Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TEST DRIVE: NOVO RENAULT MASTER

Compartilhe!

Familia_Master_001

Avaliar veículos comerciais é sempre uma experiência diferente. Nos automóveis as solicitações são diferentes, aliás, totalmente distintas. Motor, câmbio, suspensão, espaço interno, desempenho acessórios… Nos comerciais o foco é outro: capacidade de carga, consumo, manutenção. É sempre interessante perceber como esses veículos evoluem e passam a ter algumas características de acabamento e conforto  no mesmo nível dos automóveis.

Com o novísssimo Renault Master, com o qual rodamos um pouco por Curitiba, PR. Essa evolução é muito clara. Cabine confortáve, bm acabada e cheia de recursos. Sucesso na Europa, onde a Renault é líder de vendas de veículos comerciais há 15 anos, e premiado em vários paises como o melhor veículo utilitário no segmento (furgões com até 3.500 kg de peso bruto total), a nova geração do Novo Renault Master começou a ser produzida e comercializada no Brasil.

NovoMaster_Furgao_L2H2_004

O desenho é novo, e o Master 2014 oferece menor custo de manutenção, mais conforto, praticidade, robustez e segurança. Chegou em quatro versões de carroceira (Minibus, Furgão, Chassi-Cabine e Vitré) e com várias opções diferentes em relação ao comprimento e a altura do teto do veiculo, totalizando mais de 70 configurações para atender de pequenos comerciantes a grandes corporações e empresas públicas, inclusive nichos específicos de mercado. Como dissemos, tudo muito diferente do mundo do automóvel

MERCADO

“O segmento de veículos comerciais está ganhando importância cada vez maior dentro da estratégia de crescimento da Renault no país.  O resultado se reflete nos números positivos obtidos pela marca ao longo de 2012, que mostram ganhos de participação e de volume. Crescemos 24,5% com nossos utilitários em relação a 2011 e também ampliamos a estrutura para atendimento aos frotistas e a motoristas profissionais”, avaliou Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

Da estrutura citada pelo executivo, faz parte o Renault Pro+, inédito sistema de atendimento dirigido a frotistas, prestadores de serviços e a todos que utilizam o veículo como ferramenta de trabalho. Executado em parceria com concessionárias e destinado a pequenas, médias e grandes empresas, o Renault Pro+ abrange serviços que vão da comercialização ao pós-venda.

NovoMaster_Furgao_L2H2_002

A linha 2014 do Novo Master mostra que um veículo concebido para pegar no pesado pode ter um desenho robusto e atraente. Isso na dianteira, pois no resto da carroceria –laterais e traseira- tudo reto, privilegiando o aproveitamento de espaço. Todo novo, o desenho do furgão da Renault resulta em um veículo mais atual, robusto e maior.

Aqui uma “viagem” dos desenhistas da marca. Segundo eles, o Novo Master tem desenho inspitado num gorila, e transmite a sensação de força e imponência. E ainda na chave inglesa em função da sua versatilidade no uso e facilidade de utilização. Filosofia pura. Na prática a grade frontal é formada por três filetes cromados, e o largo pára-choque protege a carroceria. A peça abriga um degrau para facilitar o acesso ao motor e também às palhetas dos limpadores de pára-brisa. Os faróis são alongados, e o conjunto óptico incorpora as luzes de direção.

Na traseira, a lanterna mantém o formato vertical, mas apresenta nova disposição das luzes. A placa está posicionada do lado esquerdo, ligeiramente elevada e mais visível. As amplas janelas das portas, de formato assimétrico, facilitam a visibilidade para o motorista. Na lateral existem três sinalizadores luminosos, nas versões de chassi longo.

MOTOR

O novo turbodiesel 2.3 litros de quatro cilindros que estreia na linha 2014 é 15 cv mais potente e gera 2,04 mkgf a mais de torque. Tem 130 cv (3.500 rpm) e esbanja força, com 31,6 mkgf a 1.600 rpm. Assim, mesmo com a lotação máxima, o Master apresenta desempenho satisfatório, com arrancadas rápidas e retomadas seguras e mais facilidade nas ultrapassagens.

A linha 2014 chega às concessionárias com mudanças no conjunto mecânico, que inclui esse novo motor, o M9T 2.3 dCi. O motor M9T funciona com o sistema Common Rail, onde a bomba envia o combustível, em alta pressão, para um único duto ligado aos quatro bicos injetores. A vazão de combustível (tempo e ponto de injeção) é comandada eletronicamente pelo gerenciador do motor, reduzindo o consumo de diesel e a emissão de poluentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Este motor é leve, graças principalmente à adoção de cabeçote de alumínio, onde estão dois comandos de válvula (DOHC, um para as válvulas de admissão e outro para as de escapamento). Além disso, o conjunto tem tuchos hidráulicos e balancins roletados, que diminuem significativamente os atritos internos.  A exemplo do que acontece na linha de veículos de passeio da Renault, o Master também é dotado de acelerador eletrônico. Com a ajuda de sensores, a aceleração do veículo é feita de forma mais ágil e suave, e com melhor dirigibilidade. 

Em relação ao seu antecessor, o motor M9T apresenta diminuição da taxa de compressão e cilindros mais largos. Além disso, o motor, que trabalha com temperatura de água e óleo inferior à dos motores de automóveis de passeio, funciona com menor pressão nos cilindros (150 bar).

O câmbio é de seis marchas, com acionamento por cabo e alavanca instalada no painel. O escalonamento foi feito para privilegiar o torque. A sexta marcha, usada principalmente em estrada, garante boa velocidade final.

MECÂNICA

O conjunto mecânico do Novo Master foi pensado para oferecer o menor custo de manutenção da categoria, o que é importante para quem tem 10, 100 ou 200 veículos desse na frota. No motor, a corrente de distribuição foi concebida para durar toda a vida útil do veículo (o modelo anterior usava correia de distribuição, com substituição a cada 60.000 km ou quatro anos). O mesmo ocorre com o líquido de arrefecimento, que passa a durar 160.000 km (ou seis anos), contra os 120.000 km (ou quatro anos) do antigo.

O intervalo de revisões da linha Master foi ampliado de 15.000 para 20.000 km, e há uma novidade inédita: o sistema OCS (Oil Control System), que  detecta o uso severo do veículo, indicando que uma revisão deve ser antecipada. 

NovoMaster_Minibus_L3H2_001

O OCS interpreta como “severo” o uso do Master abaixo de 30 km/h em mais de 50% do tempo, e o uso em marcha lenta por mais de 50% do tempo, situações comuns em engarrafamentos nos grandes centros urbanos e nos trajetos curtos. O dispositivo funciona por meio de um alerta luminoso –que não pode ser desligado– no painel, no mesmo local do odômetro. Quando a luz se acende, após terem sido detectadas as condições citadas,, o proprietário deve levar o Master para uma concessionária até uma semana após o aviso.

Outra inovação é o GSI (Gear Shift Indicator) que informa por meio de setas luminosas no painel, quando o motorista deve reduzir ou aumentar a marcha, com o intuito de auxiliar na economia de combustível. Usado corretamente, pode proporcionar uma redução de até 5% no consumo, além de proteger o desgaste prematuro do motor.

POR DENTRO

O interior do Master também traz muitas novidades. O painel foi totalmente renovado e tem mais informações úteis ao motorista, como temperatura do motor, relógio, OCS e GSI. O modelo recebeu mais porta-copos e porta-objetos onde podem ser guardados com segurança papéis, documentos, garrafas de até dois litros e pranchetas. O porta-luvas tem 7,7 litros de capacidade de armazenamento e o painel recebeu duas tomadas 12V.

Novo Renault Master 2013. Curitiba/PR./ Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem.

A cabine foi projetada para quem passa muito tempo ao volante, por isso a prioridade para o conforto. Encontrar a posição de dirigir é fácil, graças aos ajustes da coluna de direção (altura) e do banco (altura e inclinação de encosto e assento). O volante tem boa empunhadura, e a alavanca de câmbio, no painel, está próxima do motorista, o que dá mais conforto e libera espaço para circulação na cabine. A visibilidade ficou maior, já que o Master oferece maior amplitude angular no que diz respeito à visão horizontal: são 185,9 graus.

O sistema de áudio Arkamis (opcional) merece destaque. Produzido pelo mesmo fornecedor do Fluence, o novo rádio executa músicas em CD e MP3, e tem entradas USB e auxiliar e conexão Bluetooh. Tudo isso pode ser acionado sem que o motorista tire as mãos do volante, por meio do comando satélite instalado na coluna de direção. Ar condicionado é fundamental e está presenter.

Os passageiros que viajarem nas versões Minibus Executive ou VIP também terão dose extra de conforto. Reposicionados, os bancos guardam maior distância uns dos outros e têm ajuste de inclinação do encosto que chega a 29 graus, 12 graus a mais que o Master anterior. Um corredor central com piso antiderrapante garante acesso mais fácil à última fileira.

TAMANHOS

Todas as versões ficaram maiores. Com 5,05 metros de comprimento, a versão L1H1 (chassi curto e teto baixo), por exemplo, ficou 16 cm mais comprida. A versão L2H2 (chassi médio e teto alto) ganhou 15 cm está com 5,55 m. Já a L3H2 (chassi longo e teto alto) passa a medir 6,20 m, com um acréscimo de 30 cm.

NovoMaster_Chassi_Cabine_Carroceria_aberta_001

Também merece destaque a porta deslizante, nas versões de chassi médio e longo, que ficou 17,1 cm mais larga, facilitando, e muito, as operações de carga e descarga.  O vão livre da porta do Novo Master tem 1,27 m, o maior da categoria, e a peça apresenta melhor aderência na canaleta de deslizamento, podendo ser aberta e fechada com menos esforço e mais facilidade.

O bagageiro do Novo Master Minibus tem de 1.000 a 1.700 litros de capacidade (conforme a versão), o maior bagageiro da categoria. Este amplo espaço foi obtido com a remoção do estepe, que agora está sob o veículo, logo abaixo das portas traseiras. Outra alteração está na tampa do combustível que agora tem sistema de inviolabilidade. A mesma só poderá ser acessada com a abertura da porta do motorista, evitando assim furto de combustível.

SEGURANÇA

A carroceria monobloco foi reforçada visando maior durabilidade em utilização mais severa. A suspensão dianteira usa triângulos sobrepostos com barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos e traseira composta por eixo rígido com travessas longitudinais semi-elípticas de lâminas em aço. Ficou mais robusta e o novo sistema do batente foi desenvolvido para garantir a estabilidade do veículo carregado.

Por para serem submetidas ao uso intenso, as dobradiças das portas foram reforçadas e as roldanas têm longa vida útil e muitos anos de prestação operacional. As novas travas de segurança das portas impedem fechamento acidental das mesmas e aumenta a durabilidade do equipamento. Atrás, o sistema de abertura, com ângulo de 270º, é fácil de manusear.

Airbags e freios a disco nas quatro rodas, com sistema ABS agora são itens de série em todas as versões. Omaster ficou mais eficiente nas frenagens e, segundo a Renault, a 100 km/h o modelo precisa de 44 metros para parar, quatro metros a menos que o anterior. Só não explicou em qual das versões esse número foi obtido e nem com qual capacidade de carga. Outro item de segurança, opcional, é o travamento automático das portas quandoatinge 6 km/h.

VERSÕES E OPÇÕES

Com a chegada da linha 2014, o Master passou a contar com 12 versões e 10 opções de transformações, totalizando mais de 70 opções.

Independentemente da versão ou da configuração, o Master sai de fábrica com direção hidráulica de série, além de ar quente, hodômetros digitais total e parcial, banco do motorista com regulagem de altura e inclinação, bloqueio de ignição por transponder, alerta sonoro de luzes acesas, faixa de proteção lateral na cor preta, relógio digital e farol com regulagem de altura, recurso importante para a segurança no trânsito em se tratando de veículos que trafegam ora carregados, ora vazios.

Os opcionais variam conforme a versão. Estão disponíveis itens como vidros e travas elétricos, ajuste interno elétrico dos retrovisores, ar-condicionado, computador de bordo e faróis de neblina (itens em série conforme a versão). É possível também, conforme a configuração, adicionar divisória de carga e portas com abertura de 270 graus.

Entre as opções disponíveis de cores estão duas sólidas (Branco Glacier e Vermelho Vivo) e três metálicas (Cinza Acier, Prata Etoile e Preto Nacré). 

Lançado no Brasil em 2002, o Master teve uma respeitável trajetória de sucesso no mercado nacional de furgões leves. Em 2012, foram 8.662 unidades emplacadas, um volume 17% superior ao registrado em 2011, em um segmento que registrou retração de 12%. Hoje, 10 anos após seu lançamento no País, o veículo da Renault é o segundo colocado no seu segmento (furgões com até 3.500 kg de peso bruto total) na América do Sul e no Brasil.

Produzido na Fábrica de Veículos Utilitários, que integra o Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), o novo Renault Master será, em breve, comercializado em outros países do Mercosul e da América Latina. A fábrica paranaense foi a primeira unidade fabril compartilhada pela Aliança Renault-Nissan a entrar em operação no mundo. Nestes 11 anos de história, a unidade industrial já produziu mais de 200 mil veículos das duas marcas.

 Os preços do Novo renault Master oscilam de R$ 87.510 a R$ 145.900.                    

 


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *