Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Nissan: Novo Versa chega com muito estilo

Compartilhe!

A Nissan apresentou o novo Versa, carro que passou por uma revolução estética que merece aplausos. O sedã compacto chega importado do México e, por algum tempo, vai conviver com o Versa antigo, que é fabricado em Resende, RJ, rebatizado agora de V-Drive. Não há previsão de fabricação local do Novo Versa, de acordo com executivos da marca.

O novo carro estará disponível em três versões de acabamento e duas opções de transmissão (manual de cinco velocidades e CVT); o motor é o conhecido 1.6 de 114 cv da marca.

As versões a partir de agora são: Sense manual ou CVT, Advance CVT e Exclusive CVT, com preços que variam de R$ 73 mil a R$ 93 mil . O carro é disponível em oito opções de cores: prata, preto, cinza, branco (sólido e perolizado), duas opções de vermelho e um tom de azul, estas metálicas. O interior tem a opção de acabamentos em duas cores na versão Exclusive.


No novo Versa, a Nissan abandonou o já cansado desenho arredondada da geração anterior, e agora mostra linhas mais bem trabalhadas, na mesma linha de estilo do Sentra, Maxima e Kicks, por exemplo. Na dianteira, um grande “V” acomoda faróis, grade e parachoque, enquanto na traseira há o recurso que divide a coluna “C”, onde um acabamento plástico cria a sensação de “teto flutuante”; esse “truque” foi inaugurado no Brasil pela GM, com o Agile.

O Versa ficou 5 cm mais largo e o Cx (coeficiente de penetração aerodinâmica) vai de 0,30 a 0,315, de acordo com a versão. A versão top de linha usa rodas aro 17, enquanbto as outras ficam com rodas de aro 15 e 16. Bem desenhadas, as rodas dão ao novo sedã visual mais esportivo.

Por dentro, a grande evolução também pode ser observada. O Versa antigo tinha bom espaço interno, mas não seduzia pelo bom acabamento ou por algum luxo oferecido, o que limitava sua área de briga no mercado.

Com esta nova geração, isso parece ter ficado no passado. O isolamento acústico evoluiu, e inclui de ruídos o vidro do para-brisa mais espesso e aumento de 5 para 30 mm de material fono absorvente na parede que separa o compartimento do motor do habitáculo.

Os bancos estão bem desenhados e com apoio lateral. A melhor posição de dirigir ficoi mais fácil de ser encontrada, graças aos diversos ajustes possíveis, incluindo o de distância do volante, que não existia no anterior. O parabrisa não é degradê, porta-luvas e para-sois não tem e só o motorista tem one-touch no controle elétrico de vidros. Nada difícil da marca rever em breve.

O painel é da mesma fornada do usado no Kicks, com bom visual e acesso aos comandos. Estranhamente o computador de bordo “fala” português, só inglês, espanhol ou francês. Também fácil da Nissan corrigir. Há duas tomadas USB no console.

A central multimídia tem tela de sete polegadas, conexão a celular (Android Auto e Apple Car Play) e conexão para dois equipamentos ao mesmo tempo por Bluetooth. Há ainda o que a Nissan chama de “navegação porta a porta”, onde por meio de um aplicativo gratuito, o motorista programa o destino e a rota é transmitida ao multimídia assim que o carro é ligado.



Em termos de segurança, o Versa também evoluiu. Desde a versão de entrada, traz controle eletrônico de estabilidade e de tração, airbags laterais dianteiros e de cortina, e alerta para uso do cinto de segurança para todos ocupantes. No Exclusive há alerta de colisão frontal com frenagem autônoma de emergência, alerta de tráfego cruzado na traseira, câmeras de 360 graus com detector de objetos em movimento e aviso de ponto cego nas laterais. Há ainda um aviso sonoro que alerta sobre objetos, animais ou crianças no banco traseiro. E o porta-malas? Ele tem 482 litros de capacidade, 22 litros a mais que o anterior, e acomoda o estepe do tipo “temporário”.




O Versa não tinha mais condições de enfrentar os concorrentes, mais atuais e sofisticados, como o VWantigo há tempos dava sinais de incapacidade frente a atualizações do segmento, como o Chevrolet Onix Plus, VW Virtus, Fiat Cronos ou Hyundai HB20S. A chegada da nova geração do México traz alguma competitividade para a marca, mas há dois inconvenientes: a única opção de motor, insuficiente para enfrentar as versões turbo da concorrência e, mesmo sendo um produto atual, com condições de ganhar espaço no mercado, pode esbarrar na falta de volume de importação.

Versões e Preços

• Versa Sense 1.6 manual (R$ 73 mil) 

• Versa Sense 1.6 CVT (R$ 78 mil) 

• Versa Advance 1.6 CVT (R$ 83.490) 

• Versa Exclusive 1.6 CVT (R$ 93 mil) 


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *