atuais.

Apesar da aposta contínua nos motores de combustão interna —em 2019 chegará o revolucionário SKYACTIV-X—, a Mazda também terá um carro elétrico em seu portfólio, devido às exigências de alguns mercados, que os querem cada vez mais.

 Mas, o que tem a ver um novo carro elétrico com o novo motor Wankel? Como alguns boatos já indicavam no passado, o motor de pistões rotativos deixará de assumir funções de locomover um veículo, passando a servir apenas como gerador e extensor de autonomia.
 

O novo elétrico, a ser lançado em 2019, trará ainda uma nova plataforma para modelos compactos da Mazda, de onde derivarão os sucessores dos atuais Mazda2, Mazda3 e CX-3, e terá duas versões, de acordo com as declarações de Brink.

Não foram adiantadas especificações sobre o futuro modelo, mas já se sabe que o novo carro 100% elétrico poderá trazer, como opção, um pequeno motor Wankel como extensor de autonomia. A escolha pelo Wankel, já testada num protótipo com base no Mazda2, resulta da ausência de vibrações e tamanho compacto.

De acordo com Martijn, o motor de apenas um rotor, ocupa o mesmo espaço de uma caixa de sapatos, e com os periféricos instalados, como sistema de arrefecimento, o volume ocupado não é maior que duas caixas de sapatos, ainda assim bastante compacto.

Martijn explicaque a opção pelo Wankel como extensor de autonomia, não é exatamente necessária —os motoristas não fazem mais do que 60 km por dia nos deslocamentos “casa-trabalho-casa”—, servindo para atenuar as preocupações e ansiedades dos seus clientes na questão “autonomia”.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *