Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

No crime: FBI investiga os carros autônomos

Compartilhe!

3246JSGY

O jornal britânico “The Guardian” divulgou informações relativas a um relatório tornado público pelo FBI onde são investigados os potenciais perigos que podem resultar da implementação de veículos autônomos. O relatório explica que esta inovação terá a capacidade de mudar a realidade atual, “alterando aquilo que hoje pode ser feito com um automóvel tanto pelas autoridades como pelos seus inimigos”.

Entre os potenciais perigos apontados está a ameaça destes carros poderem ser programados para se tornarem “armas letais”. Um dos cenários comparados entre a atualidade e o futuro da direção autônoma foi o das perseguições policiais. O FBI afirma que pode ser programada uma rota de fuga para a viatura, enquanto um suspeito poderá ter foco nas autoridades que o perseguem, ao invés de ter de estar com total atenção às vias. “Os criminosos serão capazes de realizar tarefas para as quais necessitem das duas mãos e tirar os olhos da rua, algo que é impossível hoje em dia”.

O relatório foi criado pelo grupo de assuntos estratégicos, parte integrante da divisão de Inteligência do Federal Bureau of Investigation, que indica mesmo o perigo de transformar os carros em “armas letais”. Este perigo está relacionado com a possibilidade de sobreposição aos sistemas de segurança, ignorando sinais e limites de velocidade. Além disso, é apontada a ameaça de terroristas, que podem usar estes automóveis para fazer ataques à distância.

Mas nem tudo são pontos negativos com a direção autônoma. Além das vantagens conhecidas e que estão relacionadas com a redução de acidentes, esta tecnologia pode igualmente revolucionar o trabalho dos policiais. O relatório indica que “a vigilância pode ser mais efetiva e mais fácil, com menor possibilidade de uma patrulha perder um veículo de vista”. Outra capacidade que será adicionada será a possibilidade de seguir suspeitos a uma distância sempre segura, já que a condução autônoma se faz por base de sensores, câmeras e GPS. Além disso, podem ser programadas rotas alternativas, surpreendendo um fugitivo ao seguir por caminhos diferentes para poder cortar caminho.

O FBI acredita, segundo este relatório, que a condução autônoma em vias públicas nos Estados Unidos irá ser aprovada num prazo máximo de cinco anos.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español