Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TEST DRIVE: NOVO FORD FUSION

Compartilhe!

A expressão “novo” perdeu força no mundo do automóvel. Qualquer “face-lift” e o carro é rebatizado com a palavra NOVO antes do velho nome. A própria Ford já fez isso, mas agora se redimiu. O Novo Fusion -2013- é um carro realmente novo, tão novo que dispensa o adjetivo. O carro foi apresentado de maneira praticamente simultânea nos Estados Unidos e no Brasil, e o sedã de luxo chega todo renovado, um upgrade impressionante para atrair nova faixa de consumidores.

 

O desenho é inspirado no conceito Evos, e mostra linhas limpas e refinadas, de clara inspiração européia, com acabamento de categoría superior e materiais de alta qualidade. É fácil perceber o cuidado do projeto em cada detalhe.

 

Além do visual, o Fusion está repleto de tecnologia , como sistema de estacionamento automático, oito airbags, sistema auxiliar de manutenção de faixa, assistência de partida em rampa, Sync Media System com comandos de voz em português e GPS, e som premium com 12 alto-falantes.

 

É equipado com o motor EcoBoost 2.0, com turbocompressor, injeção direta e duplo comando de válvulas independentemente variável (Ti-VCT), que gera 240 cv. É o único carro de sua categoria com tração nas quatro rodas (AWD), e conta com transmissão automática de seis velocidades -com trocas no volante.

ESPORTIVO

O “velho” Fusion já era um carro muito bom, mas o novo supera qualquer expectativa. Todo novo, o sedã vai se tornar referência no segmento, combinando estilo, luxo, um toque esportivo, bom performance, tecnologia e segurança. O Fusion 2013 estará disponível no Brasil inicialmente na versão Titanium, equipada com a nova geração de motores EcoBoost 2.0, quatro cilindros de 240 cv e nível superior de economia.

 

Além das pickups, a Ford tem grande tradição nos sedãs, e com o Fusion 2013 oferece níveis superiores de desempenho. Leve e compacto, o motor EcoBoost 2.0 oferece o mesmo nível de potência de um motor 3.0, com foco na economia e sustentabilidade: consome 20% menos combustível, tem 15% mais desempoenho e gera 15% menos emissões de CO2. Para comparar, o motor 3.0V6 Duratec do Taurus 1997 tinha 200 cv de potência máxima.

 

O Fusion Titanium além do belo desenho, mostra ser um carro diferenciado. Produzido com a nova plataforma global C/D da Ford, ele será vendido em mais de 160 países e em algumas regiões será chamado de Mondeo, respeitando as características de cada mercado. Ambos os nomes trazem boas referências.

 

O carro foi projetado e desenvolvido por equipes de vários países, incluindo engenheiros e designers do Brasil, e será produzido em cinco fábricas no mundo. A Ford planeja vender mais de um milhão de unidades do Fusion/Mondeo por ano globalmente, mas não divulgou sua expectativa para o Brasil.

ESTILO

Inspirado no conceito Evos, mostrado no Salão de Frankfurt de 2011, é uma evolução da linguagem do desenho Kinetic da Ford, caracterizada por formas que expressam movimento. O carro tem linha de cintura bem definida, o teto avança até o final da traseira com um desenho limpo e suave, criando um perfil típico dos sedãs alemães.

As bordas dos pára-lamas são largas, e o capô tem vincos fortes, enquanto a grade está na proposta atual de identidade da marca, lembrando algo dos Jaguar e Aston Martim.

Toda a carrocceria foi aprimorada para aumentar a eficiência aerodinâmica; o Cx é de apenas 0,27, contra 0,35 do modelo anterior. Essa redução não é fácil de se conseguir e merece reconhecimento. O ângulo formado pelo capô e pára-brisa foi bem cuidado, a grade que abre e fecha as aletas automaticamente permitiu ganho de 6% no arrasto e o pára-choque envolvente oferece maior cobertura para os pneus.

O controle ativo de fechamento da grade frontal é uma inovação que ajuda a diminuir o arrasto, desviando o fluxo de ar quando ele não é exigido pelo sistema de arrefecimento do motor, e aumenta a economia de combustível. O sistema abre ou fecha automaticamente a grade frontal de acordo com as condições de operação e temperatura dos fluídos do motor.

O desenho da traseira não é só elegante, como também tem papel importante na redução da turbulência do ar. O vidro traseiro é bem inclinado, formando uma linha contínua com o spoiler e a tampa do porta-malas. Outra “assinatura” do Fusion 2013 são os faróis, que se destacam também pelo desenho e pela eficiência. As lanternas traseiras são com leds.

O uso de uma série de defletores aerodinâmicos também melhora sensivelmente o fluxo de ar por baixo do veículo, reduzindo o atrito. O seu desenho foi otimizado com a aplicação de simulação por computador e testes reais em túnel de vento e nas pistas.

CONFORTO

O desenvolvimento do carro consumiu cerca de 2 milhões de horas de trabalho em computador, número sem precedentes em projetos desse tipo. É o equivalente ao que uma pessoa conseguiria fazer em 30 anos usando um computador pessoal. Tecnologias sofisticadas foram utilizadas para a análise de cada ponto da carroceira e determinação das formas e proporções ideais, de modo a atingir a máxima eficiência aerodinâmica. No desenvolvimento em túnel de vento foram gastas mais de 450 horas.

Por dentro, o Fusion esbanja luxo e acabamento impecável, com o uso de materiais de qualidade, tanto no aspecto tátil como na aparência. O interior é elegante e bem desenhado, criando um ambiente agradável. Os bancos são de couro. Todas as superfícies do painel, portas e bancos são revestidas com materiais suaves ao toque. O uso de detalhes em metal e black piano fazem bom contraste. Os instrumentos duplos do painel, aumentam a sensação de qualidade e esportividade.

O espaço é generoso e a posição de dirigir, com comandos à mão, transmite conforto para o motorista. Os bancos foram desenhados com tecnologia que privilegia o conforto, seja em trajetos curtos ou viagens. Os bancos dianteiros adotam o conceito “thin seat design”, com estrutura ergonômica e espuma de alta performance. Além de ampla área de apoio para a coluna e quadril, contam com sistema de aquecimento e encosto de cabeça regulável em quatro estágios. Ambos dispõem de ajuste elétrico, sendo o do motorista com ajuste lombar, regulagem em 10 posições e três memórias.

Os bancos traseiros tem apoio de braço central e porta-copos dobrável, e acomodam dois ou três passageiros. Eles são rebatíveis em 60-40% e contam com pontos Latch para a fixação de cadeirinhas infantis.

O interior foi exageradamente cuidado para ser o mais silencioso da categoria. E parece mesmo ser. O projeto de isolamento acústico inclui a aplicação de diferentes técnicas e materiais de encapsulamento para a redução de ruídos. Entre eles, a adoção de suspensão traseira ControLink, portas com fechamento suave, sistema de vedação otimizado, carroceria com estrutura resistente à torção, pára-brisa acústico, caixas de roda revestidas e assoalho com carpete duplo.

DESEMPENHO

O Fusion foi desenvolvido para ter boa dirigibilidade, combinando esportividade e conforto. É o conceito europeu aplicado num carro antes tipicamente americano. As suspensões e a direção com assistência elétrica (EPAS) foram calibrados para oferecer respostas precisas e ágeis de direção. É um sedã divertido e rápido de dirigir tanto na cidade como na estrada. Avaliamos o carro pelas ruas de Los Angeles, e como nos Estados Unidos as leis de trânsito não permitem maiores abusos, não foi possível levar o Fusion a extremos, mas quando deu para acelerar um pouco mais, não ficaram dúvidas sobre suas qualidades dinâmicas.

A estrutura da plataforma, completamente nova, permite precisão na fixação dos componentes. Ela oferece grande rigidez torsional e, junto com a redução do peso da carroceira, contribui para o conforto, direção e estabilidade. A direção elétrica foi aprimorada para oferecer resposta direta e maior precisão. Além de controle ativo de vibração (Active Nibble Control) para atenuar vibrações vindas dos pneus, conta com controle ativo de deriva, compensando o esterçamento induzido pelo torque do motor facilitar o domínio do veículo em qualquer situação.

O carro tem recursos como controle de estabilidade e tração AdvanceTrac, sistema de tração integral AWD e suspensão ControLink, o que proporciona equilíbrio em diferentes tipos de piso.

A nova suspensão traseira ControLink traz uma geometria otimizada para a absorção de impactos, aumentando o controle e o conforto. Além de melhorar o aproveitamento do espaço e o conforto para os passageiros, tem rigidez lateral 15% maior em comparação com a versão anterior. A suspensão dianteira, com braços de alumínio de alta rigidez, reduz a massa dos componentes e praticamente elimina vibrações.

Os amortecedores e buchas também foram otimizados para isolar vibrações, e os pneus também foram objeto de extenso desenvolvimento para equilibrar conforto, precisão, estabilidade, economia e frenagem. Todo o conjunto -incluindo a geometria da suspensão- foi calibrado para uso nas condições brasileiras.

O carro também é o único modelo de volume do segmento com tração integral, já presente no Fusion anterior. Ele vem equipado com a versão mais recente do sistema inteligente AWD da Ford, calibrado especificamente para oferecer desempenho com segurança. Ele permite sub-esterço reduzido e ganha tração em condições onde os veículos de tração dianteira apenas tem mais dificuldade. Tem também freios a disco nas quatro rodas com ABS, e a Ford garante que ele oferece as menores distâncias de parada entre os veículos de sua classe.

MOTOR

O motor Ford EcoBoost 2.0 representa hoje a tecnologia mais avançada do mundo em propulsores de alta eficiência a gasolina. Ele combina turbocompressor de última geração com injeção direta de combustível e duplo comando de válvulas variável, independente na admissão e escapamento.

É quase uma obra-prima em se tratando de motores de quatro cilindros, gerando a mesma potência de um seis cilindros, com desempenho e economia de combustível realmente bons. Aplicado no Fusion 2013, gera 240 cv e torque de 34,7 kgfm máximos.

O motor EcoBoost 2.0 oferece torque máximo na maior parte da curva de operação do motor. O torque está sempre disponível quando é preciso. O turbo garante operação sem atraso em todas as rotações do motor, trabalhando junto com o sistema de injeção direta de combustível, e o compressor atinge até 195.000 rpm.

A bomba mecânica de combustível trabalha com alta pressão, de até 2.200 psi, mais de 50 vezes superior à utilizada em motores convencionais de quatro cilindros. Cada injetor conta com sete jatos individuais para distribuir o combustível diretamente dentro da câmara de combustão.

O sistema de duplo comando independente variável de válvulas (Ti-VCT) é outra tecnologia que ajuda o motor a “respirar” melhor. Permite controle preciso do acionamento das válvulas, tanto na fase de alimentação como na exaustão, ampliando a curva de torque, e melhora a economia de combustível em cerca de 3% a 4%.

O Fusion com motor EcoBoost 2.0 e tração AWD faz 8,1 km/litro de gasolina na cidade e 10,9 km/litro na estrada, o que dá um consumo combinado de 9,1 km/litro, em medições feitas de acordo com o padrão do Inmetro.

A transmissão automática é a SelectShift de seis velocidades, com excelente relação entre conforto e rapidez, e reforçando a vocação esportiva do Fusion, as trocas de marchas podem ser realizadas também de forma manual, pelo “Paddle-Shift” localizado no volante.

TECNOLOGIAS

O novo Ford é bem recheado de itens de tecnologia de segurança. Foi projetado para ser o melhor da categoria, tendo como meta a avaliação “Best in Class” em testes de domínio público, como o NHTSA e IHS, aceitos mundialmente. O seu sistema de segurança pessoal inclui oito airbags – frontais, laterais, de cortina e de joelho. Os cintos de segurança trazem limitador de força e pré-tensionadores nos pontos de ancoragem.

O “pacote” de segurança supera o de vários concorrentes da categoria e iguala o padrão de carros mais caros. É o primeiro no segmento, por exemplo, a oferecer itens como sistema de estacionamento automático, auxiliar de manutenção na faixa e abertura das portas por código, além de Sync Media System com MyFord Touch.

A assistência ativa de estacionamento de última geração do novo Fusion é um de seus grandes destaques. Usando um conjunto de sensores, o sistema avalia o tamanho da vaga, informa o motorista se o espaço é adequado e atua na direção automaticamente durante a manobra. Esse sistema é capaz de estacionar o veículo mesmo em vagas apertadas (com somente 1,2 vezes o comprimento do carro), vagas em subidas e descidas e também detecta eventuais obstáculos do lado oposto da vaga. Uma alívio para as mulheres.

ELETRÔNICA

A chave é programável –MyKey- e o carro tem ainda “piloto automático” adaptativo com alerta de colisão e acionamento dos freios, sistema de monitoramento de pontos cegos com alerta de tráfego cruzado, além de monitoramento da pressão dos pneus e espelhos retrovisores interno e externos eletrocrômicos.

O auxiliar de manutenção na faixa produz uma vibração no volante para avisar o motorista quando o carro apresenta um comportamento irregular na pista, como mudança de faiixa sem acionar os piscas. O controle é feito por uma câmera instalada na frente do carro que monitora a estrada e incorpora também o “Driver Alert”, para identificar se o motorista está sonolento.

O “piloto automático” adaptativo com alerta de colisão e suporte de frenagem emergencial permite ao motorista definir a velocidade do veículo sem a necessidade de uso do acelerador. O sistema utiliza radares para detectar veículos se movimentando à frente e alerta sobre potenciais riscos de colisão. Se o radar detecta veículos mais lentos, reduz automaticamente a velocidade para manter distância segura. Assim que a pista está livre, ele retoma a velocidade programada.

Em caso de acidente, o sistema de alerta pós-acidente (SOS) ativa automaticamente a buzina e aciona o pisca-alerta. O sistema também destrava as portas após o acionamento do airbag ou do cinto de segurança, ajudando no resgate dos passageiros.

MAIS NOVIDADES

O sistema de monitoramento de pontos cegos com alerta de tráfego cruzado facilita a mudança de faixa e a saída de vagas de estacionamento. Dois radares posicionados nas laterais traseiras acionam luzes nos retrovisores ao detectar a aproximação de um veículo nos pontos cegos. O alerta de tráfego cruzado atua da mesma forma quando o veículo está em marcha a ré, saindo de uma vaga de estacionamento.

A chave MyKey é uma tecnologia que permite limitar o uso do veículo, com a configuração de várias funções de segurança: limitação de velocidade a 130 km/h; aviso sonoro quando atinge as velocidades de 75, 90 e 105 km/h; limitação do volume do áudio a 45% da capacidade máxima; aviso para o uso de cinto de segurança; e alerta de nível de combustível baixo quando a autonomia chega a 120 km. Bom para contter o ímpeto de filhos e esposas.

O Ford Fusion 2013 traz ainda um teclado de nova geração para a abertura da porta sem chave, o KeyPad, substituindo o sistema anterior. Fica integrado na coluna B, do lado do motorista, e usa teclas com tecnologia capacitiva para a digitação do código.

CONEXÃO

O carro tem ainda equipamentos de última geração voltados para o controle, conectividade, conveniência e conforto dos ocupantes. Isso inclui recursos de assistência ao motorista, como a assistência de partida em rampa e o freio de estacionamento elétrico. O sistema de farol alto automático, que acende ou apaga as luzes conforme a necessidade, é interessante. Quando o carro entra em um túnel escuro, por exemplo, ele acende automaticamente os faróis. E também funciona de modo inverso: ao detectar um veículo vindo em direção contrária, ele baixa a luz para evitar o ofuscamento.

O centro do sistema de conectividade do Fusion é a tela de LCD de oito polegadas, com display de alta definição, gráficos nítidos e simples e menu intuitivo multifuncional. Na mesma tela, funciona o sistema de navegação (GPS) com mapas do Brasil.

A conectividade conta com Sync Media System com comandos de voz em português do Brasil para funções de áudio, ar-condicionado, navegador e telefone, com conexão Bluetooth, além de duas entradas USB, leitor de cartão de memória (SD Card) e entrada de vídeo/áudio RCA. Além disso, o carro tem o MyFord Touch, duas telas coloridas de 4,2 polegadas com comandos configuráveis no quadro de instrumentos. O modelo oferece também sistema de som de alta performance, desenvolvido em parceria com a Sony, que inclui 12 alto-falantes.

CONCLUSÃO

O Fusion sempre foi um carro de respeito no nosso mercado, e o Fusion 2013 vai além disso. O carro realmente mudou para melhor em todos os aspectos, ganhou aura global e surpreende pela aplicação de conceitos tipicamente europeus num produto americano. Por isso não é exagero afirmar que o novo Fusion tem passaporte global.

O novo Ford Fusion 2013 será vendido em quatro versões: SE 2.5 16V Duratec flex, Titanium EcoBoost GTDi FWD ou AWD e 2.0 Hybrid. Inicialmente será vendida apenas o Titanium AWD, com pré-venda de 400 unidades em novembro para entrega em dezembro. Em março de 2013 chega o SE 2.5 e o Titanium FWD, e em abril o Hybrid. O preço do Titanium AWD é de R$ 112.900.


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *