Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

RENAULT MOSTRA O CLIO 4. MAS NÃO SE ANIME…

Compartilhe!

A quarta geração do Renault Clio, cujas fotos foram divulgadas pela Renault na França, é o primeiro carro integralmente desenhado sob a supervisão do novo chefe de estilo da marca francesa, Laurens van der Acker, e mostra qual a direção que os futuros modelos vão tomar em termos de desenho. O Clio agora sai da mesmice e passa a ser um carro interesante.

O novo Clio é mais longo, baixo e largo que o atual modelo –duas gerações adiante do modelo brasileiro, que foi lançado aquí em 1999- e tem por base a plataforma revista plataforma do carro existente na Europa. Ou seja, o Clio 4 não tem suspensão independente na traseira, e sim eixo de torção; na frente, a na frente a tradicional McPherson. A distância entre-eixos aumentou, as bitolas também e a direção com assistência elétrica foi revista para, segundo palavras de Benoit Bochard, diretor do programa de carros pequenos da Renault, “oferecer mais precisão, sensibilidade e melhores sensações ao volante”.

O Clio 4 terá apenas quatro portas e o estilo é rompimento com o antecessor. É o primeiro modelo da marca para o segmento a ostentar o símbolo da Renault em destaque e com a grade dividida. O Clio teve influência do DéZir, sendo isso visível nos pára-lamas traseiros, alargados, e na lateral, onde van der Acker quis dar um toque esportivos.  Os puxadores das portas traseiras ficam escondidos na coluna C, detalhe que segundo Bochard “oferece sedução e funcionalidade para satisfazer aqueles que podem ficar chateados pela falta de uma versão de duas portas ou que tenham hoje um carro de duas portas”.

Além de tudo isto, a Renault percebeu que a personalização é um fator muito importante –veja o que acontece com o Fiat Uno ou o Citroen DS3– e por isso vai oferecer cores menos habituais, aplicações de adesivos, revestimentos internos diferentes e combinações agressivas de cores.

Por dentro, o estilo é absolutamente diferente do que é habitual na Renault, e fica claro que a marca fez um esforço enorme para oferecer mais qualidade e sensação de se estar ao volante de um carro de segmento superior. Todas as versões terão o mesmo acabamento, com materiais que a Renault garante serem de qualidade. Este esforço foi feito para responder às criticas feitas aos últimos modelos, por terem interior muito espartano e pobre nas versões mais baratas.

Um dos destaques é a tela touh screen de 7 polegadas colorida, de série nas versões médias e top. Outra novidade é o “R-Link”, o sistema multimédia da marca francesa, desenvolvido para o Clio 4 em parceria com a TomTom. Conforme as versões, poderá estar equipado com vários recursos, como internet, reconhecimento de voz, Bluetooth e rádio com CD Player e MP3, sendo que as versões de base terão estas duas últimas funções de série.

Como já falamos antes, a personalização do interior é interesante, com a Renault jogando com as cores contrastante para diversos elementos, como os aros das saídas de ar e os forros dos bancos. Comandos com materiais mais agradáveis ao toque e maior qualidade, completam o trabalho feito pelos franceses para dar conferir um aspecto mais Premium ao Clio. Mas isto sem penalizar o preço, pois a Renault está se esforçando para oferecer o novo modelo a preços ainda mais competitivos, alinhando-os com os mais recentes rivais do segmento.

Em termos de motores, as novidades são o novo bloco de três cilindros com 900 cm3 a gasolina e o revisto motor diesel 1.5 dCi, de 90 cv. Com torque de 22 mkgf, o Clio vai ser competitivo em relação aos concorrentes. Graças ao “start/stop” e a toda a pareafernália de sistemas de redução de consumos e poluição, o motor dCi tem emissões que o colocam Clio como líder na sua categoría neste particular. Quanto ao motor a gasolina de três cilindros, é o primeiro propulsor deste gênero na Renault. Tem 90 cv de potência e torque de 13,5 mkgf, obtidos por meio de turbo e injeção direta. O consumo em ciclo misto é de 23,2 km/litro de gasolina. Outra novidade é o motor 1.2 TCe 120, acoplado à caixa de câmbio de dupla embreagem EDC. Turbo e com injeção direta, este bloco de quatro cilindros consegue atingir 120 cv com torque de 19 mkgf. Espera-se baixos números consumos e emissões, mas só em 2013 é que se saberá os valores, pois esta versão só será lançada no segundo semestre do próximo ano.

O Renault Clio 4 seguirá um programa inovador de lançamento na Europa, com os interessados a poderem conhecer todos os detalhes do novo modelo a partir de hoje (04/07) no site www.clio.renault.com. A partir do dia 12 de julho, a Renault vai convidar os visitantes do site a experimentarem, virtualmente, o novo carro, por meio de um filme interativo e, finalmente, em setembro, os interessados no novo modelo vão ter novo contacto –ainda por filme. O carro estará à venda no mercado europeu no final deste ano.

Já com 22 anos de existência, a linha Clio em sua quarta geraçap não tem nenhuma perspectiva de chegar ao Brasil. O sucessor para os mercados “emergentes” terá a velha plataforma da segunda geração, lançada aqui no fim do distante 1999. Afinal, carro bom e hitech, só para o Primeiro Mundo…


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español