Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TEST DRIVE: o surpreendente JAC T5

Compartilhe!

O mundo do automóvel é repleto de modismos. Outro dia todos sonhavam com uma minivan, mas hoje o que se quer na garagem é mesmo um SUV. E isso em praticamente todo o mundo. No Brasil não é diferente. Toda marca que se preza tem um ou mais desses modelos em seu portfólio, e com a surpreendente chinesa JAC não é diferente. A marca lançou no Brasil seu segundo SUV: o T5, menor que o T6, apresentado no Salão de São Paulo de 2014. AUTO&TÉCNICA avaliou durante 10 dias o modelo.

20160529_141600

O T5 chegou ao mercado em versão única, com três “pacotes” de equipamentos. Os preços oscila entre R$ 60 mil e R$ 69 mil, o que é bastante competitivo. O modelo avaliado era o mais completo. O motor é 1.5 flex, com quatro válvulas por cilindro e potência de até 127 cv; a caixa de câmbio é manual de seis marchas (a transmissão automática tipo CVT chega em agosto). E melhor do que isso, no próximo ano o T5 começa a ser produzido em Camaçari, BA, se as previsões da marca se cumprirem.

MOTOR

O motor do T5 é conhecido dos modelos J3 e J5: 1.5 com duplo comando de válvulas, quatro válvulas por cilindro e variador de tempo da abertura das válvulas. Não há tanquinho de gasolina: o SUV usa preaquecimento do etanol para partidas a frio. O torque máximo é de 15,5/15,7 mkgf, e a potência máxima é de 125 cv com gasolina e 127 cv com etanol.

20160529_141017_001

Isso significa que a potência específica está no excelente nível de 84,7 cv/litro (etanol). O câmbio tem a sexta e última marcha bems longa, para favorecer a economia e baixar o nível de ruido. Isso atrapalha um pouco em subidas, onde o carro perde força e pede a quinta. Em quinta marcha, por exemplo, a 120 km/h está a 3.000 rpm, o que já é tranquilo para um motor 1.5, mas indo para a sexta, o giro cai para 2.600 rpm na mesma velocidade.  Muito bom.

20160529_141444

Conforme a JAC já havia exibido em 2014, a futura versão com caixa CVT permite seleção manual de seis “marchas virtuais” por meio de toques na alavanca para frente e para trás. Será a primeira transmissão não manual oferecida pela marca no Brasil.

20160529_142143

Com peso de 1.210 kg, o desempenho é bom, com aceleração de zero a 100 km/h em 12,8 segundos e velocidade máxima de 194 km/h., e índices de consumo de 7,5 km/litro de gasolina na cidade e 10 km/litro na estrada, nota A pelos padrões do Inmetro. Com álcool, o tanque de 45 litros pode ser menor do que o desejado. De resto, segue o que já conhecemos de outros carros da marca, como a boa suspensão traseira por eixo de torção, direção elétrica e freios a disco nas quatro rodas.

NA BRIGA

O SUV vai incomodar os concorrentes, pelo preço e conteúdo. Chamado de S3 na China, o T5 mede 4,33 metros de comprimento e 2,56 m de distância entre eixos, perto do Ford Ecosport (4,24 m incluindo o estepe e 2,52 m) e ao Renault Duster (4,32 m e 2,67 m), seus principais alvos. Além disso, é uma boa alternativa ao Jeep Renegade e Honda HR-V.

20160529_142003

Seu desenho mostra como os chineses estão evoluindo nesse quesito, com linhas agradáveis e bem resolvidas. O estilo dá a boa impressão de robustez, típico dos utilitários esportivos, com desenho bem atual. Na frente, a ampla grade cromada em forma trapezoidal é formada por grossas barras horizontais.

20160529_142011

O capô ressaltado e o para-choques envolvente, que traz integradas os faróis de neblina, reforçam a percepção de que o modelo é “parrudo”. As luzes diurnas de leds destacam os farois e garantem o requinte visual. Nas laterais, linha de cintura elevada dão sequência à sensação dinâmica iniciada no capô.

20160529_141110

A coluna C é bem larga, e na traseira a tampa do porta-malas é ampla e as lanternas horizontais em nada ficam devendo em atualidade aos modelos coreanos e ao próprio Ecosport. Um discreto spoiler no alto da tampa do porta-malas se encarrega de dar o toque de esportividade. Frisos cromados bem aplicados no para-choque e nas molduras de saídas de escapamento reforçam o aspecto de luxo do modelo.

20160529_141603

Por dentro, boa surpresa. Alguns materiais empregados não são tão sofisticados, afinal, não há milagre. Mas os bancos são revestidos de couro sintético e o painel de instrumentos e outros detalhes são bem cuidados. O grupo de instrumentos é agradável, de fácil leitura e até sofisticado. Interessante é o sistema de multimídia, disponível no “pacote” mais caro, com tela touchscreen de oito polegadas, conexões USB e HDMI e entrada para cartão de memória SD. Tem a “mirror screen”, que “espelha” a tela de um smartphone e permite acessar aplicativos como Waze, Facebook e até emails, entre outros.

 

Itens importantes como controle de estabilidade estão disponíveis nos dois “pacotes” superiores, mas o modelo não oferere “cruise control” (“piloto-automático”), airbags laterais e de cortinas e ajuste de distância do volante. De novo, não há milagre na busca do preço reduzido, onde alguns equipamentos precisam ser deixados de lado.

Também merecem destaque recursos como computador de bordo, ajuste elétrico de altura do facho dos faróis, comandos no volante para áudio e telefone, encosto de cabeça e cinto de três pontos para todos os ocupantes, para-brisa degradê, faróis com leds para luz diurna, fixações para cadeirinha infantil Isofix, mostrador que monitora a pressão dos pneus e porta-óculos no teto.

20160529_141958

A capacidade do porta-malas é de 600 litros, segundo a JAC, mas medida até o teto. Na verdade deve ficar na faixa dos 400 litros até a cobertura, o que está dentro do normal para a categoria.

CONCLUSÃO

O segundo SUV da JAC no mercado brasileiro agrada pela evolução do conjunto em relação a outros modelos da marca. O custo/benefício é bem interessante e por isso o SUV merece ser considerado. Já com cinco anos de presença no Brasil, a JAC começa a solidificar sua imagem. É o melhor dos chineses vendidos aqui, sem dúvida, e o T5 deverá ser um divisor de águas nas pretensões da empresa.

20160529_141612

O T5 é o melhor exemplo da capacidade evolutiva dos carros chineses. Houve uma época em que os carros coreanos não mereciam mais do que gargalhadas; hoje são referência de estilo e qualidade. Com os chineses está começando -ainda de maneira tímida- a acontecer o mesmo.

Foto_PG_FichaTec_1

PREÇOS E EQUIPAMENTOS

T5 Pack 1 (R$ 60 mil): abertura interna do porta-malas e do tanque de combustível, alarme antifurto, ar-condicionado automático, banco do motorista com ajuste de altura, banco traseiro bipartido 60/40, cintos de três pontos e encostos de cabeça para os cinco ocupantes, computador de bordo, controle elétrico de vidros/travas/retrovisores, faróis com regulagem elétrica de altura e acendimento automático, fixação de cadeira infantil Isofix, freios com ABS e assistência extra em emergência, monitor de pressão dos pneus, sensores de estacionamento na traseira e volante com ajuste de altura.

T5 Pack 2 (R$ 65 mil): acrescenta ao Pack 1 assistente de saída em rampa, rack no teto, controle de estabilidade, controle de tração, farol de neblina, luz traseira e rodas de alumínio aro 16.

T5 Pack 3 (R$ 69 mil): acrescenta ao Pack 2 bancos revestidos de couro, câmera traseira e sistema multimídia com tela de 8 polegadas.

jac-t5-3

Ficha Técnica

Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, comando variável de válvulas, 1.499 cm³, flex; Potência: 125/127 cv a 6.000 rpm; Torque: 15,5/15,7 mkgf a 4.000 rpm; Transmissão: câmbio manual de cinco marchas, tração dianteira; Direção: elétrica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS; Rodas/Pneus: liga leve aro 16 com pneus 205/55 R16; Peso: 1.210 kg ; Capacidades: porta-malas 600 litros (até o teto), tanque 45 litros;Dimensões: comprimento – 4.325 mm, largura – 1.765 mm, altura – 1.660 mm e entre-eixos – 2.560 mm


Compartilhe!
English English Français Français Deutsch Deutsch Italiano Italiano Português Português Español Español