Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

ASTRA GTC: O DESEJADO

Compartilhe!

A Opel apresentou o Astra GTC, cupê de linhas insinuantes e muita tecnología. Mas não vai chegar ao Brasil… 

O Salão de Frankfurt do ano pasado teve a estréia mundial do cupê Opel Astra GTC. As linhas sinuosas da carroceria, com atenção a cada detalhe, mais o cuidado aerodinâmico, tornam este modelo um carro realmente atraente. Antes mesmo de começarem as vendas na Europa, a Opel tinha mais de 15.000 encomendas.
Dinamicamente,  todas as versões do Astra GTC tem configuração especial da suspensão dianteira, com HiPerStrut –conjunto mola/amortecedor para alto desempenho– combinada com o eixo traseiro com articulação de Watt, patenteado pela Opel. Estas suspensões garantem ótima estabilidade e precisão. O Astra possui ainda uma longa lista de sistemas de ajuda ao motorista, como a câmera dianteira de Opel Eye e a quarta geração de faróis direcionais bi-xenônio (Advanced Forward Lighting, AFL 4).
Ao contrário de muitas versões de duas portas de modelos compactos, relegados a modelos de entrada, o GTC ocupa posição destacada na linha Opel. Apesar das semelhanças com os outros Astra, o GTC é dono de desenho único: não tem qualquer componente externo em comum com outros membros da “familia” Astra, excepção das carcaças dos retrovisores externos e da antena. Seis dos sete modelos de rodas do GTC, por exemplo -com medidas de 17 a 20 polegadas- são exclusivos.

DESENHO

 “Quisemos que o Astra GTC fosse a expressão por excelência da linguagem de design da Opel, resumida na fórmula ‘arte escultural aliada à precisão alemã’, e que espelhasse a nossa paixão pelo automóvel”, explicou Mark Adams, vice-presidente de design da Opel/Vauxhall. “Não quisemos, no entanto, que a emoção se sobrepusesse à funcionalidade: o Astra GTC é um automóvel engenhoso e acessível, que pode ser utilizado todos os días”. Só para citar, o extinto Vectra GT brasileiro um dia foi Astra GTC na Europa.
Os projetistas da Opel exploraram ao máximo o perfil do automóvel, limitando o número de linhas marcantes na carroceria: apenas três foram suficientes para definir o estilo do modelo e esculpir a forma do Astra GTC. A lateral tem um vinco fino e bem definido desde a porta dianteira até à parte inferior do pára-lama traseiro. Uma segunda linha começa na maçaneta da porta e prolonga-se até a traseira, e a terceira linha segue o teto, levando a um spoiler integrado à tampa traseira.
A dianteira tem o bem definido vinco central típico da Opel no capô e é marcada pelos faróis bem afilados; o conjunto ótico incorpora luzes diurnas. Estes faróis estão nas extremidades de uma barra cromada com o emblema Opel, uma discreta grade superior; existe uma tomada de ar bem maior, preta, no pára-choqued. A linha de cintura é a parte que mais se destaca no  desenho do Astra GTC. A proeminência desta linha confere ao GTC desenho marcante, realçando sua carrocería baixa e larga. Atrás, as lanternas amplas horizontais são por leds.

SUSPENSÕES

Muito do trabalho de desenvolvimento do chassis do Astra GTC centrou-se no HiperStrut, novidade no modelo. Esta suspensão dianteira exclusiva, semelhante à do Insignia OPC e até agora só disponível em carros esportivos top de linha, melhora o comportamento dinâmico e oferece maior precisão da direção. A suspensão HiPerStrut utiliza os mesmos pontos de ancoragem das outras versões do Astra, mas permite reduzir a inclinação do conjunto mola/amortecedor em 44% e a distância entre a torre da suspensão e o centro da roda em 46% em comparação com modelos equipados com estruturas tradicionais McPherson.
Isto contribui para reduzir as reações da direção ao torque que o motor aplica nas rodas –um problema em automóveis de tração dianteira de potência elevada– transmitindo maior confiança ao motorista. A HiPerStrut incorpora um braço triangular que sustenta o conjunto da ponta de eixo, desacoplando o movimento direcional das rodas de toda a torre de suspensão. As vantagens são evidentes. Essa suspensão reduz as variações de câmber em curvas, com ganhos consideráveis de aderência. Outro dos benefícios é permitir a montagem de rodas de até 20 polegadas de diâmetro.
Comparando com o Astra europeu de cinco portas, a altura da carroceria ao solo do GTC foi reduzida entre 10 a 15 mm, enquanto a distância entre-eixos sofreu aumento de 10 mm, indo para 2695 mm. Ambas as bitolas são mais largas, com 1584 mm (mais 40 mm) à frente e 1585 mm (mais 30 mm) atrás.
 O sistema de suspensão traseira do GTC mistura eixo de torção com articulação de Watt, tal como nas outras versões Astra. A adaptação do sistema buscou o aumento da resistência ao rolamento lateral e o rebaixamento do centro de gravidade. Revelando-se mais leve e compacta que um eixo multi-link, este configuração reduz a variação do câmber das rodas e o atrito entre os componentes da suspensão, garantindo maior estabilidade lateral. A estrutura Watt está apoiada ao centro num reforço transversal inferior do chassis, imediatamente atrás da linha das rodas traseiras. O sistema consiste numa articulação central onde estão ligadas, por meio de rótulas, os tirantes laterais de controle das rodas.

ELETRÔNICA

A plataforma do GTC foi concebida para integrar ainda o sistema FlexRide de controle eletrônico da suspensão. Este sistema melhora o conforto, o comportamento e favorece a reação do volante, ao adaptar-se automaticamente às condições do piso, velocidade, movimentos da carroceria e estilo do motorista. Esse maior equilíbrio do automóvel contribui também para maior segurança em situações de emergência. O FlexRide permite que o motorista opte por três modos de funcionamento, com alteração do comportamento da suspensão, por meio de uma tecla no console: “Standard” (automático), o “Tour” (voltado para o conforto) ou o “Sport” (o nome já diz).
O sistema de direção também é específico do Astra GTC. A facilidade de utilização em baixas velocidades passa de forma progressiva para um esforço maior em velocidades mais elevadas. Graças ao sistema de pinhão e cremalheira com assistência variável de acordo com a velocidade, o AGTC proporciona ao motorista maior controle do carro. O motor elétrico de assistência da direção deixa de estar instalado na base da coluna de direção e agora vai montado direto na barra de direção.
A utilização dessa direção assistida elétrica (EPS) trouxe os benefícios já conhecidos. Em baixas velocidades, o índice de assistência da direção aumenta de forma a minimizar o esforço no volante, reduzindo-se progressivamente com o aumento da velocidade. A assistência só fica ativa quando solicitada, dispensando o funcionamento constante da bomba dos sistemas hidráulicos. Desta forma, o consumo de energia é otimizado e assim diminui o consumo de combustível.
O GTC tem quatro opções de motores –três a gasolina e um turbodiesel– com potências entre 120 e 180 cv. As novas versões OPC (esportiva) e a com motores 1.7 CDTI de 110 cv e 130 cv, equipados com tecnologia Start/Stop, estarão disponíveis no começo de 2012. O Start/Stop faz parte do equipamento de série das duas motorizações 1.4 a gasolina. Estes motores são equipados com turbocompressor, com 120 cv e 140 cv de potência,  e torque de 20 kgfm. Apresentam consumo de 16 km/litro de gasolina. Já a versão 1.6 Turbo tem 180 cv de potência e chega aos 220 km/h de velocidade máxima.

AUXÍLIO

Na parte de auxílio ao motorista, este Astra tem a câmera dianteira Opel Eye de segunda geração. Ela tem a função de reconhecimento de sinais de trânsito “Traffic Sign Recognition”, apta a identificar todos sinais utilizados na Europa. O sistema tem ainda aviso de mudança de faixa, o ”Lane Departure Warning” e função de indicação da distância para o veículo da frente, chamado de “Following Distance Indication”, que informa visualmente o motorista sobre a distância que o separa do veículo da frente.
Outra novidade do Astra GTC é o sistema de faróis direcionais bi-xenônio “Advanced Forward Lighting” de quarta geração (AFL 4). Para além das nove funções do AFL+  que incluem a comutação automática entre as luzes baixas e altas- há a regulagem inteligente do alcance dos faróis (“Intelligent Light Ranging”), que usa a câmera dianteira do Opel Eye para medir a distância para o veículo da frente e ajustar a altura dos faróis. Isto permite otimizar continuamente a iluminação sem incomodar os outros motoristas. Com estas 10 dez funções, o Astra GTC oferece o melhor e mais completo sistema de iluminação do segmento.
O modelo, a pesar de ser cupê, não compromete a funcionalidade. Acomoda quatro ocupantes com conforto, e o porta-malas tem capacidade de 380 a 1165 litros, cerca de 100 litros a mais que os concorrentes. O espaço interno aumentou bastante em relação ao GTC anterior, graças também ao freio de estacionamento elétrico, que ocupa menos espaço nop console.
A Opel vem se destacando pelo uso de alta tecnologia em seus carros e desenhos sofisticados. Seus carros estào cada vez mais esportivos e bem ao gosto do consumidor brasileiro, já que gerações de modelos da marca alemã foram vendidos no Brasil. Mas este Astra GTC, por enquanto, não deve aportar por aqui.

–    Leia mais na revista SUPER CHEVY 23.


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español