Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

Precisa tudo isso? Michelin desenvolve pneu para 500 km/h

Compartilhe!

O Koenigsegg Agera RS surpreendeu a tudo e a todos no ano passado ao alcançar impressionantes 447,18 km/h de velocidade máxima, número que faz dele o automóvel de produção mais rápido do mundo. Mas esta marca foi só o início, já que Bugatti, Hennessey e a própria Koenigsegg estão apenas esperando  pneus que os deixem alcançar os 500 km/h!

 

E é aqui que entra a Michelin, que já está trabalhando no desenvolvimento de pneus especiais, capazes de aguentar estas velocidades durante os quilômetros de aceleração necessários para atingir estas marcas. Eric Shcmedding, diretor de produto da Michelin para automóveis de série, já assegurou que a marca francesa está “chegando perto das 300 milhas por hora”, o equivalente a espantosos 482 km/h.

Recentemente, John Hennessey, o chefão da Hennessey Performance, afirmou em declarações aos jornalistas que o seu Venom F5 está pronto para superar os 482 km/h e chegar aos 500 km/h, pelo simples fato de que estão aptos a fazer isso e porque essa marca é importante para eles enquanto empresa e também para atender os seus clientes.

O Venom F5, com motor V8 biturbo de 1.622 cv, é o principal candidato a quebrar esta barreira dos 500 km/h, assim que a Michelin apresentar os seus novos pneus. Mas não está sozinho nisso. A Bugatti, por exemplo, já ronda esta briga desde os tempos do Veyron, quando o 16.4 Super Sport se tornou o automóvel de produção mais rápido do mundo ao atingir os 431 km/h. Agora, depois do Agera RS ter roubado este recorde, a marca francesa está pronta para libertar os 1.500 cv e 160 mkgf do Bugatti Chiron para chegar aos 500 km/h.

Por último, mas não menos importante, surge a Koenigsegg. É certo que esta pequena empresa sueca conseguiu uma marca impressionante (447,18 km/h) com o Agera RS, mas não vai ficar por isso mesmo. Christian von Koenigsegg, o chefão da marca de mesmo nome, já disse que o Agera RS é perfeitamente capaz de chegar aos 482 km/h. Só não tenta porque ainda é demasiado perigoso por conta dos pneus.

Recorde-se que Christian von Koenigsegg e Eric Schmedding se encontraram no Salão de Detroit, no início deste ano, e discutiram os verdadeiros limites dos hiperesportivos. O diretor da Michelin admitiu que os pneus nunca foram criados para atingir a marca dos 435 km/h, mas sabia que eram capazes de muito mais que isso.

Schmedding confessou ainda que o grande problema não está em chegar às 300 milhas por hora, ou 482 km/h, mas sim no tempo que se demora a lá chegar. “Se o carro demora pouco tempo para chegar aos 435 km/h mas precisa de cinco minutos para passar dos 435 km/h para os 482 km/h, isso não vai funcionar”, acrescentou, lembrando que os pneus estariam expostos a temperaturas altíssimas durante todos estes minutos, algo que se poderia revelar fatal.

Resta agora saber quanto tempo falta até a Michelin ter estes pneus especiais prontos e quem será a primeira marca a atingir essa marca. A luta pelo automóvel de série mais rápido do planeta continua…


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *