Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Motores: futuro da Porsche é 100% turbo

Compartilhe!

A Porsche anunciou que os seus motores atmosféricos estão chegando ao limite no que diz respeito ao  equilíbrio entre desempenho e eficiência, quando comparados com os mais recentes desenvolvimentos da tecnologia turbo, segundo Thomas Wasserbach, diretor da divisão responsável pelos motores boxer.

porsche-911-carrera-e-targa-1-1024x796

O engenheiro explica que este tipo de motor já não podem ser melhorado em termos de desempenho sem comprometer a eficiência e, consequentemente, as emissões de gases poluentes, a não ser que seja adotada a tecnologia turbo.

Os motores 3.4 e 3.8 de seis cilindros, presentes na geração anterior dos modelos Carrera e Carrera S foram, segundo Wasserbach, os últimos motores a conseguir bom equilíbrio desempenho/eficiência, que o mesmo executivo classifica como “necessários” para a Porsche. Na sua mais recente geração, estes esportivos estão equipados com motor turbo 3.0 de seis cilindros que produz mais torque e potência, embora consumindo menos do que os seus antecessores.

“Para a Porsche, é necessário ter mais desempenho e, ao mesmo tempo, maior eficiência. Estas duas variáveis andam de mãos dadas e os motores atmosféricos estão no seu limite, quando queremos mais desempenho o que podemos fazer? Podemos aumentar a cilindrada mas isso não é benéfico para a eficiência. Podemos aumentar a rotação do motor? Isso também não é bom para a eficiência… Estamos no limite e sem ideias para mais”, explicou o executivo.

Já no 911 Carrera, a Porsche decidiu usar o motor 3.0 com 369 cv e 45 mkgf de torque, enquanto no 911 Carrera S, o mesmo motor tem 420 cv e 50 mkgf. No entanto, os consumos diminuíram um pouco.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español