Renault Kwid é o elétrico mais barato do Brasil

Compartilhe!

A Renault apresentou o novo Kwid E-Tech, que chega como o carro elétrico mais barato do Brasil. A versão custa R$ 142.990 e promete autonomia de até 298 quilômetros no ciclo urbano com uma carga de bateria. A marca irá manter o valor até julho, que é a pré-venda do carro, e as entregas acontecerão a partir de agosto.

da Redação

O Renault Kwid E-Tech já é conhecido na China, batizado de City K-ZE e antecipou a recente reestilização do pequeno hatch da Renault. Aqui no Brasil passará a ser a versão mais cara do simpático carrinho, que na versão Outsider, a mais cara, atualmente custa R$ 68.690.

Fabricado na China, chega pronto ao Brasil, de acordo com a Renault com as necessárias adaptações às nossas características, por R$ 142.990. É caro, como tudo é muito caro no Brasil, mas se posiciona como o elétrico mais barato do mercado, desbancando o JAC E-JS1, até então o menos caro, que custa R$ 164.900. O Renault Zoe custa R$ 239.990.

O Kwid elétrico tem baterias de 27 kWh de íons de lítio, o que significa autonomia média de 265 km no ciclo misto cidade/estrada. Porém, para quem vai rodar só nas cidades, a autonomia pode chegar a 298 km, observados diversos cuidados. Para recarregar é possível usar uma tomada comum, o que recupera 190 km de autonomia em 9 horas; usando carregador rápido, esse tempo cai para 40 minutos.

Suas dimensões são basicamente as mesmas do Kwid “térmico”: 3.68 metros de comprimento, 1,57 m de largura, 1,47 m de altura e distância entre-eixos de 2,42 m. O porta-malas mantém capacidade de 290 litros da versão não elétrica do carro. A Renault divulgou o peso de 977 kg, 191 kg a mais do que a versão com motor a combustão.

A Renault desenvolveu um novo motor elétrico para o Kwid E-Tech que será vendido aqui. A versão vendida aqui tem 65 cv de potência, para não fazer feio nas regiões com muitas subidas .Ele acelera de zero a 50 km/h em 4,1 segundos, e a velocidade máxima é limitada a 130 km/h, para não prejudicar a autonomia do carro. Tem a função Eco, sistema de regeneração de energia nas frenagens para manter a carga das baterias, que assim otimiza em até 9% o consumo de energia.

A Renault vai explorar o custo de rodagem para atrair atenção dos compradores para o Kwid E-Tech. Segundo a marca, rodando por 60.000 km em três anos – 20.000 km/ano, o custo por km rodado será de R$ 1,30, o mesmo de um carro 1.0 manual (usando como referência o Chevrolet Onix, que é o 1.0 mais vendido do mercado). As três primeiras revisões custarão a metade do valor cobrado pelo Kwid convencional.

O E-Tech desembarca em versão única e com a lista de equipamentos generosa, incluindo seis airbags, controle eletrônico de estabilidade, assistente de partida em rampas, multimídia com tela de 7 polegadas (com Android Auto e Apple CarPlay), painel com instrumentos digitais, monitoramento de pressão dos pneus e outros mimos.


Compartilhe!
简体中文 简体中文 English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano 日本語 日本語 Português Português Español Español