NOVO PORSCHE 911 TURBO JÁ ESTÁ PRONTO

Compartilhe!

P1

Da mesma forma que acontece com todos os 911, esta nova versão sobrealimentada do 991 é melhor, mais potente e mais sofisticada tecnicamente que a anterior. A sexta geração do 911 Turbo será apresentada no Salão de Frankfurt, em setembro, mas AUTO&TÉCNICA adianta como será o modelo.

O Porsche 911 será oferecido em duas versões, Turbo e Turbo S. O novo 991 sobrealimentado possui tração integral e motor boxer de seis cilindros com 3.800 cm3 e dois turbocompressores. A potência subiu 20 cv, indo de 500 para espantosos 520 cv, ou seja, exatamente o dobro da potência do 911 Turbo original de 1974, cujo motor 3.0 rendia 260 cv.

P2

A versão Turbo S eleva a potênica mais ainda, para os 560 cv, mais 30 cv que o Turbo S anterior, suficiente para levar o carro aos 319 km/h e acelerar de zero a 100 km/h em 3,1 segundos. O mesmo de uma McLaren MP4-12C, por exemplo. A Porsche não quis revelar ainda o torque máximo, mas fontes internas da fábrica alemã garantem que o valor ficou perto dos 70 mkgf, ligeiramente acima do atual.

P3

Tal como os mais recentes 911, a versão Turbo também aumentou de tamanho, com mais 40 mm no comprimento (agora tem 4.490 mm) e 28 mm na largura (1.878 mm, um pouco mais que o Carrera 4), graças ao alargamento dos pára-lamas.

Com a extensa utilização do alumínio na carroceria e na estrutura, o peso caiu para menos que os 1570 kgs do anterior 911 Turbo, melhorando assim a relação peso/potência. O aumento de dimensões e a redução do peso, provocou também mudança na geometria das suspensões; a distância entre-eixos aumentou 10 cm (2.450 mm) e as bitolas dianteira e traseira também cresceram para além dos 1.490 e 1.550 mm do modelo atual. A Porsche não divulgou ainda esses dados, mas essas alterações ficam claras com os pára-lamas maiores, que irão receber rodas aro 20; no Turbo S, as rodas têm porca central.

P4

Como o último 911 GT3, o 911 Turbo passa a ter quatro rodas direcionais, sistema que a Porsche afirma oferecer novos níveis de agilidade e a capacidade de fazer a volta em Nurburgring em tempo menor que o Carrera GT. Esse sistema de quatro rodas direcionais faz parte de um novo sistema eletro-mecânico, usado pela primeira vez pela marca.

O 911 Turbo inclui um novo “pacote” aerodinâmico, com spoiler dianteiro de três estágios e asa traseira também com três posições, tudo com o objetivo de de aumentar a pressão aerodinâmica.

P5

Mas não é só. O carro tem ainda o PDCC (Porsche Dynamic Chassis Control), que utiliza barras estabilizadoras ativas por meio de controle hidráulico, que reduz o rolling da carroceria, o mergulho nas frenagens e o erguimento da frente nas arrancadas. O sistema é de série no Turbo S e, em combinação com os coxins dinâmicos de motor, freios com discos cerâmicos e luzes por leds, fazem parte do “pacote” Sport Chrono, opcional para o Turbo.

A Porsche decidiu atender ainda as queixas dos seus clientes, de que os carros estão silenciosos demais, e assim o 911 Turbo e Turbo S passam a contar com um sintetizador, que reproduz o barulho do carro, oferecendo uma experiência sonora das mais interessantes.

Pela primeira vez nos últimos 40 anos, o 911 Turbo vai deixar de ter a opção de caixa manual, pois como o 911 GT3, tanto os Turbo como os Turbo S só vão estar disponíveis com a caixa de sete velocidades de dupla embreagem. A transmissão integral também foi revista e o sistema de arrefecimento também foi alterado.


Compartilhe!
简体中文 简体中文 English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano 日本語 日本語 Português Português Español Español