Auto&Técnica | Desde 1995, 23 anos de boas notícias.

TEST DRIVE: PEUGEOT 308 CC, DE BEM COM A VIDA

Compartilhe!

IMG_1617 (640x427)

Ao lado do cupê RCZ, o 308 CC é um dos carros mais charmosos já criados pela Peugeot em sua longa história. Além de divertido e rápido, o 308 CC oferece o visual esportivo de um cupê aliado ao charme irresistível de um conversível. Apesar de sua sigla CC indicar -segundo a Peugeot- de que se trata de um Coupé Cabriolet, convenciona-se chamar de conversível o carro cujo teto recolhido não fica aparente, e de cabriolet aquele onde a capota fica visível. Por isso o Escort conversível só era chamado de conversível no Brasil; no resto do mundo era cabriolet.

IMG_1632 (640x427)

Sem concorrentes no mercado brasileiro, o 308 CC é o único cupê conversível médio do mercado, e com ele a Peugeot se mantém na briga por compradores, já que teve no 307 CC seu último representante, vendido aqui de 2004 e 2010.

IMG_1605 (640x427)

O carrinho surgiu no Salão de Genebra de 1998, quando a Peugeot apresentou um concept car que remetia aos antigos 401, 601 e 402 Eclipse dos anos 1930. A ideia era apresentar um modelo que pudesse ser usado como cupê ou conversível, com o teto rígido retrátil se recolhendo no porta-malas. A Peugeot teve essa patente de 1935 a 1985. O concept de 1998 se chamava Vingt Coeur, que em francês soava como “vainqueur”, ou vencedor, em português.

NO MERCADO

Como o carro agradou, entre 2000 e 2003 a Peugeot comercializou o 206 CC e, depois, o 307 CC. Na sequência veio o 207 CC (para a Europa), e o 308 CC de quatro lugares, que AUTO & TÉCNICA avaliou. E gostou.

IMG_1653 (640x427)

O 308 CC é feito na mesma plataforma do hatch 308, e por isso a dianteira é praticamente igual. Os faróis de neblina são mais afilados e são usadas luzes diurnas por leds. Na traseira, as lanternas também seguem o mesmo estilo, mas com desenho exclusivo para o CC, pois são com leds. Elas lembram de longe as do cupê conversível 504, de 1969.

IMG_1642 (640x427)

O teto de aço, quando fechado, sugere um cupê esportivo. É bastante curvo e deixa a traseira bem longa. As rodas são aro 18. Aí você aciona um botão no console e tudo muda. O destaque do 308 CC é mesmo o teto, retrátil e articulado em duas partes. Ele abre ou fecha em apenas 20 segundos, mesmo com o veículo em movimento até 12 km/h. Por segurança, acima dessa velocidade, o teto não opera.

IMG_1602 (383x640)

O mecanismo desse teto usa cinco pistões hidráulicos e uma bomba eletro-hidráulica para funcionar. O conjunto é gerenciado por uma central eletrônica, que baixa os quatro vidros em cerca de 5 cm antes do início dos trabalhos. Tudo monitorado por meio de uma tela no painel. O carro é vendido como “de quatro lugares”, mas não é bem assim. Na verdade, só duas crianças ou dois nanicos se acomodam na traseira.

ESPAÇO E LUXO

Mesmo sendo um conversível, o 308 CC foi projetado para ter porta-malas com capacidade razoável nas duas configurações. Como conversível, tem 266 litros, e como cupê, o volume atinge 465 litros.

Peugeot-308-CC-3 (640x427)

O 308 CC é luxuoso, bem equipado e oferece bom nível de conforto. Tudo pensado para as duas condições de uso, como o sistema de climatização bi-zone, que funciona bem mesmo com a capota aberta Existe ainda o Windstop, uma rede anti-turbulência do ar para quando o carro esta com o teto aberto. É montada sobre o banco traseiro, encaixada no encosto; fica dobrada e guardada no porta-malas.

IMG_1634 (640x427)

Um outro recurso interessante do 308 CC é o sistema Airwave, de aquecimento da nuca. Ele libera -apenas nos bancos da frente- um fluxo regulável de ar quente junto ao pescoço. Ideal para quem gosta de usar um conversível no inverno, mesmo com temperaturas baixas, pois pode ser combinado com o aquecimento dos bancos dianteiros.

Peugeot-308_CC_2009_1600x1200_wallpaper_72 (640x422)

Os bancos dianteiros tem apoios de cabeça integrados e mostram toda o cuidado que a Peugeot teve na construção do carro. Incorporam os airbags de cabeça e de tórax, o sistema Airwave, o aquecimento, o sistema de acesso à traseira, dispositivo de detecção de presença no banco do passageiro, ajustes elétricos e memórias das posições.

INTERIOR

O console é diferente do usado no 308 hatch, pois traz os comandos específicos do CC, como acionamento do teto, botão que controla os quatro vidros e ajustes do Airwave. O CC tem ainda tela de navegação e auxílio ao estacionamento dianteiro e traseiro. Batizado de WIP Nav,  conta com tela de sete polegadas colorida, ajustável em três posições e retrátil ao toque de um botão.

Malagrine

O sistema de som é de alta qualidade, JBL Hi-Fi, com amplificador de 500 W e 10 alto-falantes (sendo quatro woofers, quatro tweeters, um alto-falante no painel e um subwoofer de 150 W no porta-malas). Tem rádio com CD Player e MP3 com Bluetooth somente para o viva-voz. Faz falta uma entrada USB e Bluetooth para outras funções.

Malagrine

O CC conta ainda com rebatimento e abertura automática dos retrovisores, acendimento automático dos faróis, limpador de pára-brisa automático com sensor de chuva e retrovisor interno eletrocrômico.

MOTOR

O 308 CC é equipado com o motor 1.6 THP (Turbo High Pressure). Desenvolvido em parceria com a BMW, tem bloco de alumínio e cabeçote de 16 válvulas com comando de válvulas variável na admissão. Conta ainda com sistema de injeção direta de gasolina e tem 165 cv de potência máxima a 6.000 rpm. O torque máximo é de 24,5 mkgf disponível a baixíssimas 1.400 rpm. O motor é acoplado a uma caixa de câmbio automática sequencial de seis marchas.

Malagrine

Com esse motor, o 308 CC acelera de zero a 100 km/h em 9,8 segundos e tem velocidade máxima de 212 km/h. Não é o desempenho de um superesportivo, mas não faz feio nunca.

IMG_1608 (640x427)

As suspensões (dianteira tipo McPherson) são quase as mesmas do hatch, mas 12 mm mais baixa na frente e 8 mm atrás. Por isso o carro é baixo, e exige cuidado para não raspar em lombadas e valetas.

IMG_1634 (640x427)

A boa dirigibilidade é assegurada pela direção elétrica variável e pelos recursos de ajuda, como ABS Bosch 8.1 com divisão eletrônica de frenagem (REF) e auxílio à frenagem de emergência (AFU). O ESP (Eletronic Stability Program) de última geração corrige a perda de aderência, atuando nos freios e injeção, e inclui controle de tração (ASR) e controle de estabilidade (CDS). Ele pode ser desligado a baixas velocidades, voltando a funcionar automaticamente a partir dos 50 km/h.

PREÇO

O Peugeot 308 CC está disponível em versão única de acabamento, nas cores Vermelho Babylone (a do modelo avaliado), Preto Perla Nera e Branco Nacré perolizada. Toda essa diversão custa R$ 130 mil.

IMG_1644 (640x427)


Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *